Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Mortes no mar

24.06.23

Qualquer morte é de lamentar, sejam ricos poderosos mundiais num submarino a fazer turismo ou sejam pobres migrantes a tentarem uma vida melhor atravessando o Mediterrâneo em barcos lotados e inseguros.

Porém, olhamos de forma diferente, incluindo nos media portugueses, até os mais doutrinários e egocêntricos jornalistas.

Normalizaram-se as mortes de quem tenta uma vida melhor vindo pelo Mediterrâneo, na mão de armadores aproveitadores e sem grandes escrúpulos. Já não vêm nas notícias, nem estão nos radares das nossas rezas e da nossa sensibilidade.

Dois pesos e duas medidas que embora não sendo novas, são sempre criticáveis.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:15

Televendas

17.06.23

tv.JPG

Nos últimos domingos tenho acompanhado e comentado com a Sofia um programa de televisão da SIC. Um concurso muito bem estruturado, inteligente, dinâmico e com um casting completamente anormal. Fugiu ao estereótipo imposto pelos reality shows dos últimos anos e às apresentadoras habituais.

 

A minha avó é consumidora de televisão. Com menos mobilidade, passa mais horas no sofá em frente ao ecrã. É fã do Preço Certo e não gosta das crónicas criminais. Por isso opta pela Praça da Alegria. É fã da CMTV. Diz que lhe faz mais companhia que a Júlia Pinheiro ou o Goucha. Não é fã da calcitrim, nem dos 760, mas vibra com o concurso do Vasco Palmeirim. 

Vem isto a propósito de um comunicado recente em que atesta que um dos principais investidores publicitários televisivos em Portugal são as ... televendas. Isso diz muito do que a televisão se está a tornar.

Com o envelhecimento da população, procuram-se as pessoas mais solitárias, mais disponíveis para ir atrás dos anúncios dos aparelhos auditivos do António Sala ou da Lídia Franco, dos sofás ergonómicos e das pantufas. O público mais jovem foge para o streaming, legal ou ilegal. 

O programa referido acima não teve grandes audiências talvez por obrigar o espetador a pensar e a maioria das pessoas não está para isso. Até nas redes sociais, basta um clique num coração ou no polegar para exprimir uma reação.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:13


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.