Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Aldeias históricas - Belmonte e Penamacor

29.04.21

Sabem aquelas imagens lindas que vemos no Instagram e que ficam debaixo do nosso olho? Aconteceu-me com as aldeias históricas de Portugal. Já andava com ideias para lá ir há bastante tempo. Porém, o facto de serem longe, de preferir o tempo ameno (Primavera ou Outono) e a pandemia faz-me adiar até este mês de Abril.

Como só tinha alguns dias de férias e já conhecia Piodão, fui visitar as quatro que mais me cativaram da pesquisa que fiz: Monsanto - Penamacor - Sortelha - Belmonte. Ficam as 4 muito próximas.

 

Na verdade, dormi em Monfortinho, uma freguesia que tem três hotéis devido às termas. Como não conhecia, fiquei um pouco desapontado porque além das termas estarem fechadas, havia poucas pessoas e casas. Tem duas ruas principais que são duas retas que parecem um deserto, com algumas pensões abandonadas e os 3 hotéis ativos. Opções para comer não existem (apenas nos hotéis). Vê-se em 2 minutos.

IMG_20210415_183052.jpg

 

De Monfortinho, paramos em Monsanto (falarei num post só para ela). E daqui fomos a Idanha a Nova, sede de concelho. Tem pouco que ver. Um castelo e pouco mais.

 

Daí fomos a Penamacor, esta sim, aldeia histórica. Penamacor é vila madeiro. Tradição de ter no Inverno um madeiro a arder no centro da vila. É sede de concelho e fica no alto da colina. Ao longe já se vê o castelo e a antiga cadeia da vila (atualmente serviços públicos). 

 

Percorremos a pé, a Igreja da Misericórdia (onde se realiza o madeiro), a praça principal, o miradouro e calcorreamos as ruas medievais até ao castelo.

Junto ao castelo, as ruas estavam em terra batida (obras) e demos com o pelourinho. 

 

Chamou a atenção esta porta entrada no castelo.

IMG_20210416_141753.jpg

 

Penamacor é uma "aldeia" simpática, mas a zona em volta do castelo parece um pouco descuidada.

Daqui seguimos a Sortelha (falarei noutro post) e depois Belmonte. Belmonte já tem outras características geográficas. Uma cidade numa cota mais baixa e por isso mais plana e menos concentrada. Mais funcional nos novos tempos, com estacionamento e ruas mais largas. Chamou a atenção a bandeira brasileira no castelo, ora não fosse a terra natal de Pedro Álvares Cabral e ser um dos centros judaicos de Portugal.

A cidade encontra-se bem sinalizada e bem tratada, sendo de visita fácil.

IMG_20210416_171949.jpg

 

Pertinho, ficam estas ruínas de nome estranho Centum Cella. Muito curiosa a sua estrutura havendo várias teorias e lendas da sua função no passado (nomeadamente a de que foi uma prisão).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:06

O egoísmo no Futebol

28.04.21

IMG_20190520_155816.jpg

Nos últimos dias, houve a polémica Superliga europeia cujo conceito ainda antes de nascer, morreu. Durou pouco mais que 2 dias.

 

O que me interessa sublinhar foi que mais uma vez houve um conluio de interesses do mais ricos, para deixar na margem os mais pobres. O caso foi de tal forma mediático que envolveu as altas instituições políticas europeias (até António Costa falou...) e essa pressão fez ruir o projeto. Diria mais esta que os adeptos.

Este exemplo excentrico do futebol mostra a forma como o negócio, os investidores e os Euros podem transformar o desporto em algo perigoso e repleto de desigualdades.

Primeiro eu, segundo eu, terceiro eu. 

Para quem dizia que viemos melhor da pandemia, não viemos! Viemos mais egoístas.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:58

Significado de 25 de abril

26.04.21

IMG_20200718_110129.jpg

Esta semana comemorou-se o 25 de Abril.

Mais do que nunca urge refletir sobre a liberdade, pois cada vez menos pessoas têm noção da sua importância.

