Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O abanão Marega

17.02.20

Não ligo muito a futebol, mas vamos falar de racismo, de coragem, bom senso e claques.

marega.jpg

Marega surpreendeu tudo e todos, mesmo os que insistiam em não querer ouvir, ao desistir do jogo de futebol (no exercício da sua profissão) em prol de um valor: respeito pela raça e dignidade humana.

Admiro a sua coragem. A coragem a muitos que preferem o silêncio, as queixas sem resultado (apenas multas) ou atitudes igualmente baixas como mostrar o rabo.

O jogador fez muito bem em desistir. Em dizer chega! Podem discordar das suas opções contratuais, mas nunca equipará-lo a um macaco.

 

Esta atitude permitiu despertar consciências e alertar para aquilo que o futebol português se está a tornar: perigoso, dominado por uma elite fanática à procura de tempo de antena.

 

Porém, não dramatizo e acho que somos um país racista.

Não somos.

Nem estamos mais racistas do que há dez ou vinte anos atrás.

 

O futebol em Portugal vive muito de emoção e pouco de razão.

As claques é um tema que dá pano para mangas. A sua intenção é boa: juntar um grupo de adeptos que tem em comum o gosto por um clube.

O que vimos nos últimos meses:

- Uma claque com cânticos a desejar a morte ao adversário, numa alusão ao avião da Chapecoense

- Uma claque a invadir o centro de estágios da sua equipa para dar uma coça nos jogadores

- Uma claque a perseguir o presidente que lhes retira privilégios (se os contestatários que insultaram o presidente Varandas se revoltassem assim com outros temas da sociedade, secalhar estaríamos melhor).

- Uma claque com insultos racistas a um jogador negro

- Duas claques em confrontos provocando uma morte e um pacto de silêncio.

.... e muito mais que não sabemos (ou não há notícias públicas)

 

Estas más consequências e poder são transversais a todos os clubes. Chegou a um ponto que pode deixar de ser benéfico.

 

Hoje em dia, as estações de televisão com dezenas de programas no Cabo, fazem de tudo para ter audiências. Contratam comentadores que se prestam ao papel de incendiários para ter uma avença e se queremos um futebol digno temos de corrigir as várias vertentes.

Não é só claques, campanhas de sensibilização, multas, jogos à porta fechada e comentadores. É tudo ao mesmo tempo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:25


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.