Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Que o Brasil nos ensine o que não queremos

14.01.23

brasilia.webp

 

Foi com horror, estupefação e muito alerta que vi o que aconteceu no Brasil, depois do que já se tinha sucedido no Capitólio nos Estados Unidos.

Um grupo de selvagens, com a cumplicidade de alguns polícias, atacaram as instituições democráticas por não aceitaram a derrota eleitoral.

Um sinal muito preocupante e claríssimo do perigo que é levar a extrema direita ao poder (e depois retirá-la).

 

 São pela democracia para ganharem o poder, com um discurso contra os políticos, a corrupção, pelos valores. Mas depois... são isto, quando o povo percebe realmente quem eles são e os afasta democraticamente. Foi assim com Trump nos EUA, agora assim no Brasil.

 

Deixo mais dois comentários:

- com a crise de credibilidade do governo de António Costa, já vi um amigo a postar uma foto de Salazar a pedir o regresso da ditadura para acabar com a corrução e "mama" - expressão que o próprio usou - como se essa solução onde nada é escrutinadoe  não há liberdade de imprensa não piore ainda mais o cenário.

- é comum ver polícias difundir posts do Chega nas redes sociais. Estão no seu direito, mas noto um descontentamento e uma carência de atenção por parte do poder político na sua proteção. Têm razão nalgumas situações, na minha opinião. Hoje vimos no Brasil polícia a tirar selfies com os criminosos. Que sirva de muito aula para o nosso país e para o choradinho dos sindicatos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:46


4 comentários

Imagem de perfil

De Andy Bloig a 15.01.2023 às 12:19

No Brasil o maior problema são as igrejas. Bolsonaro soube rodear-se de membros de 3 das igrejas evangélicas, para obter (MUITO!!!) dinheiro e ter formas simples de propagar as suas ideias. Cá temos o Chega a usar as redes sociais e a controlar fontes de financiamento ocultas, que operam nas redes sociais, sindicatos, associações e "grupos cívicos". A manifestação de ontem foi engraçada pois de um lado estiveram o BE e o PCP, do outro umas figuras desconhecidas, que lideram os braços mais poderosos do STOP e da Frente Cívica. Vimos pelas parvoíces dos anti-vacinas, como isso funciona.
Nos EUA já é muito diferente. Os malucos que invadiram o Capitólio, já apoiaram o Obama, sentiram-se traídos, quando surgiu o BLM e mudaram de lado. A maioria são conhecidos como os "profetas da desgraça", o pessoal que faz palestras sobre a Terra ser plana, de que os oceanos não tem fundo e de que há et's a governar os países. Nos EUA viu-se um crescimento gigantesco, desses contestatários, desde 2011. As redes sociais puxaram milhões de jovens para essas coisas. E fica bem defenderem a anarquia, pois não precisam de pensar nem perceber um lado.
Cá, felizmente, há muito poucos (e têm crescido muito!!!) nesse ramo e na parte das igrejas, também não são muitos (como se viu pelos "coletes amarelos") e não conseguem ganhar tracção, mesmo adicionando os jovens que são "pela guerra climática".
Com o que se tem passado, até acho estranho não aparecerem por aí uns milhões de milhões de sondagens a anunciar que a direita tem 90% dos votos, que o PS elegia 20 deputados, que a CDU e o BE não elegiam ninguém. Com os media a cobrir a falta de ideias e sem meios para atacar as medidas tomadas, atacam as pessoas. É uma das regras dos extremistas, se não se consegue explicar que aquilo está mal, removem-se as pessoas (quer seja por assassinatos mediáticos, quer seja por crimes violentos).
Imagem de perfil

De Maria Araújo a 16.01.2023 às 19:02

Dá menos trabalho ser populista , gritar na televisão, nas manifestações e nas ruas, do que ler e pensar por si próprio.
Queria acreditar no futuro mais democrático, mas vejo isto muito mal e mau.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.