Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Quem nunca?

por O ultimo fecha a porta, em 03.01.18

 Shame on me! 

Aconteceu-me uma situação destas uma vez em Fátima! Uma jovem pediu-me para lhe tirar uma foto, numa máquina das antigas virada para o santuário,  mas tirei a mim próprio  Só soube depois, qanddo a minha mãe disse que só não tinha dito nada para não me envergonhar 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:43

Não vou fazer resoluções para 2018

por O ultimo fecha a porta, em 02.01.18

2018 vai começar com mudanças na minha profissional.

Uma nova empresa, novas funções, novos colegas de trabalho, uma nova lingua no dia-a-dia, expetativas e receios inerentes à mudança.

Possivelmente uma nova mudança de cidade e de casa, para mais perto do novo sítio, a analisar nas próximas semanas.

 

Por isso, vamos viver um dia de cada vez, com expetativas moderadas.

 

Claro que dentro dos desejos existem os de sempre: saúde, paz, harmonia e felicidade dentro da subjetividade inerente para mim e para os meus. Espero que a saúde da minha avó não traga dissabores e que não tenha que visitar hospitais, pois é daqueles sitios que dispenso completamente.

 

Bom 2018!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:47

Fazer um bolo

por O ultimo fecha a porta, em 31.12.17

Triptofano lançou um desafio: encontrar alguém que nunca tivesse feito um bolo.

 

Pois bem, neste shame challenge , eu enquadro-me neste perfil. Podem ler aqui:

 

Acho que que vou deste cenário uma resolução para 2018 

Depois do Triptofano ter publicado este post, duas almas enviaram-me dois emails [Spam] preocupadas com o meu peso kkkk

tr.PNG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:34

Balanços

por O ultimo fecha a porta, em 28.12.17

Não sou pessoa de fazer muitos balanços, nem de fazer resoluções. Gosto de definir objetivos q.b., mas não vivo em função do seu cumprimento.

Estava a ler alguns blogs e verifiquei que a maioria das pessoas foi resgatar os seus posts de Dezembro de 2016 e do inicio de 2017 para checkar o que cumpriu. Eu não estabeleci metas, mas ao ler os dos outros reparei no seguinte:

 

Em 2017 ...

- Li 7 livros.

Desde que acabei a licenciatura, estive 5 anos sem pegar num livro.

Este ano consegui retomar este saudável hábito com o pico nas férias. Consegui ler 7 livros, de vários autores e estilos. O que gostei mais foi o Conde de Abranhos do Eça de Queirós. O que gostei menos A Colina de Cristal de Batista Bastos.

 

- Experimentei um (mini) trail

Os meus colegas do ginásio são grandes frequentadores de corridas e trails. Quando comecei no grupo sempre tive curiosidade. Em 2017, fiz o mini trail (versão caminhada sempre correr - percurso mais curto para começar).

Foi das experiências que mais gostei!

 

- Comecei a cozinhar

Não foi promessa mas quase. Aprender a desenrrascar e estar menos dependente do microondas era o objetivo. Ainda só estou no básico, mas à fome por desconhecimento já não morro. E não é que até gosto ...

 

- Conheci Amesterdão

Era uma das cidades que tinha mais curiosidade em conhecer e gostei muito! Já de Paris, talvez por ser no Verão, não gostei tanto.

 

- Fui operado

Sem dúvida, um dos marcos negativos do meu 2017. Inesperado, temido mas correu melhor que estava à espera.

 

É engraçado como o blog é uma espécie de diário. Os momentos que aqui destaquei fui partilhando aqui no blog, manifestando as minhas impressões, pedindo opiniões, exprimindo as minhas satisfações e frustrações.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:21

Comida gourmet

por O ultimo fecha a porta, em 27.12.17

Estava a ler uma notícia do Observador sobre o melhor de 2017 e deparei-me com este cenário:

 

1 amostra deste tamanho custa 12,85 € (só o prato)!!

 

Poder ter o nome mais estranho do mundo, pode ser feito por um chef estrela Michelin, mas jamais abdicaia do menu da francesinha 

kkkk.PNG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:10

Lovely family

por O ultimo fecha a porta, em 26.12.17

6ª feira ao chegar a casa:

 

Avó: os vizinhos da casa ao lado já se estão a separar...

Pai: Quando saí, já estava uma carrinha de mudanças.

Avó: Sim, esteve toda a manhã num vai-vem! Ela leva imensa coisa, credo!

