Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O SNS no pós covid

19.06.22

Nos últimos dias temos sido confrontados com problemas no SNS. Não são greves (agora que o PCP saiu do Governo os sindicatos acordaram), mas a falta de médicos e a contínua agressão a esses profissionais.

 

Mais do que em qualquer dos outros meses, a comunicação social está a dar amplo destaque ao caos que reina na Saúde. Entre falta de médicos, escalas mal feitas, uma coisa parece certa: uma enorme falta de planeamento, desorganização e muito desleixo.

Se na pandemia, todos elogiamos o desempenho dos lideres da saúde em Portugal, mesmo sabendo o custo que teve ao nível da desvalorização de outras doenças e da camuflagem de problemas crónicas, agora a bomba explodiu. Uma crise simultânea em vários hospitais.

Será que alguém já parou para pensar o que sente a família do bebé que morreu nas Caldas da Raínha? 

Haver problemas é normal, mas é preciso saber resolvê-los.

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 18:18


8 comentários

Imagem de perfil

De Andy Bloig a 19.06.2022 às 19:49

Maioria das situações são habituais... desde 2015 que o São Bernardo (Setúbal) deixou de atender grávidas, nos fins de semana de Junho a Setembro. Tiveram um concurso público aberto para 6 profissionais, quando conseguiram, um sindicato, e a ordem, bloqueou o concurso, em 2018. Até hoje, os 6 médicos estão com contratos que passam a contrato de serviços, ao fim de 3 anos, voltam aos contrato temporários 6 meses depois, porque o processo judicial anda perdido. Agora precisam de mais 11, já estão a contar que algum dos "desmembrados" (o sindicato original partiu-se em 26, alguns que não tem qualquer associado, a sul de Aveiro mas, falam à comunicação social como se tivessem 50000 associados) vá contestar os concursos públicos. Aconteceu o mesmo em Almada onde um "sindicato independente" recorreu a tribunal, porque o concurso de médicos e enfermeiros estavam no mesmo concurso. O tribunal demorou 3 anos (três anos!!!!) a sentenciar que o sindicato não tinha razão... o sindicato já tinha sido extinto há mais de 2. Abriram novo concurso, para 15 profissionais (9 médicos e 6 enfermeiros), ao fim dos 180 dias, 3 médicos e 5 enfermeiros concorreram.
Mesmo em Lisboa há situações semelhantes em que "sindicatos independentes" avançam para tribunal para contestar concursos públicos, porque sabem que o hospital precisa dos profissionais, vai ter de pagar ás empresas de trabalho temporário (maioria propriedade de membros da ordem dos médicos e de líderes sindicais) para ter lá ps profissionais, muitas vezes a receber 3 a 5 vezes mais do que um com contrato, com a outra vantagem que podem ajeitar horários para trabalhar em 20 empresas de saúde, a cada semana.

Mas, é engraçado ver as notícias e ir ler os últimos parágrafos: "74 doentes foram desviados para outros hospitais, devido ao encerramento da obstetrícia. Nenhuma parturiente." Curioso que aquele serviço SÓ atende grávidas aka parturiente.
Há uns anos atrás era o encerramento dos serviços de urgência nocturna, nalguns centros de saúde, que se juntavam grandes manifestações, que descobriam que há mais de 1 ano que a urgência estava centrada no maior centro de saúde do concelho e nenhum tinha dado por isso...
Imagem de perfil

De cheia a 19.06.2022 às 21:51

A Ministra está convencida que pode justificar o desinvestimento e todas as asneiras com a pandemia.

Boa semana e um abraço.
Imagem de perfil

De Sofia a 19.06.2022 às 23:57

Principalmente falta de recursos humanos, recursos materais e ordenados atrativos
Os médicos contratados através de empresas para cobrir a escala de urgência, ganham mais que o médico que pertence ao hospital a fazer a mesma urgência.
Logo aí gera um desiquilibrio e injustiça.
Os médicos com mais de 50 anos não são obrigados a fazer urgências.
Nós pensamos, para o governo é mais um número...
O título do post não corresponde à realidade!
O Covid ainda não acabou estavamos na sexta vaga.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 29.06.2022 às 22:23

Tens razão. Não corresponde à realidade.
Sem imagem de perfil

De Pedro Coimbra a 20.06.2022 às 05:03

O que tenho assistido ao longe é assustador.
Boa semana
Sem imagem de perfil

De Claudia a 20.06.2022 às 13:00

Nem dá é para acreditar, nos dias que correm (século xxi) ainda acontecerem estas coisas.
A falta de brio profissional de quem lá está a "comandar" e dos nossos representantes, é gritante.

Beijocas
Imagem de perfil

De João Silva a 26.06.2022 às 07:36

Um caos absoluto. Como diz o outro, evita ficar doente em agosto
Imagem de perfil

De Maria Araújo a 29.06.2022 às 18:34

Nem sei o que escrever.
Estamos mal.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.