 

Hoje em dia e de acordo com o meu ponto de vista existem 3 grandes atentados à democracia portuguesa até pelo que vê nos outros países:

- Corrupção

- Fake news

- Descrédito nos controlos do atual sistema democrático

Vou excluir a pandemia, porque vejo-a como temporária, sendo que pela primeira vez em 47 anos sentimos restrições a sério. Não ao nível de pensamento, publicações, mas ao nível de movimentos e relações pessoais. 

 

A consequência é o aparecimento de movimentos xenófobos, de extrema direita, cujos protagonistas nascem nas televisões. Ninguém sabe muito bem quem são, mas sabe-se do que alimentam. Após um ano de pandemia e umas eleições presidenciais, vemos que o seu peso aumentou (496.000 votos - 5% da população!).

Uma rápida pesquisa permite perceber o porquê: sensação de impunidade, falta de carinho às forças policiais, um sistema judicial que não limita a corrupção nem os incendiários, gerando uma sensação de impunidade e descrédito. A decisão de Ivo Rosa foi mais um argumento para os extremistas.

 

Não vivi em ditadura, mas consigo discernir pela história e olhando para o Brasil e para os Açores, os movimentos militares extremistas não resolveram nada ao nível de corrupção, do amiguismo e lobbyismo. Vemos os crimes ambientais impunes, o incentivo à destruição florestal, a perseguição às minorias, uma gestão negligente da pandemia. Por cá vemos a quem estão associados os negacionistas, as dúvidas no financimento do partido e as trapalhadas açorianas.

 

Olhando para as alternativas democráticas, os meus cabelos ficam a cada semana mais em pé. Vemos o partido da oposição de centro direita a chegar-se ao extremo, a lançar piadas no twitter, a fazer alianças no Açores e a trazer uma pessoa com a ideologia de Susana Garcia para as suas listas. Não sei o que Rui Rio pretende, mas beneficiar a democracia não é. E pior, não sei como nenhum dos "barões" do PSD não o chama à razão. E sendo assim, parece só restar uma opção, a menos má. E quando é "uma" opção, está tudo dito.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:54

Vergonha na ordem de vacinação (post scriptum)

24.04.21

IMG_20190331_113052.jpg

No dia 4 de Fevereiro, usei o título mais agressivo desde que me lembro no blog: "Vergonha na ordem da vacinação".

 

Hoje, dois meses depois foi divulgado o relatório que analisou possíveis inconformidades na ordem de vacinação e a "vergonha" confirmou-se: 62%  das entidades cometeram ilegalidades!! Repito 62%!

 

Surpresa? Nenhuma.

O egoísmo do ser humano veio ao cima

Se há casos discutíveis com sobras de vacinas que até são compreensíveis, outros não são.  E isto foi em Portugal, não foi na quinta de Donald Trump nem de Bolsonaro.

 

Casos como a presidente da Câmara que é "voluntária" no hospital, ou a filha do diretor que também "voluntária" (que oportuno fazer voluntariado em tempos em que as pessoas têm de estar confinadas"), ou o marido da diretora que coincidentemente apareceu à porta do Centro de Saúde ou o presidente da Câmara que só por ser presidente do Lar se achou no direito de tomar a vacina. 

Para estes "voluntários", seria interessante verificar as picagens de entrada no último ano para atestar e veracidade e se estiver a mentir, cumprir pena judicial. Mas isso dá trabalho e vai contra os interesses.

 

Há quem ataque os media, há quem ache que viemos melhor da pandemia. Está aqui a prova que viemos mais egocêntricos e a pensar no nosso umbigo. Eu, como a maioria dos portugueses comuns e sem cunha, continuamos à espera da nossa vez

 

PS: Coloco novamente esta foto novamente da Quinta das Lágrimas. É adequada!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:28

Cascatas de Fervença

21.04.21

As Cascatas de Fervença ficam em Santo Tirso (distrito do Porto) e fazem parte do percurso inicial do Rio Leça.

