Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Não foi o Daesh, foi um raio em Pedrogão Grande

por O ultimo fecha a porta, em 19.06.17

Chamusca, Mação, Funchal, Sertã, Caramulo e agora Pedrogão Grande.

 

Todos os anos os mesmos dramas, os mesmos problemas, mas em vez de um ou duas mortes, desta vez foram 62 mortes onde tudo falhou. Não foi mão humana, nem foi o Daesh. Foi um raio que caiu numa árvore.

 

Muitos diretos, muitos lamentos, muitos abraços numa parte do país esquecida. Nem a ministra soube dizer o nome das aldeias evacuadas ... não é Lisboa, nem Bruxelas ...

 

Espero que se faça o que se fez após a tragédia de Entre os Rios, em que após a queda da ponte se inspecionou tudo o que era pontes e se tomaram medidas a sério para evitar tragédias futuras. Na floresta, é mais complicado, mas faz falta perceber o que falhou, apurar responsabilidades e definir-se uma estratégia. Esta é a parte mais importante: estratégia! Lamentavelmente, foi preciso morrer 62 pessoas para se começar finalmente a discutir os problemas florestais, as falhas de comunicação das autoridades e por aí fora.

 

Mas creio, que daqui a umas semanas vamos ter outra vez os canais de noticias a passar horas a fio a passar incêndios com pirómanos deliciados. Vai uma aposta?

 

p.s. Mais uma vez, o povo português respondeu com a sua enorme solidariedade, mas os grandes grupos económicos com interesses florestais e comerciais nem uma palavra (Navigator, Altri, Lidl, Jerónimo Martins, etc).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:40


19 comentários

Imagem de perfil

De Andy Bloig a 19.06.2017 às 15:03

As autárquicas estão à porta. Vamos ver as câmaras municipais de todo país a lembrarem-se do PDM e que devem avançar com limpezas anuais, quer seja das bermas das estradas, quer seja limpezas coercivas junto ás habitações.
Só que, é mais fácil culpar o governo e continuar a passar multas a quem faz a limpeza do seu próprio terreno e deita um arbusto abaixo, como o PDM tem lá descrito que aquele terreno tem de ter um arbusto (não importa o tipo, tem de ter um arbusto) ou pagam a multa ou repôem o arbusto. Como as pessoas ignoram que os PDM é que definem a utilização e usofruto das propriedades em cada concelho, atira-se as culpa para o governo e fica o assunto arrumado.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 19.06.2017 às 19:24

muita coisa tem de ser questionada neste incêndio repentino: a politica florestal, a estratégia de ordenamento do território, as comunicação das forças de segurança, etc.

Infelizmente, acho que daqui a um ano,vai-se estar a falar no mesmo sem que nada tenha mudado.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Blogs Portugal