Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Justiça e as redes sociais

por O ultimo fecha a porta, em 06.11.17

Nos últimos dias 4 situações deram que falar na Justiça portuguesa:

justiça-cega.jpg

 

- O caso Carrilho

Condenação com pena suspensa de um homem que praticou violência doméstica sobre a sua esposa, expondo a vida privada alheia em praça publica. Esse homem só por acaso é um ex-ministro e só por acaso foi tratado por "Doutor" pelo juíz, enquanto a vitima foi tratada por "Barbara" e em tom recriminatório pelo juíz.

Se fosse o Zé bebedolas onde não tem onde cair morto sairia com pena suspensa?

Será que foi apenas considerado "culpado" para não ser criticado pelas associações feministas?

 

- O caso Neto de Moura

Onde a justificação para uma sentença quase infame para uma justiça cega e laica, apenas foi discutida depois do caso ter sido tornado público por um jornal e depois de uma petição nas redes sociais ter questionado a conduta do juíz.

 

- O caso dos incendiários reincidentes

São presos e logo a seguir saem em liberdade, causando um verdadeiro terrorismo. Se com o terrorismo islâmico move-se montanhas, porque razão se desvaloriza os crime incendiário que causou mais de 100 mortos oficiais.

Será que é preciso um vídeo em flagrante delito, para se pôr punições mais dissuadoras?

 

- O caso Urban

As imagens são chocantes, mas também me chocou o facto de já ter havido 32 queixas só nos últimos 4 meses.

Foi preciso haver um vídeo nas redes sociais para se tomar medidas. Isto é muito grave para a segurança portuguesa.

Levanta-me questões: porque não foi feito nada antes após 32 (!) denúncias? Haverá algum medo da Polícia? Conflitos de interesses? Era falta de provas? Porque foi preciso haver um vídeo nas redes sociais para se tomar medidas? Perante as denuncias no Google e Trip Advisor, o que foi feito pelas autoridades?

 

Muitas dúvidas, que me levam a crer que a nossa Justiça/Admnistração Interna estão a agir mais pelas redes sociais do que pela prevenção.

É preciso haver vídeos, petições e burburinho nos media para se tomar medidas?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:34

Leituras do Último: A colina de cristal

por O ultimo fecha a porta, em 02.11.17

colina (2).jpgÉ um livro de Batista Bastos.

  

História

Existem duas personagens: o Centauro e o Rémora. Ambas se encontram no tempo e fazem um percurso solitário enquanto calceteiros.São descritos alguns episódios do nomadismo e solidão desta profissão.Conseguimos localizar-nos no tempo. A ação passa-se durante a instauração da 2ª República, com a asceção do Estado Novo ao poder e inclui alguns relatos da criação da legião portuguesa.

 

Opinião

Tenho dificuldades em elogiar o livro, pois não é muito percetível a história, nem a mensagem que pretende transmitir. Nem sequer consigo dar a minha interpretação o título. Talvez o problema seja meu, mas achei-o muito filosófico.

Porém, existem passagens interessantes sobre a instauração do regime Salazarista. Podia ser tão mais explorada...

 

Pontos positivos

- Algumas (mas poucas) descrições da implementação do Estado Novo em Portugal e o que era a "legião Portuguesa".

- Algumas descrições pormenorizadas do carater nómada dos estradeiros - penso que seja essa uma das mensagens do livro (?)

 

Pontos negativos

- Não tem história, fio condutor e a mensagem não é clara. O autor tem um extenso vocabulário, mas torna a narrativa muito complexa, indireta e eu, pessoalmente, não aprecio o estilo. Gosto de histórias claras em que se consegue facilmente resumi-la e que gera vontade a página seguinte. Não foi o caso.

- Fica a impressão que a história poderia ter sido muito mais desenvolvida e explorada, como o porquê do nome das personagens, episódios ligados à chegada do Estado Novo, o percurso errante e duro dos calceteiros.

 

Uma grande desilusão.Valeu (apenas) pela noção do que era a mocidade portuguesa.

 

P.S.: Têm aqui uma opinião diferente da minha. Foi a única crítica que encontrei.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 20:32

O meu feriado

por O ultimo fecha a porta, em 01.11.17

Neste dia nublado, a minha mãe obrigou-me convidou-me a ir ao cemitério com ela, pois o meu pai não quis ir.

 

Quando chegamos já lá estava um primo do meu avô. Tive que fazer a biografia dos meus últimos 5 anos e fiquei a saber a sua vida, dos filhos, da mulher, dos netos e até do cão, quase sem perguntar nada. Não consegui, fazer a reflexão que deveria ter feito, mas como homem estava para ficar ali a tarde toda, despedimo-nos. Ainda houve tempo para saber que os crisântemos que estavam nos jazigos à volta foram todos comprados à mesma pessoa. 

 

Como a minha mãe fez questão de parar noutros jazigos, cumprimentar esta e aquela e apresentar o filho, demoramos ainda algum tempo a vir embora.

É curioso como estes dias acabam por ser um ponto de encontro das pessoas e se põe a "conversa" em dia.

