Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O provincianismo em torno de Madonna

por O ultimo fecha a porta, em 20.09.17

Fala-se da Madonna como se fosse a última coca cola do deserto.

 

Ontem, o noticiário da SIC fez uma longa reportagem, qual TV 7 Dias ou TV Mais, com os sítios onde Madonna já foi em Portugal, num estilo voyeurista e para encher minutos. As redes sociais, por sua vez, diabolizaram a cantora por ter os filhos a pisar a relva de um jardim nu. Este site do Jornal de Notícias e as suas fontes não identificadas até foi mais longe...

 

Que país é este que se preocupa com estas questões pequeninas e engrandece estes minutos da atenção mundial, quando:

- somam-se casos de nomeados políticos que tiram o curso por equivalências profissionais e resolvem o caso com demissões

- os grandes cargos da economia portuguesa são ocupados por convite a filhos ex- primeiros ministros

- fazem-se milhões de euros em donativos para vitimas de incêndios e ninguém presta contas, nem como são aplicados e que auditorias há ao que já foi aplicado

- se rouba armamento do exército do país e não se encontram culpados e nem se encontra o mesmo

- somam-se os casos de ataques de cães de raça perigosa e a legisalção preventiva  tarda a entrar em funcionamento

- como muito bem refere o Pedro, a falta de civismo dos outros não é condenada e se fecha os olhos. 

 

Será provincianismo? Hipocrisia?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:58

Chamem-me egoísta

por O ultimo fecha a porta, em 06.09.17

Já o tinha dito noutros blogs na altura e digo-o abertamente: não contribuí com nenhum donativo para a tragédia dos incêndios.

 

Porquê?

Precisamente o que está a acontecer três meses depois: a falta de transparência dos donativos.

Ninguém sabe quanto dinheiro foi amealhado, ninguém sabe quanto há, quanto e em que foi aplicado, se foi a preços justos (ou se beneficiou a empresa de alguém), quais os fee's de gestão dos mesmos e muitas outras dúvidas.

Quando mexe em dinheiro é sempre muito obscuro, como se está a verificar.

 

Infelizmente não me arrependo. 

Não sou má pessoa, sou solidário e gosto de ajudar o próximo, mas prefiro ajudar no terreno ou sabendo a forma exata como o MEU dinheiro vai ser aplicado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:23

O cliente sai a ganhar?

por O ultimo fecha a porta, em 31.08.17

Nestas férias, fui ao Banco para ver se havia alguma maneira de ter isenção nas comissões de manutenção de conta que me queixei aqui (alguma eventual domiciliação de ordenado ...).

 

Perdi o meu tempo! Fui lá para poupar, mas tentarem-me vender mais produtos, que não preciso e com custos onde nunca iria sair a ganhar.

 

Vejam bem:

Custos

- A conta proposta inclui comissões de 4,25 €/mês (com a condição de ter o ordenado domiciliado)

- inclui um cartão de crédito com custos de 2 €/mês - que não preciso

(custo fixo mínimo de 4,25 +2 € + imposto de selo)

- Taxa de juro do crédito: nem percebi qual é no folheto que me deram, mas varia (?) entre 13,3% e 16,7%

 

E o que o oferece ao cliente:

- 9 cêntimos na Repsol

Ou seja, obriga-me a abastecer na Repsol se quiser "ganhar" com o cartão

- 2% da Via Verde

Ou seja, obriga-me a andar na auto estrada se quiser "ganhar" com o cartão e 2% são meros cêntimos, se atingir .

- 1% nas compras com o cartão de crédito

Não preciso de usar cartão de crédito e a maior parte dos custos que tenho estão por débito direto e a renda por transferência automática.

 

O bancário fez o seu trabalho. Respeito. Mas senti que me estavam a comer por lorpa.

 

Então, vou ao banco para poupar uns euros e este tenta-me arranjar ainda mais despesas, num produto cheio de limitações, complexo e que não preciso. Ele diz-me para olhar para os benefícios com os custos, mas eu efetivamente não vejo nenhum beneficio na conta, muito pelo contrário. Bem, agradeci o tempo que despendeu comigo e disse que ia pensar, mas prefiro pagar os 2 € do que esta cena marada.

Eu bem digo que não aprendemos nada a crise!

 

A Cláudia e a Mula referiram a existência de 2 bancos com isenção de despesas: o Ativo Bank e os CTT. Infelizmente vejo os CTT, como uma CGD versão 2 ao nível de relação com o cliente e preparação técnica de quem atende, o que não me agrada. Quanto ao Ativo Bank, parece uma boa alternativa para analisar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:17

Meu querido mês de Agosto

por O ultimo fecha a porta, em 16.08.17

Esté é o mês onde os nossos emigrantes voltam às aldeias e cidades portuguesas para reencontrar amigos e famílias. 

 

Vulgarmente apelidados de "Avec's", a parler francais para aqui e para acolá (mas quando a coisa não corre bem, lá vem o car**** e o fod****), bons carros e a fazer inveja a muitos que cá ficaram, são muitas vezes caricaturados.

Trazem vida, juventude e sobretudo dinheiro para gastar na pequena economia local amorfa.

 

Porém, não é só da Suíça e da França que chegam emigrantes. Desde a crise e o tempo do Governo de Passos Coelho, existe um novo tipo de emigrantes. Muito mais literados e empurrados pelo desemprego jovem e por oportunidades chorudas em multinacionais.

Pois bem, acho que toda a gente conhece ou tem alguém que conhece um amigo que seja enfermeiro em Inglaterra ou trabalhe lá ou na Alemanha.

