Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A roda de um avião em Cabul

22.08.21

cabyl.jpg

Nestes últimos dias, temos assistido a imagens chocantes vindas do Afeganistão.

Em pleno ano de 2021, as gerações mais novas (onde eu me incluo) estão a ser confrontadas com uma realidade que não costumamos ver. As televisões têm dado um amplo destaque à tomada do poder dos Talibãs no país.

Um cenário de desespero e medo de um povo que já sabe o que o espera e que muitos de nós até aqui preferia fazer zapping quando notícias breves chegam de África ou do Oriente. Nestes dias, têm-nos impingido esta realidade com muitas questões éticas e de direito humanos.

Vemos e sabemos de um regime extremista, muito violento, militar, sem sensibilidade e sem humanidade.

 

Ouvia ontem um relato hediondo e perturbador de uma prática medieval que os Talibãs fizeram aos seus opositores nesta perseguição. Quando lemos as regras para as mulheres e crianças e a "caça às bruxas" perguntamo-nos como é possível em 2021. Que sorte temos estar em Portugal.

 

Enquanto Joe Binden se acobarda na decisão de Donald Trump (será que dar margens a inimigos sem escrúpulos é ter uma missão concluída?), a China recolhe imagens de calma em Cabul (porque será? ...), vemos uma imagem impensável. Pessoas agarradas à roda de um avião a fugir dos seus novos lideres. Numa tentativa de sobreviver, escolheram a morte menos dolorosa.

 

É chocante! Houve quem dissesse que viemos melhor da pandemia. Eu só vejo pior!

 

E há outra coisa: as razões para invadir o Afeganistão estiveram relacionadas com o ataque terrorista do 11 de Setembro e para desmembrar a AlQaeda. A pergunta é: quando será o próximo ataque terrorista? Com Joe Binden não deverá ser, mas daqui a uns anos ...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:56


19 comentários

Imagem de perfil

De Francisco Carita Mata a 22.08.2021 às 17:39

Tão verdade o que escreve. Saúde!
Imagem de perfil

De cheia a 22.08.2021 às 19:41

Para que haja mudança é preciso que a maioria do povo esteja de acordo. Foram 20 anos de guerra, que não conseguiram implementar um novo regime. Espero que não tenha sido tudo em vão, que a população exija um novo regime, o que não é fácil.
Boa semana!
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 22.08.2021 às 19:49

sendo um poder militar, imposto pela força é mais complicado. Em poucas horas, conquistaram a capital.
Sem imagem de perfil

De Ricardo Santos a 22.08.2021 às 23:06

O velho problema dos povos extremistas para quem o Ocidente deu armas e avivou o "sentimento" de guerra !
Temos má memória, mas não nos podemos esquecer que em tempos os católicos faziam cruzadas contra o que chamavam de infiéis.
Devemos ajudar os Povos e nós andarmos sempre a meter o "bedelho" onde não somos chamaddos. Pois o petróleo, o o poder, o dinheiro. Somos uns "santinhos"
Temos TODOS de pensar na realidade quem somos e aquilo que fizemos no Mundo !!!
Sem imagem de perfil

De Pedro Coimbra a 23.08.2021 às 08:16

Impor modelos que são estranhos aos locais dão estas borradas.
Mais a mais quando não se conhece o terreno e a população.
Sem imagem de perfil

De Claudia a 23.08.2021 às 11:23

Eu sei que nem toda a gente está preparada para mas...
Uma bomba lá para o meio e acabou.
Deus me perdoe, mas há coisas que é demais e Às vezes parece que não querem ser ajudados.

Não consigo falar mais.

