Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A importância do WebSummit para Lisboa e para Portugal

por O ultimo fecha a porta, em 05.11.16

2ª feira começa um dos mais importantes eventos mundiais do mundo empresarial na área das novas tecnologias em Portugal.

 

web-summit-decoded-dublin-dublinglobe-com.jpg

Hoje li nas redes sociais insultos gratuitos e injustificados aos participantes do eventos. 

Tratava-se de uma página que alguém partilhou, daquelas em que ninguém dá cara, critica-se com palavrões para se ter mais impacto e mais likes. Estão a ver de que tipo de páginas estou a falar?

Pelo que percebi a revolta do autor era devido ao esforço do metro de Lisboa em prestar um serviço com mais carruagens durante o evento.

 

Pois bem, este evento assume uma importância, na minha perspectiva, muito grande, para Portugal e para a Lisboa:

 

i) Irão estar profissionais altamente qualificados

As pessoas que vêm cá têm uma elevada literacia e massa crítica. São dos melhores das áreas onde operam (engenharia, informática, marketing, logística, financeira, banca, etc.). Como tal, existe uma responsabilidade acrescida em passar a melhor imagem possível, não só com vista à potenciação de negócios futuros, bem como do turismo.

 

ii) Irão estar negócios de muitos milhões envolvidos

Participar neste evento significa não só potenciar um negócio, mas também o networking. Ter uma série de gurus e de empreendedores reunidos na mesma cidade em tão poucos dias propicia uma melhor rede de conhecimento.

 

iii) O papel das start-ups e dos empreendedores

Começamos a ouvir das start-ups durante a crise. É um novo nome para algo que sempre existiu: ter uma ideia de negócio, começar do zero e com os parceiros certos As empresas atuais têm uma componente tecnológica e global muito elevada e são lideradas pelos seus fundadores, a maioria muito jovens, que se viram impelidos pelo desemprego a iniciarem-se no seu próprio negócio. Correram atrás do sonho!

A maior parte dos empregos gerados por estas empresas são altamente qualificados e que dão uma pedrada no status quo do perfil conservador das hierarquias rígidas das empresas portuguesas. Previligiam a criatividade e a mobilidade dentro das estruturas.

 

iv) A necessidade de mostrar que Portugal sabe organizar eventos além de europeus de futebol

É sempre importante demonstrar que os transportes públicos cumpram os seus horários, tenham disponibilidade, não haja especulação de táxis e bares, que existe segurança nas nossas carteiras durante as viagens de elétrico, entre muitas outras coisas

 

Portanto, não percebo o porquê da critica. Se se faz um esforço para ser o melhor possível, critica-se. Se o serviço é mau critica-se na mesma. Que mentalidade...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:41


25 comentários

Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 05.11.2016 às 15:54

Esperar para ver, prefiro assim.
Hoje em dia a comunicação tem o poder de transformar as coisas naquilo que não são... além disso, em Portugal a Web Summit tem sido uma bandeira política e pouco mais...
Outra questão está sempre relacionada com os números, sejam quantitativos ou qualitativos, atiram-se uns números para o ar e quando se pede algo concreto não existe...
Esperar para ver e que seja um sucesso... tem sempre impactes positivos e é bom que tenha pois o nosso Governo através do Turismo de Portugal e não só colocou lá uns bons milhões de euros que são de todos nós.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 05.11.2016 às 20:41

Sim, vamos ver como corre. Acho que investir neste tipo de eventos é melhor que criar campanhas caras sem resultados (e com critérios dúbios na escolha das agências e no destino efetivo do dinheiro). Além disso, este evento destina-se a pessoas com poder de compra e influência mundial e permite demonstrar que o país é mais que um organizador de europeus de futebol.
Olhando, para outras formas de promover o país, esta parece ser a mais correta, teoricamente.
Depois, temos as nossas start-ups que jogam em casa. São empresas com ideias de futuro e geradoras de empregos altamente qualificados.
Imagem de perfil

De Andy Bloig a 05.11.2016 às 17:32

O problema é que se se gastarem 100 milhões de euros em publicidade nas agências de viagem, é fácil notar se deu para aumentar a quantidade de pessoas que marcam viagens para Portugal , enquanto que nestas coisas o resultado nunca é imediato. Vai andando lentamente e demora anos a ir dando resultados. Estes eventos vão dando publicidade e o boca a boca vai chamando pessoas para passeios por cá. Obviamente isso não vai trazer já pessoas na próxima semana... como muita gente anda por aí a imaginar.

Ainda ontem ao ler a entrevista da Monica Bellucci a uma revista, desatei-me a rir pois a jornalista ficou embasbacada quando a Monica lhe telefonou a perguntar se se podiam encontrar durante a tarde num sítio de Lisboa para fazer uma entrevista que já andavam a falar com o agente dela há semanas.
Mesmo contra tudo o que os "especialistas por aí escrevem nos jornais", já tem amigas francesas, do ramo da televisão e cinema, a procurarem casa por cá.
A longo prazo acaba por dar proveito. A curto é um custo com pouco retorno.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 05.11.2016 às 20:34

Este género de eventos faz mais que muitos milhões gastos em campanhas e agências de publicidade/viagens (muitas vezes paga-se a publicidade e outras coisas) e mostra que o país é mais que praia e europeus de futebol. Além disso, as pessoas que cá vêm têm poder de compra. É verdade que o retorno é num prazo dilatado, mas pode haver efeitos que o acelerem como foi o caso da Primavera Árabe e o público alvo dos eventos escolhidos.
Imagem de perfil

