Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Mummydaddy blogs ou mummydaddy business?

04.01.17

9053-large.jpg

Sigo apenas um daddy/mummy blog business no meu Facebook pessoal. Na rede de blogs do Sapo, costumo visitar alguns blogs de mães que partilham peripécias e algumas fotos, mas privacidade e reserva q.b. e não se enquadram nesta crítica.

 

Nessa tal página, mais ou menos, um em cada 5 posts tem um link para páginas de marcas: ou do vestido, ou dos sapatos, ou dos brinquedos, ou do cabaz de produtos biológicos, ou disto, ou daquilo. Todos os dias há um post com a cara da criança e meloso.

 

Mas tanto exagero, leva-me a questionar:

   - pode o crescimento de uma criança servir de negócio?

   - esta mercantilização dos filhos é éticamente aceitável?

   - faz sentido colocar uma foto de corpo inteiro de uma criança e colocar 5 links, um para cada peça de roupa?

   - faz sentido colocar vídeos com um agradecimento a um espaço de animação infantil com o link (claro)?

   - faz sentido mostrar fotos diárias de uma criança numa página aberta a todo tipo de pessoas, mesmo até às mais maldosas?  

   - faz sentido esta exposição da criança?

   - até que ponto se usam os filhos para a vaidade e promoção social?

Cada um é livre de postar o que quiser dos filhos. Vê quem quer, mas também critica quem discorda.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:07


42 comentários

Imagem de perfil

De HD a 04.01.2017 às 22:54

É por aí que me revolto: são perfeitas!
E toda a gente quer crianças serenas, educadas e exemplares :)
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 04.01.2017 às 22:59

É isso mesmo HD! Representam o estereótipo da perfeição para caçar mais likes e ter mais patrocínios de marcas. É isso que vende.
Quem quer estar associado a uma criança que chora, berra, amua e pinta a manta?
Imagem de perfil

De HD a 04.01.2017 às 23:00

Ninguém!
Mas ninguém se insurge contra esta questão.
É de mau tom fazer críticas a famílias felizes... :)
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 04.01.2017 às 23:01

Este tema é tão... mas tão... parabéns ao senhor que fecha a porta! É tão mas tão... que até vou digerir isto para cá voltar amanhã.
Bom tema.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 04.01.2017 às 23:04

LOL Passa por cá então para dares a tua opinião :)
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 05.01.2017 às 09:30

Confesso que é o tipo de blogues que não me atrai, por mero gosto ou opção... acho que se chega a um ponto em que é demais e andamos a "encher papel".

Cada um, contudo, é livre de ter um blog para o que quiser, de facto e... também é livre de financiar o mesmo com publicidade... não é por acaso que as marcas procuram e tentam patrocinar os chamados influencers...

Creio que, patrocinado ou não, o autor do blog se deve posicionar: é um blog publicitário? É sujeito a influências de quem paga? É neutro e apesar dos patrocínios tem independência? Penso que esse esclarecimento é fundamental.

Quando falas da exposição das crianças... vivemos na era da imagem, em que toda a gente quer mostrar, maioria das vezes, aquilo que não é... conheço situações em que as pessoas não vivem realmente... vivem para "postar" e é assim quando vão aqui ou acolá ou até quando estão sem programa.

As crianças? É uma opção, eu não o faria, mas não deixa de ser uma opção... no entanto, ganhar dinheiro com as crianças? Porque é que aqui não se aplica uma conotação com "trabalho infantil"? Eu se tiver um filho de 10 anos e este me ajudar, por exemplo, num supermercado pode ser considerado trabalho infantil...

A Internet confunde-se, hoje em dia, com a realidade, no entanto as leis que regem a realidade não estão, de todo, preparadas para a Internet, mesmo que, muitas vezes, o dolo ou a infracção praticadas sejam semelhantes.

Em tom de brincadeira (mais ou menos), confesso que, tudo o que é demais e forçado é algo que não me agrada...
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 05.01.2017 às 22:53

Acho estes blogs/páginas de Facebook de show-off, em que forçosamente todos os dias tem de haver uma foto ou um post sobre qualquer coisa (sempre melosa, nada de birras ou amuos) para obter likes, agradar às marcas e satisfazer egos.

Eu vou ainda mais longe do trabalho infantil: a falta de privacidade. Toda a gente sabe o que a criança fala, veste e onde passa o sábado de manhã. Pode o crescimento de uma criança, os seus vídeos e fotos, estarem acessíveis a toda a gente? Tanto exagero acaba por ser enjoativo.

Cada um é livre de postar o que quiser dos filhos. Vê quem quer, mas também critica quem discorda.
Imagem de perfil

De Robinson Kanes a 06.01.2017 às 09:34

Respondendo à tua questão: pode! Por enquanto ainda pode, isto do ponto de vista legal. As consequências futuras, e mais tarde ou mais cedo estes casos vão começar a surgir como cogumelos, é que podem obrigar a alterações na lei. Para o mal ou para o bem, enquanto menor está sob "jurisdição" dos pais.

Se eu o faria? Mais uma vez, não!

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.