Optei por conhecê-lo neste tempo primaveril, mas pareceu-me uma boa sugestão para o Verão uma vez que fica coberto de árvores, sendo muito verdejante.

IMG_20210414_153842.jpg

 

O percurso é simples pois as cascatas ficam perto da estrada principal (cerca de 15 min a pé).

 

Iniciamos junto ao Parque de Merendas de Valinhos, com bastante estacionamento e sombra. Optamos por descer o trilho e fazê-lo de baixo para cima. Existem pontes no início e a meio das cascatas. Chamo a atenção que apesar de ser um bom atrativo turístico, está mal sinalizado. 

 

 

IMG_20210414_154950.jpg

Uma vez lá perto, no Monte Còrdova, fmos conhecer o Santuário da Assunção. Tem um belo parque merendas e um parque verde contíguo.

IMG_20210414_161619.jpg

No caminho, mesmo ao lado da igreja cruzei-me com esta paisagem: três árvores consecutivas com três cores consecutivas:

IMG_20210414_161921.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:06

Destes dias - 17 de Abril

17.04.21

- Depois do terramoto do caso José Sócrates e da escolha de juízes feita à medida, vemos agora que 10 deputados vão perder a imunidade parlamentar para serem julgados por darem moradas falsas ao Parlamento, recebendo ajudas de custo indevidas.

Num dos casos, o deputado ficou a viver em casa do irmão (sem despesas de arrendamento e afins), mas deu essa morada para receber ajudas de custo.

Se a isso, juntássemos os estudos de consultoria e pareces para tudo e mais alguma coisa, também haveria muito por onde levantar o tapete...

 

- Esta semana tive que tirar os dias de férias que faltavam de 2020.

sortelha.jpg

 

Devido à pandemia, não arrisquei, fui turistar por Portugal. Aproveitei para fazer um passeio de Primavera pelas aldeias históricas da Beira Baixa.  Em breve partilharei fotos e pormenores, mas por agora, partilho a dificuldade que é fazer fazer refeições fora de casa por estes dias. Se ao almoço, tem que se andar aos achados à procura de uma esplanada, ao jantar ainda é pior. As restrições por mais compreensíveis que sejam vieram abalar fortemente as economias locais e os pequenos negócios. Hoje, sábado, sem esplanadas e com o "take away" para quem anda a viajar das duas uma: i) ou anda com pratos e talheres atrás de si ou ii) não tem outro remédio senão recorrer às multinacionais de fast food, se as houver. Vontade de ajudar o pequeno comércio não falta, mas é uma dor de alma ver tudo fechado.

 

Alguém adivinha onde tirei esta foto?

 

- Parece que foi lançado um novo jornal. Marcadamente político, esperemos que seja um título que resista aos desafios. Porém, é mais um feito da capital e para a capital.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:03

Passadiços da Barrinha de Esmoriz (2021)

15.04.21

Este domingo regressei aos Passadiços da Barrinha de Esmoriz/Lagoa de Paramos.

Estive lá em 2017 e voltei mas destas vez comecei e acabei pela entrada Norte (lado Espinho).

A vegetação estava alta e o nível da água em baixo, mas contínua a ser incrível ouvir o baralho dos bratáquios e aves da barrinha, com aquela sensação de paz que tanto precisamos.

Pelo caminho ainda conheci um novo trilho.

IMG_20210411_104449.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:35

A ditadura da imagem

12.04.21

mudança.jpeg

Há uns meses, um actor da minha idade, chamado Ângelo Rodrigues,  foi parar a uma cama de hospital e com o sério risco de ficar paralítico devido à toma de testosterona por questões de imagem - ficar com o corpo musculado.

 

Esta semana um novo caso em que a ditadura da imagem leva às pessoas a entraram por caminhos esquisitos.

O que vale uma capa da MenHealth?