De Andy Bloig a 05.11.2016 às 21:11

A nível hoteleiro e hotelaria, estas coisas são muito proveitosas. Só que o principal proveito é a longo prazo. Um grupo de líderes de umas empresas vão cá passar 2 ou 3 dias. Se gostarem, quando organizam os encontros entre lideranças ou reuniões de negócios, vão lembrar-se e marcam-nas para cá. Os que virão cá ver as novidades, acabam por andar a correr. Quando chegar a altura das férias, leram os panfletos e marcam uma semana nalgum sítio.
Foi assim que temos acolhido o turismo que costumava ir para o norte de África ou próximo oriente e que estamos agora a receber muito mais gente do norte da Europa, que deixou de ir ás grandes cidades do centro da Europa por medo do terrorismo.
Ao ponto de já se estar a ficar com falta de espaço... não só para aterrar aviões.
Imagem de perfil

De erreguê a 05.11.2016 às 21:44

Eu penso que o fato da Web Summit acontecer este e os próximos 2 anos em Lisboa só pode ser bom para Portugal. Não temos nenhuma feira de tecnologia como as que acontecem em Barcelona, Berlim mas temos oportunidade de acolher um dos mais importantes eventos tecnologicos do mundo, por isso vamos mas é aproveitar e tentar mudar o rumo das coisas, sim nós também podemos ajudar.
Sem imagem de perfil

De Carlos a 05.11.2016 às 22:22

O Português comum e reles vive bem a falar mal do outro e não tem capacidade de ficar feliz e aplaudir o que de bem se faz neste país!
Lamentável...
Um abraço.
Imagem de perfil

De Pedro D. a 06.11.2016 às 13:09

Na mouche...
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 07.11.2016 às 23:09

É uma atitude auto derrotista que condeno. Critica-se só porque sim. Acho que quando se faz deve-se elogiar. Quando se faz mal, deve-se criticar.
Imagem de perfil

De Pedro D. a 06.11.2016 às 13:08

Aqui pode estar o futuro "da industrialização" de Portugal. Assim começou a Indía com a descoberta dos seus cérebros. Assim podem descobrir Portugal e as suas empresas - boas empresas, diga-se - tecnologicas.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 07.11.2016 às 23:13

Acho precisamente isso. A chamada indústria 4.0 vai estar ao rubro neste evento e uma oportunidade de ouro para os empreendedores e empresários portugueses estabeleceram network com as pessoas mais influentes e convenientes. Há críticas autoderrotistas que não fazem sentido.
Imagem de perfil

De HD a 06.11.2016 às 21:28

Há sempre gente insatisfeita e cega no que concerne a valorização do que fazemos de bom neste país!
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 07.11.2016 às 23:16

É uma atitude auto derrotista e injustificada que não l3va a lado nenhum. Critica-se por tudo e por nada. Se se faz bem, critica-se. Se se faz mal critica-se...
Imagem de perfil

De Chic'Ana a 07.11.2016 às 11:46

Espero realmente que tudo corra pelo melhor, para Portugal é uma publicidade enorme, para não falar de todos os ganhos inerentes! =)
Beijinhos
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 07.11.2016 às 23:18

Acho que tem tudo para correr bem: aos nossos empresários e empreendedores, ao nosso turismo e à imagem progressista que o país passa lá para fora.
Imagem de perfil

De m-M a 07.11.2016 às 14:45

Estive rés vés para ir, mas agora o horário de trabalho não o permite.
Estou expectante a ver o resultado em terras lusas :)
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 07.11.2016 às 23:06

Espero que seja o mais proveitosa possível para o país (empresarial, turístico, etc) e para os nossos empreendedores. Acho que estão reunidas as vontades e as condições para isso. :)
Sem imagem de perfil

De Miúda a 07.11.2016 às 16:18

sempre insatisfeitas... as pessoas têm de arranjar sempre motivos para criticar
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 07.11.2016 às 22:56

Quando se critica porque sim, perde-se toda a razão. Quando se insulta gratuitamente, ainda pior. Neste caso, as críticas não tinham razão de ser. Não percebo esta mania auto derrotista de se criticar sistematicamente.
Imagem de perfil

De Kikas a 07.11.2016 às 21:43

Tuga que é tuga critica pelo simples facto de criticar, somente e apenas isso!
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 07.11.2016 às 22:51

As críticas para serem justificadas têm de ter uma essência. Criticar-se por tudo e por nada, não é solução. Se se faz bem, critica-se. Se se faz mal, critica-se na mesma. Não percebo.
Imagem de perfil

De Kikas a 07.11.2016 às 22:54

Nem tu nem eu, mas é o que mais se vê e lê por aí.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 07.11.2016 às 23:02

Acho que a atitude auto derrotista não leva a lado nenhum. Nunca levou. Acho que se deve criticar ou elogiar quando há razões e sustentação para isso.
Imagem de perfil

De Kikas a 07.11.2016 às 23:16

Estamos na era dos "heróis" virtuais, daquelas pessoas que por trás de um ecrã se sentem no dever e obrigação de criticar por criticar, não precisam necessariamente de ter algo de sustentável, critica-se vá! Triste mas verídico...
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 07.11.2016 às 23:29

Sim, vai de encontro ao teus post sobre os youtubber's. Este tipo de páginas concorre com eles. É a caça ao like, dizendo umas acertadas e outras completamente disparatadas.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Blogs Portugal