Beijocas
Imagem de perfil

De Andy Bloig a 23.08.2021 às 11:26

Aquela região do globo é muito ao estilo tribal. Ainda pior que os líderes são os membros das seitas...sorry... religiões locais. Agora parecem muito unidos, que todos seguem aquela direcção de "vamos liderar, com o Al Corão mas, dar margem para evoluir". Assim que o aeroporto fique sem militares americanos (muito mais eficazes e que geram medo nos grupos de guerrilheiros), vão começar as guerras internas, onde surge tudo o que é abuso.
Para um ataque terrorista, é preciso voltarem a montar a rede de tráfico de ópio, cocaína e heroína. Os americanos praticamente erradicaram as duas últimas. O ópio ficou, em pequenas produções, porque é usado pelos líderes locais como tabaco. Ainda vão demorar uns anos até restabelecer toda a estrutura, ainda para mais, com o Paquistão a ter cortado estruturas locais deles, vão ter de se mudar para o Irão, que tem muitas sanções e a fronteira com a Turquia está bem controlada, devido aos terroristas andarem por lá e o Erdogan não querer os que não controle. Do lado do Iraque é a mesma coisa... pelo menos, até as forças ocidentais se virem embora.
Imagem de perfil

De Di a 24.08.2021 às 11:44

Não tenho palavras para descrever, o que está a acontecer... para mim, o 11 de setembro foi um marco na mudança da humanidade, e sim outros ataques vão surgir, com maior gravidade...
A pandemia mudou-nos? não, desculpa a expressão mas as pessoas andam destrambelhadas, fazendo uso da pandemia para tudo, que estão nervosas e bla bla bla, e nós? eventualmente não passamos pelo mesmo...

beijinhos
Imagem de perfil

De João Silva a 24.08.2021 às 14:32

Confesso que estou muito distanciado de notícia, há muitos meses. Às vezes nem sei o que é ligar uma televisão. Não tenho problemas em assumi-lo em vez de estar aqui a dar uma de intelectual. Ainda assim, é impossível não ter sentido crítico perante isto, tão como é inevitável ficar chocado. Por muito egocêntrico que o seguinte pensamento seja: não posso mudar o que está a acontecer lá, embora lamente muito o que aquelas pessoas estão a passar, mas isso não significa que me passe ao lado. Lá está, para nós, que vivemos num país de sonho ao pé daquele, é inconcebível pensar no que vai acontecer a toda aquela gente. E quando se percebe que preferem morrer desta forma, está tudo dito. Posto isto, uma outra forma de ver tudo isto é contribuir para que valores como equidade e liberdade sejam mantidos no nosso país. Para que aqueles que saem de lá também possa vir para cá.
Imagem de perfil

De MJP a 24.08.2021 às 20:30

Partilho da Tua opinião!
Boa noite!
Cuida-te!
Imagem de perfil

De Sofia a 26.08.2021 às 12:19

A mentalidade dos talibãs, nada tem a ver com a pandemia!
É algo que nunca mudará.
Por um lado compreendo o Binden, durante estes anos todos morreram muitos soldados.
Soldados esses, que não estão a defender o seu país, nem a travar uma guerra que é deles.
Tem que se ajudar, mas com outra solução.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 29.08.2021 às 21:17

"Soldados esses, que não estão a defender o seu país" - será que não estão? A AlQaeda nasceu lá e um ódio tribal ao Ocidente pode desencadear um novo atentado terrorista.
Imagem de perfil

De Sofia a 29.08.2021 às 21:22

Os americanos nasceram aonde? Durante anos meteram o bedelho em território alheio. O Vietname, foi outra sangria. E impõe sempre pela força. Porque achas que aconteceu o 11/9? Ocupação, alheia por causa do petróleo. Protegemos o nosso pais, no nosso país. Não invadindo territórios estrangeiro. Chega de mortes sem sentido. Os extremistas, não se importante de morrer.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 29.08.2021 às 21:27

Os talibans vêm uma morte como algo trivial, sem qualquer tipo de sensibilidade. Práticas ancestrais que não lembram a ninguém ...
Imagem de perfil

De Sofia a 30.08.2021 às 10:30

Eles são extremistas assassinos, que têm á sua espera 72 virgens, no paraíso islâmico.
Não têm medo de nada.
Nunca nenhum de nós ocidentais vai entender esta mentalidade.
Por isso quanto menos te meteres neste tipo de países melhor, muito menos invadi-los.

Comentar post


Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.