Pai: A sério?!

Avó: Sim, até leva a máquina de lavar!!!

Pai: E agora como vão fazer? Terão duas ou ele vai ter de comprar uma?

 

Que conversa interessante de dúvidas existenciais ...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:38

O Natal cá em casa

por O ultimo fecha a porta, em 24.12.17

Inspirado no post da Claudia e aproveitando o dia, partilho o que deve ser a noite de consoada cá em casa e as tradições.

Nos tempos de infância, a consoada era passada em casa dos avós maternos e o dia 25 em casa dos avós paternos.

Como já só resta uma avó e vive com os meus pais, agora a consoada é lá em casa. Desde que eu e a minha irmã saímos de casa por razões profissionais que os fins de semana e estas ocasiões ganham importância.

 

Acende-se a lareira, fazem-se os preparativos do bacalhau, do polvo e da caldeirada com produtos da nossa horta e comprado aos lavradores no mercado. Durante a tarde, os mais velhos recorrem ao tradicional telefonema a desejar boas festas e ao muro das lamentações das doenças, enquanto outros ajudam a fazer a aletria e as rabanadas, outros vêm filmes, outros por e simples conversam. Já eu e a minha irmã, vamos ter um lanche de primos. 

 

À noite, ceia-se calmamente, conversa-se, mas como os mais velhos gostam de se deitar cedo abre-se as prendas antes da meia noite na sala. O Natal com crianças é mais engraçado, mas com graúdos também se faz a festa. 

 

25 é dia do perú, continuar a comer açucares e doçarias!

 

Hoje de manhã na feira de Espinho:

IMG_20171224_100630.jpg

 

IMG_20171224_100318.jpg

 

Boas festas para todos!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:11

O seguro morreu de velho

por O ultimo fecha a porta, em 21.12.17

Estava a ouvir as notícias sobre a falta de chuva e a lembrar-me das inundações que houve há pouco tempo em Albufeira.

O foco da minha memória não esteve nos disparates que o ministro da altura disse, mas nos muitos comerciantes que se queixavam de ter perdido máquinas e haveres dos seus negócios.

 

Na altura, quando quesionados sobre o seguro, muitos diziam que não tinham. E hoje? Será que com casa arromabada há trancas à porta.

Acha que não. Muitos prefrem não pagar o seguro e depois virem para as televisões queixarem-se, lamentarem-se e pedir subsidios.

 

Vai uma aposta?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:58

Dizer palavrões para se ter piada (novo caso)

por O ultimo fecha a porta, em 20.12.17

Em tempos, falei de algo que me fez confusão: um senhor com idade para ter juízo disse uma série de palavras no balneário do ginásio em tom alto para chamar a atenção.

20088336_sCLs1.jpeg

 

Hoje volto ao mesmo, porque noutras circunstâncias, verifiquei o mesmo.

 

Na festa de Natal da minha Empresa, esteve um animador, que em todos os capítulos do seu "entretenimento" - não vou dizer piadas, usava palavrões.

 

Esse é uma carateristica de muitos pseudo-humoristas. Utilizar o piiiiiii para captar mais aplausos, mais likes.

É mesmo necessário? Se for daquelas que saem, até tem a sua piada. Mas não era. Era daquelas forçadas para pôr o pessoal a rir e justificar o cachet...

 

Existe ainda outro tipo de palavrões e tentativa de captar likes, público e buzz com temas sensíveis que é o chamado humor negor. Eu chamo estupidez. E estupidez no seu pior!

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 18:53

Tarde de domingo

por O ultimo fecha a porta, em 19.12.17

No domingo fui até ao Porto de comboio, comprar mais algumas recordações.

Como já disse e cumpri, evitei os shoppings. Preferi os mercadinhos e as lojas de rua. Com a Rua de Santa Catarina a abarrotar, com as lojas das marcas mais populares, optei pela simpática Rua da Cedofeita e pelo mercado da Rua das Galerias de Paris (junto aos Clérigos).

Porém, ao subir a Passos Manuel, descobri e parei no Ateneu Comercial do Porto. Um mercado de Natal com negócios pessoais de micro escala convidava a entrar no edificio. A maior parte andava à volta de bijuteria, acessórios e comida. Peças  personalizadas a preços acessíveis. Para gaudio de quem lá entrou, ainda havia um coro a atuar. Uma excelente e original opção.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:39


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Blogs Portugal