Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Seca e o abate de pinheiros na mata de Maceda

05.02.22

DSCN8218-768x576.jpg

Este mês de Janeiro foi surpreendentemente quente. Já no ano Novo andávamos de manga curta, com muita gente a tomar o primeiro banho do ano porque o tempo assim o convidava.

E essa surpresa é uma má surpresa. 

Primeiro porque não respeita a ordem natural do clima, segundo porque está a colocar o país numa situação de seca com imagens atípicas das nossas barragens secas, terceiro porque são já várias disfunções climáticas num espaço muito curto de tempo e quarto porque são os reflexos do aquecimento global (fenómenos extremos climáticos com tendência para ficar mais quente). 

Ao longo do tempo está-se a confirmar.

Da parte política, a resposta que nos prometem é encarecer o preço da água. Será que vai reduzir o desperdício? Será que quando uma conduta rebenta e se liga para os serviços municipais estes irão ser mais rápidos na resposta e na reparação? Como sempre, vai afetar os mais pobres e as regiões mais desertificadas.

 

Por outro lado, estamos a assistir em Ovar a um abate massivo de pinheiros na mata de Maceda. Ainda não percebi o argumento, mas a CM Ovar desresponsabiliza-se. Se Salvador Malheiro tivesse tanta vontade em defender o ambiente como está nas tricas do PSD, talvez já se teria acabado com essa aberração.

Honestamente parece que às vezes em vez de se andar para um país mais verde, tomam-se decisões avulsas e há sempre alguém que ganha com estes atentados. Leio que vai ser para construir um campo de ténis, quando há um enorme complexo às moscas no concelho vizinho de Espinho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:49


26 comentários

Imagem de perfil

De cheia a 05.02.2022 às 14:57

A seca vai ter muitas consequências para: as pessoa, animais, plantas, economia, energia.

Bom fim-de-semana!
Um abraço
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 06.02.2022 às 15:24

Sem duvida José. Há muitos negacionistas movidos pelos mais diversos objetivos. Este tema não é de hoje, mas agora começa a ficar mais visível porque se agrava. Quem sofre são sempre os mais desfavorecidos económica, social e demograficamente.
Imagem de perfil

De Di a 06.02.2022 às 09:39

Mais do mesmo...
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 06.02.2022 às 15:22

Não é comum este abate indiscriminado de pinheiros e muito menos para construir um ... complexo de ténis. Ninguém faz nada. Afinal as triquices do PSD são mais importantes.
Sem imagem de perfil

De Ricardo Santos a 06.02.2022 às 12:45

Abater pinheiros :(((( !?!?!?!
Sem imagem de perfil

De Pedro Coimbra a 07.02.2022 às 02:36

Vi ontem uma reportagem acerca dessa seca e dos receios que está a provocar.
Boa semana
Sem imagem de perfil

De Claudia a 07.02.2022 às 14:05

Não sei onde isto vai parar. Realmente bom tempo é óptimo, mas na altura dele. Não quero mesmo imaginar como isto vai ficar no Verão. O tempo anda maluco, ninguém quer saber.

E fico doente ao ver o pessoal a cortar árvores. Há coisas que não entram.

Beijocas
Imagem de perfil

De Andy Bloig a 07.02.2022 às 14:19

A seca... ainda nem chega ao top 40 das piores, desde que há registos (1932). Nos anos 40 chegaram a ter 33 meses, com menos de 1 m3 de chuva no país. Foram anos que se construíram muitos poços e a maioria das grandes captações de água no centro do país. Para sul, o maior problema foi a mudança de culturas. Sem ser na bacia do Tejo e na do Guadiana, ninguém plantava produtos que precisassem de água dentro dos 9 meses a seguir ao inicio da Primavera. Agora, até melões e melancias se plantam junto a Beja...
E ainda nem a 80% estamos do que se passou entre 1992 e 1996. Em que choveu menos de 10% do que era necessário, abaixo da linha de Aveiro-Guarda. Nessa altura muitas zonas ficaram sem água durante 2 anos, sendo abastecidos por carros de bombeiros, alguns que iam abastecer a Espanha. A maior diferença é que não existiam 6730 associações de agricultores a exigir 90000 milhões de euros doados para ajudar quem produz... curiosidade: na região da Guarda, existiam 2 associações de agricultores e de pecuárias, nos anos 90, ajudavam a construir depósitos de betão e ajudavam a negociar a compra de depósitos plásticos, para armazenar água para rega e para os animais. Foram destruídas, pela CAP, pois não cumpriam os requisitos para obterem fundos europeus... pois não pagavam os 6700 contos que a CAP exigia anualmente como "quota de trabalho". Os que vieram a seguir, nunca fizeram nada. Alguns depósitos ainda lá estão ao abandono. O mesmo se passa na região de Pedrogão-Figueiró-Castanheira de Pêra-Lousã, em que as ribeiras chegam a ser usadas para diversão (como pesca à truta) e para o verão, sendo que alguns grupos privados usam as águas para rega, processando as pessoas que retiram água para os canais de rega, sem pagarem a essas empresas...

