Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O cliente sai a ganhar?

por O ultimo fecha a porta, em 31.08.17

Nestas férias, fui ao Banco para ver se havia alguma maneira de ter isenção nas comissões de manutenção de conta que me queixei aqui (alguma eventual domiciliação de ordenado ...).

 

Perdi o meu tempo! Fui lá para poupar, mas tentarem-me vender mais produtos, que não preciso e com custos onde nunca iria sair a ganhar.

 

Vejam bem:

Custos

- A conta proposta inclui comissões de 4,25 €/mês (com a condição de ter o ordenado domiciliado)

- inclui um cartão de crédito com custos de 2 €/mês - que não preciso

(custo fixo mínimo de 4,25 +2 € + imposto de selo)

- Taxa de juro do crédito: nem percebi qual é no folheto que me deram, mas varia (?) entre 13,3% e 16,7%

 

E o que o oferece ao cliente:

- 9 cêntimos na Repsol

Ou seja, obriga-me a abastecer na Repsol se quiser "ganhar" com o cartão

- 2% da Via Verde

Ou seja, obriga-me a andar na auto estrada se quiser "ganhar" com o cartão e 2% são meros cêntimos, se atingir .

- 1% nas compras com o cartão de crédito

Não preciso de usar cartão de crédito e a maior parte dos custos que tenho estão por débito direto e a renda por transferência automática.

 

O bancário fez o seu trabalho. Respeito. Mas senti que me estavam a comer por lorpa.

 

Então, vou ao banco para poupar uns euros e este tenta-me arranjar ainda mais despesas, num produto cheio de limitações, complexo e que não preciso. Ele diz-me para olhar para os benefícios com os custos, mas eu efetivamente não vejo nenhum beneficio na conta, muito pelo contrário. Bem, agradeci o tempo que despendeu comigo e disse que ia pensar, mas prefiro pagar os 2 € do que esta cena marada.

Eu bem digo que não aprendemos nada a crise!

 

A Cláudia e a Mula referiram a existência de 2 bancos com isenção de despesas: o Ativo Bank e os CTT. Infelizmente vejo os CTT, como uma CGD versão 2 ao nível de relação com o cliente e preparação técnica de quem atende, o que não me agrada. Quanto ao Ativo Bank, parece uma boa alternativa para analisar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:17

Acabou a borla

por O ultimo fecha a porta, em 22.08.17

Comecei neste mês de Agosto a pagar as comissões de conta bancária. 

transferir (1).jpg

 

Até aqui, ainda tinha a conta de estudante que isentava. Agora que já não estudo, não consigo prolongar a borla por mais tempo. Considero-me ainda assim com sorte, por não terem chateado antes...

 

Pus-me a pensar quando vi o pagamento no netbanco que despesas dou ao banco:

 

   - Já há mais de dois anos que não vou agência, nem chateio com emails ou questões. Porém, eles têm a porta aberta para me receber e, pelo menos, ouvir o meu problema.

   - Precisei de comprar moeda estrangeira e paguei a comissão disso. Portanto, este serviço não conta.

   - Tenho um cartão apenas e é de débito. Nunca paguei anuidade. Brevemente deverei pagar ...

   - O Banco investe dinheiro na segurança virtual da minha conta.

   - O Banco paga as SMS's com os códigos de validação que me envia quando faço uma compra e um pagamento online.

 

Ok, vendo bem os 2 Euros mensais têm contrapartidas ainda que não sejam à primei vista visíveis.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:27

A minha relação com a CGD

por O ultimo fecha a porta, em 24.07.17

Quando entrei na faculdade, abri conta na Caixa Geral de Depósitos (CGD), naquela conta-estudante mascarada no cartão de estudante.

 

Por várias razões, quando comecei a trabalhar, não dei essa conta para receber o ordenado e passados três meses encerrei a conta.

Os motivos foram vários:

- demorei mais de um ano e meio a receber o cartão de estudante, andando com um cartão provisório, por erro administrativo e após mais de 3 reclamações

- filas excessivas que me faziam perder imenso tempo na agência

- funcionários incompetentes e que não se esforçam nada para fazer o trabalho bem feito, mas antes despachar as pessoas

- falta de privacidade nas agências

- baixas taxas de juro para as poucas poupanças

Não me arrependi!

 

Hoje de manhã, ao ouvir na rádio o aumento das comissões para os pensionistas, fiquei chocado. Sendo que muita gente trabalha com a CGD e sendo o banco preferencial, não faz qualquer sentido aumentar agora as comissões. O argumento da concorrência não faz muito sentido, pelo facto do banco ser público e pelo impacto em muitas pessoas, em particular as mais pobres. Há um aspeto social que o banco de todos nós tem de ter em conta.

Agora, o argumento do equilíbrio das contas do banco é quase um caso de polícia. Os administradores que concederam crédito ao desbarato por interesses políticos e pessoais, sem garantias reais, não têm qualquer penalização, e o "Zé" é que apaga a fatura da má gestão.

 

Não faz sentido num país que se considera desenvolvido!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:58

Poupa-se pouco?

por O ultimo fecha a porta, em 27.06.17

Ao longo de 2017, as notícias/estudos apontam que a taxa de poupança tem diminuído atingindo minimos históricos. Ou seja, os portugueses gastam mais o seu dinheiro, em termos de %.

 

Porém, é preciso ver uma coisa muito importante: a forma como os valores são obtidos.

 

Possivelmente com a informação bancária, por variação dos depósitos e aplicações de particulares e empresas.

 

Com tanto escandalo bancário no nosso país, a redução das taxas de juro dos depósitios e as comissões cada vez mais absurdas e elevadas, é natural que as pessoas confiem menos nos bancos e deixem de depositar lá o seu dinheiro, preferindo gastá-lo ou tê-lo debaixo do colchão. A juntar a isto, o sentimento da desanuvio que a sociedade tem sentido.

 

Ora é precisamente este dinheiro que não é depositado que pode não ser contabilizado, enviesandos os números.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:33

O sovinismo da banca

por O ultimo fecha a porta, em 18.04.17

Hoje fui ver qual a taxa de juro da conta poupança que o Banco me oferece:

tx juro.PNG

Estão a ver bem. O banco oferece-me 0,01% de Taxa Anual Nominal Bruta. Agora fazendo as contas para o juro mensal/ trimestral, que me caíra na conta, estão a ver a miséria que é.

Que incentivo temos para colocaras nossas poupanças numa banca frágil, envolta em escândalos de corrupção, dificuldades financeiras, egos pessoais, quando a recompensa é uma taxa tão sovina como esta? Ainda por cima, 28% vai logo para o Estado.

Obviamente que nenhum.

 

Acho que muitas pessoas estão "escaldadas" com a crise e não acredito que tenham deixado de poupar. A forma como as estatisticas são calculadas é que influencia as conclusões, pois muita gente deixou de pôr o dinheiro no Banco e é natural que o valor dos depósitos e outros "indicadores" baixem. Com estas taxas miseráveis, o destino ou é o colchão, a poupança do Estado ou o consumo.

 

Já que falamos em Banca, é um abuso completo o valor obsceno de comissões, taxas e taxinhas que são cobradas pelas coisas mais simples (e que não dão despesa nenhum ao Banco) que o cliente peça ou usufrua. 

Já estamos a entrar num ponto em que estamos quase a pagar para ter o dinheiro no Banco. E o que recebemos em troca? Instabilidade, insegurança, ameças contantes de "aumento de capital", taxinhas exageradas e notícias de corrupção. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:17


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Blogs Portugal