Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Regresso à leitura take 2: Cidades de papel

por O ultimo fecha a porta, em 01.06.16

O livro da autoria de John Green conta uma aventura entre dois adolescentes finalistas do ensino secundário.

Uma história de leitura rápida, interessante, com personagens secundárias engraçadas, mas achei-o americanizado, sem grande lição de vida e parecia que a escrita já estava orientada para o filme.

Quertin e Margon são vizinhos e partilharam a infância numa amizade que se foi desvanecendo com o tempo. Em vésperas do baile de finalistas, ambos participam numa vingança amorosa planeada por Magron que executam numa noite, que será a última que estão juntos. No dia seguinte Margon desaparece misteriosamente e deixa pistas a Quervin do seu paradeiro, desenvolvendo-se grande parte da narrativa na resolução do enigma. A derradeira estabelece um limite de horas e uma localização precisa de onde Margon se escondeu do mundo. Quervin tem de atravessar grande parte do EUA para chegar ao local e leva consigo os seus amigos. A sua motivação é um amor platónico, uma profunda amizade e uma excitação de aventura.

É esta parte que me parece idealizada já a pensar no filme. O autor divide o livro com cada uma das horas de viagem a encher páginas e a aumentar o suspense. Até aparecem duas vacas na estrada que provocam um acidente (tão previsível!), mas ninguém fica ferido, apenas se atrasam. Porém, como esperado, Quervin chega antes do tempo e encontra a sua amiga, mas não ficam "apaixonados e felizes para sempre".

 

O que fica da história? A amizade quando existe de verdade, é cega. Ultrapassa montanhas e chegam ao infinito, mesmo a cidades de papel, i.e., cidades que não existem fisicamente, mas apenas baptizados nos mapas patenteados de modo a detetar pirataria. Além disso, todos nós temos uma imagem que defendemos e somos educados a cumprir certos protocolos. Porém, há alternativas. Podemos seguir o nosso próprio caminho, com toda a liberdade, mas arcando com as consequências.

 

Para dizer que achei o livro realista e com conteúdo, não achei. Achei sim uma ficção interessante e enigmática.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 23:07


4 comentários

Sem imagem de perfil

De Carlos a 02.06.2016 às 23:38

Por vezes os livros não precisam de ter o final esperado, desde que nos ensinem sempre algo de novo! Parece que a lição que tiraste não trás novidade alguma...mas serve para relembrar o valor que deveria ter para todos nós a verdadeira amizade!
Imagem de perfil

De A rapariga do autocarro a 03.06.2016 às 15:03

Por acaso nunca li nada deste escritor, ainda não tenho opinião formada, é sempre bom conhecer outras opiniões!
Imagem de perfil

De Carolina Cruz a 11.06.2016 às 18:45

Boa crítica.
Eu gostei do livro, mas não foi nem de perto nem de longe o melhor de John Green, nem o pior acredita!
Não há nenhum que bata o "à procura de Alaska", adorei :D
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 11.06.2016 às 21:28

Hei-de ler esse! Obrigado!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Blogs Portugal