 

Continua a ser alguém com saudades da terra, que traz dinheiro para gastar, mas com uma diferença. O emigrante jovem e literado vem para matar saudades e não para exibir a mala, o vestido, o carro e speak english em tudo quanto é lado.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:40

A minha relação com a CGD

por O ultimo fecha a porta, em 24.07.17

Quando entrei na faculdade, abri conta na Caixa Geral de Depósitos (CGD), naquela conta-estudante mascarada no cartão de estudante.

 

Por várias razões, quando comecei a trabalhar, não dei essa conta para receber o ordenado e passados três meses encerrei a conta.

Os motivos foram vários:

- demorei mais de um ano e meio a receber o cartão de estudante, andando com um cartão provisório, por erro administrativo e após mais de 3 reclamações

- filas excessivas que me faziam perder imenso tempo na agência

- funcionários incompetentes e que não se esforçam nada para fazer o trabalho bem feito, mas antes despachar as pessoas

- falta de privacidade nas agências

- baixas taxas de juro para as poucas poupanças

Não me arrependi!

 

Hoje de manhã, ao ouvir na rádio o aumento das comissões para os pensionistas, fiquei chocado. Sendo que muita gente trabalha com a CGD e sendo o banco preferencial, não faz qualquer sentido aumentar agora as comissões. O argumento da concorrência não faz muito sentido, pelo facto do banco ser público e pelo impacto em muitas pessoas, em particular as mais pobres. Há um aspeto social que o banco de todos nós tem de ter em conta.

Agora, o argumento do equilíbrio das contas do banco é quase um caso de polícia. Os administradores que concederam crédito ao desbarato por interesses políticos e pessoais, sem garantias reais, não têm qualquer penalização, e o "Zé" é que apaga a fatura da má gestão.

 

Não faz sentido num país que se considera desenvolvido!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:58

Mobiliário como alimentação no E-Fatura

por O ultimo fecha a porta, em 12.07.17

20170706_192750_LI (5).jpg

Estes dias jantei no Ikea, que além da vida de móveis e artigos de decoração, também tem um serviço de restaurante. Quando paguei, pedi fatura com nº de contribuinte. A entidade que emitiu a fatura é a mesma que fatura o mobiliário.

 

Ora no e-fatura, vai-me surgir para mapeá-la. Não havendo, mais restrições, uma pessoa pode mobilar a casa, considerar a fatura como "alimentação" e obter o benefício fiscal. O mesmo se aplica aos hipermercados.  Um cidadão pode lá comprar o que quiser e colocar como alimentação.

 

Não está correto!

 

Sempre que fisicamente separáveis, a entidade que fatura deveria ser diferente e ter CAE's (Código de Atividade Económica) diferentes de modo a diminuir a fraude na alocação do E-Fatura.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:13

Estrangeirismos de chiquê

por O ultimo fecha a porta, em 05.07.17

Hoje,

 

Não é cabeleireira, é hair design

Não é pasteleiro, é cake design

Não é cozinheiro, é chef

...

 

As profissões evoluem, tornam-se mais abrangentes ao nível das classes sociais e da formação das pessoas. Por isso, os nomes também mudam.

É mais chique chamar "chef" a uma estrela Michelin do que cozinheiro. Ou criar uma página de Facebook: Fulana X - Hair design do que Fulana Y - Cabeleireiro?

 

Sinais de evolução ou preconceito?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:02

Protagonistas de ocasião na visita papal - Cristina Ferreira

por O ultimo fecha a porta, em 13.05.17

Já se sabia. Com tanta televisão a emitir 24 horas, tinha de haver os "protagonistas" para as câmaras. Cristina Ferreira protagonizou o momento (sim, vou ser mais um a gastar o nome dela nas redes sociais) ao correr atrás do Papamovel. 

 

Agora digam-me o que foi pior:

- Cristina Ferreira, armar-se em mais que os outros e a furar o perímetro de segurança, sem que isso fosse permitido a mais nenhum jornalista;

 

- obrigar o câmara-man a correr atrás dela com uma câmara ao ombro a correr 

 

- os peregrinos a gritar "Cristina, Cristina"

 

- o pivot de emissão, todo orgulhoso, dizer que foi "um grande momento televisivo"  e elogiar a sua "boa forma física" em plena emissão de visita papal

[o mesmo que chamou uma vez "São Mantorras" ao jogador do Benfica e chamou "FC Porco" sem pedir desculpas].

 

- o realizador dar amplo destaque ao longo de largos minutos à "corrida"

 

-  A TVI fazer dessa corrida uma notícia e disso um click bait em todas as suas redes sociais;

 

Esta promoção (forçada) da Cristina, da sua corrida e por conseguinte, do "personal trainner", do seu livro de exercício, das marcas que a patrocinam fazem dela uma protagonista de um momento em que a estrela era outra. Se por vezes a elogio, desta vez tenho que a criticar. Era desnecessário e a fama não é tudo. O respeito pelas situações são muito importantes

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:04

Podia ser só um pão

por O ultimo fecha a porta, em 19.04.17

Na 2ª feira à noite fui ao supermercado e trouxe dois pães. Deixei um para ontem de manhã. Mesmo com o saco fechado, tive pena dos meus dentes e não o comi.

 

Enquanto comia o pequeno almoço (alternativo) olhei para o rótulo:

20170419_220650.jpg

 Além do esperado água, farinha e sal, juntam-se:

- extrato de malte

- levadura

- melhorantes

- Regulador de acidez E17Oi

- Emuslionante: E472e

- Agente de tratamento de farinha: E300

- Enzimas

 

Para um leigo como eu, que só queria um pão, fico sem saber o que estou a comer... São aditivos e afins que faço a mínima ideia o que são...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:12


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Blogs Portugal