Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


A taxa turística

03.10.18

Há dois anos fui a Lisboa em trabalho.

portugal-465234_960_720.jpg

  

Cheguei às 21 h à Estação do Oriente, deixei as coisas no hotel (percorri 200 metros de rua), fui ao Vasco da Gama trabalhar, voltei e no dia seguinte de manhã apanhei o comboio das 9 h de regresso ao Porto.

 

Estive na cidade 12 horas, a maioria em propriedade privada. Como dormi num hotel, paguei 1 € de taxa turística.

 

Pergunto: se uma taxa pressupõe uma contrapartida, o que provoquei à cidade para ter de a pagar? 

Porque razão paguei uma taxa "turística" se dormi em Lx para "trabalhar"?

 

Isto vem a propósito da taxa turística que querem colocar em Fátima. Para o bem ou para o mal, é mina de fazer dinheiro e a pergunta é: o turismo religioso também deve ser taxado? Em que é que a Câmara de Ourém vai aplicar a receita da taxa?

Faz sentido um peregrino vir a pé e quando chega à catedral, se quiser uma cama para descansar, ter de pagar o "extra"? Tem de pagar uma taxa "turistica" se quiser dormir em Fátima na noite da procissão das velas?

 

aqui o disse, que vi uns turistas a urinar na rua na noite do Porto e mesmo com a taxa a ser cobrada não vi ainda colocados mais WC públicos ...

 

Ou seja, tenho sérias dúvidas se a receita da taxa turística é aplicada naquilo que se diz que é, ou é para outros fins ... não turisticos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:14

O estranho regresso da TAP ao Porto

10.09.18

tap_00.jpg

 

A TAP vai reinvestir no Porto, apostando em novas rotas a partir do Aeroporto Sá Carneiro.

Isto dois anos depois dos últimos cortes nas rotas, devido à falta de rentabilidade das mesmas.

Os cortes foram em 2016 e as eleições autárquicas foram no seguinte.

 

Agora, um ano depois essas mesmas eleições as linhas vão ser relançadas. 

Então, se há dois anos não eram rentáveis, agora já são?

 

É muito questionável estas coincidências e as motivações por detrás da decisão das rotas de TAP. Ocorre-me uma palavra: centralismo.

Quem ganhou com esta decisão foram as operadoras privadas e low-cost. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:14

Reality Show Marcelo

07.08.18

O presidente Marcelo anda a visitar e a promover como destino turístico algumas praias e locais do Interior do país. Até aí, parece-me muito bem.

 

O que não me parece bem é um jornalista da SIC ir no banco de trás do carro de Marcelo a fazer perguntas vazias ao presidente, ao estilo reality show.

Duas questões:

- Não é a Internet que mata o jornalismo. É o jornalismo que auto se destroi com conteúdos vaziospatrocinados camuflados e ao serviço das marcas (três exemplos da SIC que já relatei no blog)

- Marcelo foi promover o Interior ou foi-se autopromover? 

 

É que não encontro uma razão lógica para a presença do jornalista na sua viatura! E não percebo como é que há sempre jornalistas que sabem onde Marcelo anda.

Capturar0.PNG

 P.S. Do Sudão do Sul, terra de atrocidades, guerra e na cauda dos indicadores de bem estar e desenvolvimento, chegam notícias de um acordo de paz. Que assim seja!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:18

Dois pesos e duas medidas

16.07.18

transferir.jpgSobre o salvamento da Tailândia, fiquei naturalmente feliz pelo êxito da operação.

 

Porém, vejo com estranheza o excesso de mediatismo com que se olha para a Tailândia (a TVI até enviou a sua diretora adjunta para fazer a reportagem e esta ainda se veio queixar/contar/seja lá o que quiser chamar, que, coitada, teve de dormir no chão).

 

Isto tendo em conta que há refugiados que todos os dias morrem nas águas do Mediterrâneo, alimentados por um sonho e ilusão europeia ou guerra civil da Nicarágua que fez 351 mortos ou a guerra na Síria. Ou seja, são mais vidas em causa, mas com muito menos atenção.