 

Antes, ao almoço, estávamos à mesa e passou um programa de culinária na RTP que a minha avó gosta de ver. Um conceito engraçado, onde pessoas sem experiência (como eu ) fazem receitas de amigos ou familiares. O mais surpreendente foi o comentário da juri. O prato era "arroz especial", mas a jurada soltou logo um arrogante "especial só se for de corrida". O problema foi o tom prepotente e mal criado com que foi dito. Ora, a RTP, de serviço público, tem de ter mais cuidado com o tipo de comentários que emite. De repente senti-me nos ídolos, em que era o bota-abaixo e a humilhação alheia. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:22

O Halloween saudável

por O ultimo fecha a porta, em 31.10.17

Não ligo muito Halloween, pois na minha zona não há tradições com esta data. A primeira vez que ouvi falar disso foi nas aulas de Inglês. 

20016408_dprl7.jpeg

Neste Carnaval temático de Outono, entre as várias sugestões, desde discotecas, Montalegre e afins, apercebi-me que há imensos trails e atividades outdoor para esta noite. Não vou participar em nenhuma porque ainda não me sinta totalmente recuperado fisicamente, mas achei muito interessante.

 

Sempre que se possa aliar diversão a vida saudável e social, é bom para as pessoas. Ou uma caneca de cerveja/shots por umas sapatilhas, o nosso corpo e mente ganham.

 

Amanhã, dia 1 de Novembro, é o dia de rumar aos cemitérios. No ano passado, a Câmara Municipal da zona onde moro, talvez por serem os últimos fieis antes das Autárquicas, publicitou as obras dos cemitérios do concelho neste mesmo dia. Este ano, ainda não se lembraram da infeliz ideia.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:29

De hoje de manhã

por O ultimo fecha a porta, em 30.10.17

Esta manhã, que tive de férias, fui à beira-mar pois já consigo fazer caminhadas.

22852065_1971799493091777_359383683972105359_n.jpg

 

Parece um dia de Verão: sol quente, mar calmo e sem vento. Esta inversão do tempo é assustadora. As estações trocadas, os fenómenos meteorológicos de extremos cada vez mais frequentes vão alterar cada vez mais as nossas vidas. Porém, não vejo os responsáveis políticos mundiais preocupados...

 

Bem, estava eu então a caminhar, quando me apercebo de um senhor com ar desorientado a perguntar uma direção a quem ia encontrando. Veio ter comigo e não sabia também onde era.

 

Vinha um velhote a correr, fiz-lhe sinal para ele abrandar e perguntei "por favor pode ajudar?". O homem não desviou o olhar e continuou a sua corrida. Que falta de educação! Não lhe custava nada responder. Nem a dizer que estava com pressa.

 A seguir, vinha uma moça talvez da minha idade com o telemóvel ao ombro e de fones. Fiz o mesmo e esta parou simpaticamente. Conhecia a rua e explicou ao senhor como ir para lá. Como não mexeu no telemóvel, com esta paragem, o seu treino perdeu-se...

 

Ou seja, porque é que as pessoas são tão egoístas? Pequenos gestos, pequenos segundo podem ajudar o próximo.

 

Hoje é dia 30 de Outubro, dia de lembrar um dos maiores flagelos que atinge as mulheres: o cancro da mama. Não tenho nenhum caso próximo, mas prevenir é muito importante.

22853125_289826994861694_953189279216488381_n.jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:34

Breves do Último

por O ultimo fecha a porta, em 26.10.17

- Acordão do juíz sobre a desculpabilização da violência doméstica

Ficamos todos chocados indignados e chocados com a argumentação da acusação do juíz.

Desta vez, a crítica à Justiça não é a morosidade do processo. É o Portugal de 2017 com estas mentes tacanhas nos altos cargos da nação, numa justiça cega e laica.

Ouvi que vai ser aberto um inquérito disciplinar. Foram precisos passar 3 dias, uma petição e o Presidente Marcelo intervir para se tomar uma atitude. Parece que a resistência é para não criar precedentes, mas o que isto diz da nossa sociedade?

 

- Vão regressar as aberturas de shopping's

Durante a crise muito se falou dos shoppings insolventes ou com dificuldades económicas (ex. Dolce Vita's), desahustados à dimensão em quantidade e valor do consumidor português.

Saíamos da crise e regressam os créditos ao consumo. Em breve vão chegar mais 2 shoppings: um em Évora, outro no Algarve. 

 

- As apostas online

Não percebo nada de leis de jogo, mas sei que algumas multinacionais foram impedidas de ter apostas em Portugal. Agora foram concedidas licenças aos grandes grupos nacionais (Solverde e Estoril-Sol ao que se juntou a Cofina). Opções não faltam para estourar dinheiro.

 

- Almofadas

Lembram-se de quando pedi opinião de almofadas? Pois bem, na altura cheguei a dizer que comprei uma básica no Ikea. Continuo bastante satisfeito com ela!

 

Bom fim de semana :) !

