Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Leviandades

16.05.21

IMG_20200723_132156.jpg

Esta semana, dois atos irrefletidos mostraram que estamos a promover uma sociedade cada vez menos inclusiva e estamos piores no pós confinamento.

 

- "Preta" numa notícia da Ag. Lusa

Um jornalista de política que costuma noticiar a extrema direita publicou uma notícia em que numa lista de nomes colocou entre parêntesis o adjetivo "preta" para assinalar que pessoa tinha côr de pele negra. Intencional e racista.

O facto passou despercebido ao editor e a todos os jornais que se limitaram e se limitam a fazer copy paste das notícias de agências para encher páginas e mostrar conteúdos aos anunciantes. Desta vez a preguiça saiu cara (aliás irrita-me os jornais obrigarem a fazer o login num "Nonio" para depois se limitarem, em 90% dos conteúdos, ao copy paste da Lusa - chegamos ao ponto de termos a mesma notícia exatamentr igual em todos jornais). Uma falha grave não foi detetada e levaram todos por tabela. Rolou a cabeça do editor, mas não sei o que aconteceu ao jornalista. O despedimento era o certo numa empresa privada, mas sendo a Agência Lusa...

 

- "Gorda" numa novela

Tanto se quer ter piada, que a graçola se torna em ofensa. Uma personagem ridiculariza e inferioriza as pessoas com excesso de peso, sem qualquer reprovação da contrapersonagem, na circunstância um padre. Representam o "vale tudo" de guionistas e atores que não questionam criticamente o texto apenas para aparecerem na ribalta e captar mais um like ou audiência.

 

Dois exemplos levianos que mostram a sociedade: o preconceito gratuito, o extremismo e repito o que disse no texto da ditadura da imagem do Diogo Piçarra. Neste pós confinamento, estamos a distanciarmo-nos de uma sociedade inclusiva e daquilo que os nossos pais e a escola nos ensina, que é respeitarmos os outros como eles são, a pormo-nos na pele do outro e a não gozar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:06


25 comentários

Imagem de perfil

De CHOC a 16.05.2021 às 14:40

O recorde da estupidez, foi o jornalista da agência LUSA, não ter sido despedido depois do episódio.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 17.05.2021 às 22:58

Entretanto se verá o que vai acontecer, mas ... é tudo muito leviano.
Imagem de perfil

De cheia a 16.05.2021 às 14:49

Cada vez estamos mais radicalizados. Da politica ao futebol, do jornalismo à escola.
Bom domingo
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 17.05.2021 às 22:48

Está tudo a andar em sentido contrário :(
Imagem de perfil

De MJP a 16.05.2021 às 16:57

"estamos a distanciarmo-nos de uma sociedade inclusiva e daquilo que os nossos pais e a escola nos ensina, que é respeitarmos os outros como eles são, a pormo-nos na pele do outro e a não gozar."
Uma triste realidade, infelizmente!
Bom domingo!
Cuida-te!
Imagem de perfil

De Luísa de Sousa a 16.05.2021 às 17:11

Em vez de avançarmos para uma sociedade melhor ... dá-me a sensação que estamos a recuar cada vez mais!

Beijinhos
Resto de Bom Domingo
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 17.05.2021 às 22:43

Como diz a Maria, qto mais tecnologicamente avançados estamos, mais regredimos!
Imagem de perfil

De Sofia a 16.05.2021 às 17:21

A sociedade está cada vez mais egoísta e egocêntrica. Nada de novo. Agora é grave a " gralha" do jornal ter passado por vários.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 17.05.2021 às 22:42

é o desleixo, "copy paste" e preguiça em se limitarem a clicar no botão "publicar". Tudo errado aqui.
Sem imagem de perfil

De Pedro Coimbra a 17.05.2021 às 03:18

E por outro lado a ser super-sensíveis, vidrinhos.
Vá-se la entender.
Boa semana
Sem imagem de perfil

De Claudia a 17.05.2021 às 10:00

A sério que isto aconteceu? Anda tudo louco, a sério.

Beijocas
Imagem de perfil

De Maria Araújo a 17.05.2021 às 12:11

Eu digo muitas vezes que quanto mais progredimos na tecnologia, e porque a tecnologia veio trazer muita coisas coa, mas trouxe outros males pois regredimos nos valores , no convívio com os outros, e muito nos afectos, que fazem muito, muita falta.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 17.05.2021 às 22:10

E diz bem. Parece cada vez pior.
Imagem de perfil

De Daniela a 17.05.2021 às 12:46

Só o que conta é as vendas, as audiências..
Ninguém pensa que chega o fim do dia, acabam as gravações e aquela pessoa teve de ser chamada daquele modo. Ou é muito forte ou então não sei.

Pelo que sei o jornalista, não foi despedido depois dessa "maravilhosa palavra"

Estamos num excelente caminho..
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 17.05.2021 às 21:50

Parece que damos passos atrás na inclusão :(
Imagem de perfil

De Andy Bloig a 17.05.2021 às 15:21

O jornalista foi "dispensado" ou "demitiu-se", dependendo da fonte, ficando a trabalhar até terminar o processo disciplinar, depois de terem aceite a demissão do director. O jornalista Hugo Godinho, é um reconhecido membro do Chega e que está na lista para ser candidato a um cargo de vereação na Câmara Municipal de Lisboa.
Sobre as cópias de notícias, é a forma mais barata de fazer jornalismo... um script instalado em qualquer canto do mundo publica. Ainda há poucos dias, aconteceu o mesmo em quase todos os sites e redes sociais, numa notícia sobre a descoberta de uma aldeia, dos tempos da idade do bronze, no fundo de um lago em Lucerna, Suiça. Quem traduziu aquilo não notou que num dos parágrafos, a noticia original tinha Swiss, em vez do nome completo, o tradutor foi à procura da palavra mais próxima que seja um país... Suécia. Em poucos parágrafos, Lucerna passou a estar num lago, que faz fronteira com a Suécia e que foi uma barragem sueca a encher o lago. Mesmo depois de avisado (creio que o primeiro foi na Rádio Renascença, que corrigiram em poucos minutos, depois das reclamações) a maioria dos sites, ainda hoje, tem a referência à Suécia, como 99,999% dos leitores não chega a meio do texto, poucos reclamam e mais ninguém dá por isso.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 17.05.2021 às 21:24

Eu vi uma foto partilhado do jornalista num comício do Chega, mas poderia ser ele a passar no palco e aproveitarem para fazer uma "fake" news. É destas incoerências que não percebo. Porque põe um jornalista que está nas listas autárquicas a ... fazer jornalismo de política.
Possivelmente, o editor até é o menos culpado. Pode-lhe ter sido imposto. Não sei.
É uma forma barata e preguiçosa. :(
Imagem de perfil

De Andy Bloig a 17.05.2021 às 21:56

Quando existe possibilidade de terem "alguém no palco", é mais fácil arranjar informações. Um membro do partido será uma fonte de notícias antes de todos os outros saberem.

Comentar post


Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.