 

P.S.: Na Eritreia e Etiópia chegou ao fim o conflito entre os dois países. Esta boa notícia para o Mundo e para a Humanidade não abriu noticiário.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:56

Cosmética na visita de Angela Merkel

31.05.18

Vi uma reportagem da visita de Angela Merkel ao Porto e houve várias coisas que chamaram a atenção.

 

- Visita ao Porto

Incluir uma cidade que não Lisboa numa visita de estado é novidade. Portugal não é Lisboa. Existe mais país.

 

- A cosmética da amostra

Foi à Bosch, a laboratórios cientificos, passeou pelo Porto e ... o resto do país? O Portugal profundo? O Portugal que foi incendiado em Outubro? 

Ainda assim, concordo com os exemplos mostrados.

 

- A língua

Não percebi a razão de falar alemão, quando muito pouca gente sabe falar alemão em Portugal.

Vá lá, que António Costa também falou na língua nativa, mas haveria necessidade de tradutor se fosse o inglês?

 

- O fecho da ponte D. Luís

O turista e morador comum tem que ir nos passeios curtos e perigosos da ponte. Para a visita de estado fechou-se a mesma. Mais um exercício de cosmética, numa altura em que surgem cada vez mais queixas do perigo dos passeios.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:24

Animais nos restaurantes

23.10.17

Ao que parece, os animais de companhia poderão entrar nos restaurantes, com a devida concordância dos proprietários. Ainda não está claro se ficarão numa zona própria ou se estarão junto dos donos.

dog-eating.png

 

Eu pergunto: qual a pertinência da questão?

Não haverá outras coisas mais graves para legislar sobre os animais de companhia?

  • Quantos casos de maus tratos chegam-nos todos os dias pelos voluntários e clínicas veterinárias que se chocam com a maldade humana perante cães e gatos. Chegam-nos fotografias de animais com foucinhas espetadas no focinho, cães enterrados vivos, gatos atirados pela janela, etc.

    Será que a legislação é suficientemente penalizadora com comportamentos lesivos para o bem estar do animal? Quantas condenações já se teve conhecimento público? I.e., será a lei suficientemente delatória?


  • Sobre os animais, existem ainda os crimes cometidos por donos de cães de raça perigosa que continuam irresponsáveis.

    Em Abril de 2017, um cão que andava à solta, atacou e desfigurou uma criança e o dono fugiu. Presente a juiz, foi posto em liberdade. Na altura, defendi, aqui no blog, uma pena exemplar para a irresponsabilidade do dono. Acusei a Justiça de ser impune para estes casos e alguns comentadores sugeriram para ter calma, que a condenação não era imediata. Passaram 6 meses Pesquisei e não encontrei nada nas noticias sobre o caso. Ou já houve condenação e não foi pública pelos media, ou continua em águas de bacalhau, ou então não houve condenação.

  • Se for para a frente, acho que cabe aos donos o bom senso em saber se o cão se vai comportar no restaurante ou não. Sinceramente, não estou disposição de ir a um restaurante e ter um cão a cobiçar e lamber a beiça com o meu bife.

 

Ou seja, acho que os nossos deputados, pagos com os meus impostos, dever-se-iam preocupar com coisas que realmente importam e afetam o bem estar do animal e dos humanos do que essa questão, que a meu ver, é menor.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:14

O imposto sobre a junk food

18.10.17

Já que a ministra se demitiu e tudo fica resolvido, vamos lá mudar de tema.

O imposto sobre alimentos com excesso de gordura e sal constitui uma poupança futura de impostos. E isso é bom porque vamos deixar de pagar pelos maus hábitos alimentares dos outros.

 

Porquê?