 

Um cantor, já por si bastante magro, submete-se a uma "mudança de visual" para fazer uma capa de revista masculina, passando por isto: 

 "Estava de rastos. Nem conseguia subir estas escadas. Na fase final, houve uma grande restrição e só podia comer pescada e brócolos, pouco mais do que isso. É algo normal para se fazer uma capa com mais definição de corpo. Vai-se perdendo energia, porque não se está a comer hidratos, não se estão a repor esses níveis. " 

A coisa chega ao cúmulo de a namorada vir para a imprensa queixar-se da falta de apetite sexual do cantor.

 

Cada um é livre de fazer o que quiser, mas esta ditadura do músculos, do body building, da pressão mediática e da ânsia de ser capa de uma revista masculina, leva a sacrifícios que não fazem sentido. Para quê?

 

Há hábitos saudáveis, métricas de massa gorda, proporção de peso e altura que devem ser respeitadas por questões de saúde e bem-estar. Mas quando já se é magro e se passa por extremos para ser capa de revista, algo vai mal que na pessoa que aceita estas medidas, quer em quem as propõe.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:47

As gomas e o Marquês

09.04.21

Ponto prévio: Não gosto de Sócrates, pois uma pessoa que simula a compra dos seus próprios livros para aparecer no top de vendas das livrarias diz muito sobre a sua ética...

 

Sobre a avalanche de informação da Operação marquês na Justiça:

- Não é por ser uma pessoa do poder que tem de ter uma acusação direta, seja o José Sócrates ou Zé da Esquina. 

- É vergonhoso a justiça ser tão lenta que há crimes que prescrevem (e que jeito que isso dá!!!)

- É contrasensual haver primeiro uma prisão e depois a pessoa ser ilibada (seja que pessoa for)

- A mesma justiça que ilibou pessoas do poder económico e político com base em prescrições é a mesma que multa em 200 Euros uma pessoa por comer gomas à porta do Grab and Go.

 

No fim do dia, ficou a imagem de uma Jutiça lenta, cheia de contradições e do lado do mais poderosos, ficando a sensação que os que têm poder safam-se sempre.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:42

Entrevista de recrutamento

02.04.21

Nestas últimas semanas estive envolvido numa nova experiência profissional: fazer uma entrevista de recrutamento.

 

A passagem para o "outro lado", do recrutador, traz sentimentos diferentes.

Realizei apenas 3 entrevistas. Tive de conduzir e fazer a triagem para a última fase, com a minha chefia direta.

 

Os RH na minha empresa fazem o primeiro contacto e filtram logo os perfis que interessam.

À partida procurei  preprar-me bem para a entrevista, analisando cuidadosamente os CV's preparando uma lista de perguntas à priori com aquilo que achei importante saber. Nas três, pedi a alguém da equipa para estar comigo de modo a ter mais uma opinião e também me ajudar na triagem.

 

No início da entrevista, tive sempre o cuidado de agradecer a disponibilidade da pessoa em estar a presente e fazer um enquadramento da função e do estado do departamento o mais fidedigno possível. Apesar de serem pessoas mais novas nunca tratei por "tu", optei sempre o pelo nome próprio.

 

Ao longo das conversas, procurei não ser muito intrusivo na componente pessoal, indo mais pela parte técnica de modo a perceber se era o perfil que procurava. Apercebi-me também da importância das perguntas clichê das entrevistas mas que para determinados perfis fazia todo o sentido ("Quais os pontos fortes? Os pontos de melhoria? Como vê a mudança? Onde se imagina daqui a 5 anos?). As respostas a estas perguntas clássicas ajudam muito a definir se é o tipo de perfil que procuramos.

A pergunta sempre essencial foi o que leva a pessoa a mudar e que o motivou ao ler a descrição das funções. 

 

Porém, o maior sentimento que tive foi o da responsabilidade. No espaço de uma hora, tentar perceber o perfil e ter a responsabilidade de fazer uma escolha que terá consequências, que pode ser um bom ou um mau perfil, que pode ou não adequar-se à equipa e funções que temos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 18:07


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.