Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Cenas de supermercado

06.06.19

Esta cena passou-se domingo no Lidl.

 

Do nada, oiço bem alto:

- Oh filha da puta, ou paras de andar atrás de mim, ou chamo o meu marido para te foder os cornos.

 

Olho e vejo o segurança, três mulheres de etnia cigana de saias e já dois colabodores de reposição no mesmo corredor.

O segurança tranquilo e sorridente, responde 

- Estou a fazer a ronda normal.

- Estás o caralho.

 

Fez-se o silêncio tenso e as mulheres saíram sem compras e o alarme não tocou.

 

Como não quero ser acusado de nada, deixo para vocês os comentários.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:35


34 comentários

Imagem de perfil

De Luísa de Sousa a 06.06.2019 às 18:40

Ahahahah .... tadinho do segurança, estava a fazer o seu trabalho!
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 06.06.2019 às 21:04

Muita má criação. Coitado do segurança.
Sem imagem de perfil

De Alala a 06.06.2019 às 18:44


Imagem de perfil

De cláudia silva a 06.06.2019 às 19:00

Digamos que é uma situação bastante critica que eu também prefiro não comentar. Digo apenas que me entristece.
Imagem de perfil

De Sofia a 06.06.2019 às 20:02

Eu digo por ti, os ciganos estão sempre prontos para apanhar alguém distraído! Não, venham dizer que é racismo. Quem liga com eles sabe o que a casa gasta...
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 06.06.2019 às 21:29

Os termos que a mulher usou e as ameças que fez reve,lam má criação.
Imagem de perfil

De Sofia a 06.06.2019 às 21:32

É tipico!
Sem imagem de perfil

De Cláudia a 06.06.2019 às 20:04

Não, também prefiro ficar calada lol

Beijocas
Imagem de perfil

De cheia a 06.06.2019 às 20:21

O que contas é muito triste! Se não querem que andem atrás delas, têm de fazer por merecer confiança.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 06.06.2019 às 21:03

fez-me confusão a má criação e os termos usados.
Imagem de perfil

De cheia a 06.06.2019 às 22:30

A mim, o que me faz confusão, é que não estejam disponíveis para serem revistados ao sair do estabelecimento. Se me aperceber que há dúvidas, so eu que peço para
revistarem, averiguarem.
Imagem de perfil

De Sarin a 06.06.2019 às 21:07

E isso, caro cheia, é julgar os indivíduos como um todo :(
As mulheres em causa eram culpadas de algo mais que serem de etnia cigana?
Imagem de perfil

De cheia a 06.06.2019 às 22:18

Não sei! O que sei, é que existem membros de etnias, não é só na cigana, nos quais,outras etnias não confiam. Neste caso não sei se já havia antecedentes.
Imagem de perfil

De Sarin a 06.06.2019 às 22:27

O problema é esse. A confiança não se dá a etnias mas a pessoas, e ou se desconfia de todas - e se colocam mecanismos de detecção à saída da caixa (à saída do estabelecimento não tem muita lógica, o infractor deve ser detido dentro da loja) - ou se confia em todas; agora desconfiar de umas e não de outras... os franceses desconfiavam dos argelinos e dos portugueses, os portugueses dos galegos e dos brasileiros, os brasileiros dos argentinos e dos portugueses. Falamos de Portugal a lidar com cidadãos portugueses. Que obtiveram a cidadania há menos de 200 anos, por mais de 300 anos párias. E que agora uns culpam e outros desculpam, deixando-lhes pouca margem para serem cidadãos por si mesmos.
Imagem de perfil

De C.C. a 06.06.2019 às 21:05

Comento sem comentar...
Imagem de perfil

De HD a 06.06.2019 às 21:08

Até o alarme estava a assediar a senhora??? xD
Imagem de perfil

De Sarin a 06.06.2019 às 21:11

Vinda de um trabalho de campo em área onde me estreava, parei num cafezito de borda de estrada para beber uma água, e tendo estado entre animais não estava lá muito apresentável - mas era isso ou desidratar durante mais uns quilómetros. O dono ignorou-me ostensivamente e o empregado foi tratar de um qualquer assunto antes de ter de me atender, mas quando um dos produtores que havia visitado de manhã entrou e me cumprimentou, o dono quase se desfazia em desculpas. Perguntei-lhe onde era a loja mais próxima, pois precisava de comprar água.
Ser julgada pela aparência pode despertar a ira em quem é julgado.

O caso que apresentas é um daqueles em que a pro-actividade passaria pela inacção.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 06.06.2019 às 21:15

Não vi se o segurança foi intrusivo, mas não justifica os termos malcriados usados.
Imagem de perfil

De Sarin a 06.06.2019 às 21:24

Já os vi serem usados por gente proeminente em situações bem menos atentatórias da sua dignidade, nem vou pela boa ou má educação. Como disse, pessoas iradas exacerbam as reacções.
Sem imagem de perfil

De Andreia Morais a 06.06.2019 às 21:15

Este género de situações provoca-nos sempre sensações muito ambíguas, sobretudo, porque não conhecemos todos os dados da história. Só os nossos preconceitos

Comentar post


Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Blogs Portugal