Porque desincentiva o consumo de alimentos preduciais à saúde, que contribuem para a obesidade, hipertensão, diabetes, entre outras doenças, levando as pessoas a opções mais saudáveis. Assim, no presente e futuro recorrerão menos ao Serviço Nacional de Saúde e por isso pagaremos menos impostos para corrigir os erros alimentares do vizinho.

 

Nota: um partido político da geringonça está contra medida. Partilho este exercício teórico e de retórica

"“Não acompanhamos a perspetiva do Governo de abordagem desses problemas por via fiscal".“O Governo considera que o caminho fiscal é uma das abordagens possíveis e necessárias”, mas “nós discordamos, porque entendemos que não é por via fiscal” “nomeadamente ao nível da prevenção e do reforço da capacidade do SNS de fazer essa prevenção, através de campanhas ou de outros mecanismos que levem a uma redução do consumo excessivo de alimentos com sal”.  Ver aqui

Sim, senhor, estou espantado com a solução proposta. Há quantos anos há doenças com o excesso de consumo de sal? Estamos em que ano? Enfim... quando se quer ser do contra, saiem estas teorias extremante ... eficazes 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:58

O discurso em Portugal e em Espanha sobre os incêndios

17.10.17

Hoje sim, podemos falar em demissões e avaliar o que correu mal.

Os fogos estão apagados, já chove e o pior já passou (porque efetivamente não há muito para piorar).

 

Aos terroristas, Espanha declarou guerra. Ontem o discurso era de revolta e de perseguição aos criminosos (minuto 2)

 

Em Portugal, andou-se (e anda-se) com paninhos quentes e os opinion makers pediram demissões, mesmo com populações em perigo.

Mais uma vez one step below. Será cultural?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:07

Terrorismo

16.10.17

Quando um islâmico coloca uma bomba num metro numa grande cidade,lança-se o alarme, os alertas e chamam-lhe terrorismo.

Em Portugal, ontem, houve fogos com mão criminosa, em muito maior dimensão e extensão territorial do que há quatro meses, destruindo muito pulmão verde e "lamenta-se". 

 

Não será um incendiário intencional um terrorista?

O que aprendemos com Pedrógão?

22490176_1718080128203538_4458365623924421542_n.jp

 

 Hoje, dois jornalistas de renome, pediam a demissão da ministra. Mas é isso que interessa neste momento? Depois de 36 mortos e uma série do fogos ainda ativos, esta malta só pensa em política, demissões e click baits? Se tivesse ardido a casa deles ou morrido a mãe deles,queria ver se vinham com essa demagogia?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:42

E falarmos das ... autárquicas?

02.10.17

Ontem houve eleições no poder autárquico, mas só se fala do poder central. A abstenção baixou, as pessoas decidiram o futuro das suas cidades, mas os media só falam do Passos Coelho e apenas para deitar abaixo. É mais fácil criticar.

 

Alô? E que tal falar das cidades? Dos movimentos cívicos? Das ideias vencedoras?

A primeira notícia fora de Lisboa que foi a eleição de Rui Moreira surgiu apenas à 20h25m. Como podem os portugueses estar contentes com a política e em vez de se discutir os sues problemas, discute-se a liderança do ... PSD.

 

Várias notas de ontem:

voto_UNIAREA.jpg

- Existe Lisboa, Porto e.. Loures e Oeiras

Ou seja, só os candidatos polémicos merecem holofotes.

 

- Afinal o presidente não voltou

Qual um dos piores defeitos do ser humano? Ser arrogante. Valentim Loureiro assim se portou na campanha achando que eram favas contadas.

 

- O concelho do país com maior % de licenciados elegeu democraticamente um candidato condenado por corrupção precisamente no cargo de vereador da Câmara. Serei só eu que acho que os portugueses só se podem queixar de si próprios.

 

- Derrota de preconceito

Dois candidatos (um no Porto outro em Loures) usaram um discurso preconceituoso na campanha (um contra os monárquicos, outro contra os ciganos). Nenhum alcançou os seus objetivos

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:27


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.