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:18

O local de voto nas autárquicas

por O ultimo fecha a porta, em 25.10.17

Quando tive que mudar mudei a residência fiscal para a cidade para onde vim viver durante a semana, mudei automaticamente o local e concelho de voto.

 

Faz sentido! Se vou viver para outra cidade, faz sentido mudar para lá a morada oficial e votar lá.

 

Porém, fiquei surpreendido ao ver o nosso Presidente da República a votar em Celorico de Basto.

9-img_4981.jpg

Vivendo ele em Lisboa, por força das funções que exerce, porque razão tem ele a morada oficial em Celorico de Basto? Até pode ter lá propriedades e dar essa morada, mas quando mudei, ninguém me perguntou na Loja do Cidadão se tinha "amor à terra" e preferia votar no concelho dos pais, onde passo o fim de semana!!!

Será a lei igual para todos!

 

P.S.: A mudança da morada fiscal não altera o centro de saúde afeto. Tanto simplex e ainda não se lembraram deste. Parece que tenho de ir lá outra vez para fazer a mudança.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:43

2 anos

por O ultimo fecha a porta, em 24.10.17

21766687_1957120934559633_5681858423550401114_n.jp

 

Hoje o blog faz 2 anos.

Quando mudei de emprego e por conseguinte, tive de sair de casa dos pais, criei este cantinho.

 

Por aqui vou partilhando histórias, opiniões, fotografias, mas também lendo muitos pontos de vista, debates e histórias de pessoas tão comuns como eu. É essa a piada que me faz todas as noites vir ao computador e fazer o login no Sapo.

 

Apesar de não trabalhar para a estatísticas, nem ter patrocínios, não escondo que gosta de ler e ser lido, por isso quero agradecer às pessoas que vêm cá espreitar o que tenho para contar.

 

Por isso, criei uma página de Facebook: https://www.facebook.com/ultimofechaaportablog/ 

A título de curiosidade fui ver quais os posts com mais comentários:

ufp.PNG

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:38

Animais nos restaurantes

por O ultimo fecha a porta, em 23.10.17

Ao que parece, os animais de companhia poderão entrar nos restaurantes, com a devida concordância dos proprietários. Ainda não está claro se ficarão numa zona própria ou se estarão junto dos donos.

dog-eating.png

 

Eu pergunto: qual a pertinência da questão?

Não haverá outras coisas mais graves para legislar sobre os animais de companhia?

  • Quantos casos de maus tratos chegam-nos todos os dias pelos voluntários e clínicas veterinárias que se chocam com a maldade humana perante cães e gatos. Chegam-nos fotografias de animais com foucinhas espetadas no focinho, cães enterrados vivos, gatos atirados pela janela, etc.

    Será que a legislação é suficientemente penalizadora com comportamentos lesivos para o bem estar do animal? Quantas condenações já se teve conhecimento público? I.e., será a lei suficientemente delatória?


  • Sobre os animais, existem ainda os crimes cometidos por donos de cães de raça perigosa que continuam irresponsáveis.

    Em Abril de 2017, um cão que andava à solta, atacou e desfigurou uma criança e o dono fugiu. Presente a juiz, foi posto em liberdade. Na altura, defendi, aqui no blog, uma pena exemplar para a irresponsabilidade do dono. Acusei a Justiça de ser impune para estes casos e alguns comentadores sugeriram para ter calma, que a condenação não era imediata. Passaram 6 meses Pesquisei e não encontrei nada nas noticias sobre o caso. Ou já houve condenação e não foi pública pelos media, ou continua em águas de bacalhau, ou então não houve condenação.

  • Se for para a frente, acho que cabe aos donos o bom senso em saber se o cão se vai comportar no restaurante ou não. Sinceramente, não estou disposição de ir a um restaurante e ter um cão a cobiçar e lamber a beiça com o meu bife.

 

Ou seja, acho que os nossos deputados, pagos com os meus impostos, dever-se-iam preocupar com coisas que realmente importam e afetam o bem estar do animal e dos humanos do que essa questão, que a meu ver, é menor.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:14

Viver sozinho #8 - o tamanho das embalagens

por O ultimo fecha a porta, em 19.10.17

Já critiquei aqui o tamanho das embalagens dos medicamentos, em que não são muitas vezes ajustadas à duração do tratamento.

 

Hoje, venho desabafar sobre as embalagens dos perecíveis que não são muitas vezes adaptadas a quem sozinho. 

 

Um caso concreto: os legumes cortados para sopa que se vendem nos supermercados.

Quem vive sozinho tem duas opções:

i) ou compra perecíveis isolados e tem o trabalho de os lavar e cortar, podendo ficar mais caro 

ii) ou compra embalagens desajustadas, pagando o desperdício

 

Acho que devia haver embalagens mais pequenas, tendo em conta o tipo de alimentos. Já vi no Jumbo tem caixas pequeninas para os cogumelos e salcichas, que são outro tipo de alimentos que depois de aberto tem de se comer. Assim, não evita-se o desperdício.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:51


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Blogs Portugal