Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Mummydaddy blogs ou mummydaddy business?

04.01.17

9053-large.jpg

Sigo apenas um daddy/mummy blog business no meu Facebook pessoal. Na rede de blogs do Sapo, costumo visitar alguns blogs de mães que partilham peripécias e algumas fotos, mas privacidade e reserva q.b. e não se enquadram nesta crítica.

 

Nessa tal página, mais ou menos, um em cada 5 posts tem um link para páginas de marcas: ou do vestido, ou dos sapatos, ou dos brinquedos, ou do cabaz de produtos biológicos, ou disto, ou daquilo. Todos os dias há um post com a cara da criança e meloso.

 

Mas tanto exagero, leva-me a questionar:

   - pode o crescimento de uma criança servir de negócio?

   - esta mercantilização dos filhos é éticamente aceitável?

   - faz sentido colocar uma foto de corpo inteiro de uma criança e colocar 5 links, um para cada peça de roupa?

   - faz sentido colocar vídeos com um agradecimento a um espaço de animação infantil com o link (claro)?

   - faz sentido mostrar fotos diárias de uma criança numa página aberta a todo tipo de pessoas, mesmo até às mais maldosas?  

   - faz sentido esta exposição da criança?

   - até que ponto se usam os filhos para a vaidade e promoção social?

Cada um é livre de postar o que quiser dos filhos. Vê quem quer, mas também critica quem discorda.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:07


9 comentários

Imagem de perfil

De HD a 04.01.2017 às 22:46

Ora cá está :)
Da forma como descreves e isentas outras postagens similares, só pode ser aproveitamento claro!
Crianças + links para compras = faturar à pala do pequeno!
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 04.01.2017 às 22:48

Acho aproveitamento financeiro e social (tipo caça-like e a "minha filha/o é espetacular..."). É só show-off.
Imagem de perfil

De HD a 04.01.2017 às 22:50

É mesmo isso!
Os pais perdem voluntariamente a sua identidade para serem tutores e educadores especializados de crianças maravilhosas, TODAS! ;)
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 04.01.2017 às 22:53

era para referir isso tb no post, mas já ficava muito longo. As crianças desses pais bloggers nunca fazem birras, não amuam, nem nunca levam palmadas quando fazem asneirolas... São "maravilhosas"...
Imagem de perfil

De HD a 04.01.2017 às 22:54

É por aí que me revolto: são perfeitas!
E toda a gente quer crianças serenas, educadas e exemplares :)
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 04.01.2017 às 23:01

Este tema é tão... mas tão... parabéns ao senhor que fecha a porta! É tão mas tão... que até vou digerir isto para cá voltar amanhã.
Bom tema.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 04.01.2017 às 23:04

LOL Passa por cá então para dares a tua opinião :)
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 05.01.2017 às 09:30

Confesso que é o tipo de blogues que não me atrai, por mero gosto ou opção... acho que se chega a um ponto em que é demais e andamos a "encher papel".

Cada um, contudo, é livre de ter um blog para o que quiser, de facto e... também é livre de financiar o mesmo com publicidade... não é por acaso que as marcas procuram e tentam patrocinar os chamados influencers...

Creio que, patrocinado ou não, o autor do blog se deve posicionar: é um blog publicitário? É sujeito a influências de quem paga? É neutro e apesar dos patrocínios tem independência? Penso que esse esclarecimento é fundamental.

Quando falas da exposição das crianças... vivemos na era da imagem, em que toda a gente quer mostrar, maioria das vezes, aquilo que não é... conheço situações em que as pessoas não vivem realmente... vivem para "postar" e é assim quando vão aqui ou acolá ou até quando estão sem programa.

As crianças? É uma opção, eu não o faria, mas não deixa de ser uma opção... no entanto, ganhar dinheiro com as crianças? Porque é que aqui não se aplica uma conotação com "trabalho infantil"? Eu se tiver um filho de 10 anos e este me ajudar, por exemplo, num supermercado pode ser considerado trabalho infantil...

A Internet confunde-se, hoje em dia, com a realidade, no entanto as leis que regem a realidade não estão, de todo, preparadas para a Internet, mesmo que, muitas vezes, o dolo ou a infracção praticadas sejam semelhantes.

Em tom de brincadeira (mais ou menos), confesso que, tudo o que é demais e forçado é algo que não me agrada...
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 05.01.2017 às 22:53

Acho estes blogs/páginas de Facebook de show-off, em que forçosamente todos os dias tem de haver uma foto ou um post sobre qualquer coisa (sempre melosa, nada de birras ou amuos) para obter likes, agradar às marcas e satisfazer egos.

Eu vou ainda mais longe do trabalho infantil: a falta de privacidade. Toda a gente sabe o que a criança fala, veste e onde passa o sábado de manhã. Pode o crescimento de uma criança, os seus vídeos e fotos, estarem acessíveis a toda a gente? Tanto exagero acaba por ser enjoativo.

Cada um é livre de postar o que quiser dos filhos. Vê quem quer, mas também critica quem discorda.

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.