Os abates depende de qual seja o uso que vão dar aqueles espaços. Já vi as 2 formas: abate para plantar ordenadamente e abate que dá lugar a super urbanizações, luxo, a coberto da primeira ideia. Aí parece que o ICNF queria organizar novas plantações e as autarquias querem urbanizar a maioria dos espaços, provavelmente por já terem interessados e assim que os terrenos estejam livres, o PDM é alterado em 5 minutos e as construções começam 48 horas depois da publicação da alteração e dos processos de urbanização já estarem aprovados.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 07.02.2022 às 18:25

Sobre a seca, é um dilema sobre até que ponto não estamos a desvalorizar o seu efeito apenas por ficar atrás nas estatísticas. No caso que referes, nesses 33 meses entram pelo menos 3 Invernos. Porém não é normal no Inverno acontecer. Será que é uma exceção ou uma exceção que se vai tornar tão recorrente que deixa de ser exceção.
Vejo alguns negacionistas a recorrerem a essas estatísticas e a acharem que está tudo bem quando não está.
No caso do abate, dizem que irá haver uma reflorestação natural, sendo uma parte para o tal complexo de ténis. Seja como for, não faz sentido abater este pulmão verde e que protege a nossa costa.
Imagem de perfil

De Andy Bloig a 07.02.2022 às 19:11

São ciclos. Há 3 anos atrás, estavam temperaturas negativas, mesmo de dia, aqui em Lisboa. Depois choveu forte e feio durante 2 a 3 semanas.
Ali para 2014, o Natal foi com temperaturas de 24-25 graus. O verão seguinte foi desgraçada, principal no sul do país, com tornados e trombas de água, em Agosto e Setembro. Não se pode resumir a 3-4 anos... é a mesma coisa que dizer que "desde 1900 é a primeira vez que acontece" mas, lendo jornais antes disso, afinal já tinha acontecido e até depois também aconteceu perto de onde aquela chuvada ou tornado aconteceu.
Com os sistemas actuais e culturas super intensivas, que precisam de caudais de água gigantes, estes anos são muito complicados. São empresas que precisam de 600 toneladas de produtos, por semana, sem terem acesso a água gratuita ou preços muito baixos, não conseguem sobreviver, muito menos mudar as culturas.
Dentro das janelas temporais, até estamos atrasados numa das eras... supostamente seriam uns séculos com temperaturas bem acima do normal, no seguimento da última era glaciar. É neste ponto que há opiniões em todas as direcções... que estamos a acelerar esse avanço ou não. Na altura da Expo 98, disseram que a água iria subir 3 metros "antes de 2020". De facto subiu... 2 a 5 centímetros. Foi aí que os acordos de Kyoto e Paris se afundaram...
Imagem de perfil

De Maria Araújo a 07.02.2022 às 17:25

" Será que quando uma conduta rebenta e se liga para os serviços municipais estes irão ser mais rápidos na resposta e na reparação?"

Nunca!
Vejo no cemitério, quando lá vou, o desperdício de água.
Um dia, chamei à atenção de um funcionário sobre uma torneira que vertia, que às tantas teriam de substituir as anilhas borrachas, respondeu que não fazia mal.
Eu reclamei que estavam a desperdiçar água.
Enfim!"
Não me calo, quando vejo estas coisas.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 07.02.2022 às 18:26

A isso chama-se desleixo, um desleixo que sai caro. Não faz qualquer sentido, ainda por cima sendo num espaço público. Pago com o dinheiro de todos nós.
Imagem de perfil

De Maria Araújo a 07.02.2022 às 19:51

Recentemente, substituíram as torneiras. São de bica comprida
E têm uma alavanca de pé.
Para sair a água, o pé empurra um pedal e a água sai.
Às antigas espalhavam água por todo o lado até o calçado se molhava.
Imagem de perfil

De João Silva a 08.02.2022 às 07:37

Isso não passa mesmo de um enorme atentado à natureza. Vale tudo em prol do dinheiro. Caramba 😯
Imagem de perfil

De Lobos disfarçados de cordeiros a 09.02.2022 às 19:09

E você que ficou de deixar de seguir o meu blogue mas continua a fazê-lo, é mesmo um bom exemplo!

Não percebe que o importante são as pessoas, não as coisas.
Imagem de perfil

De Lobos disfarçados de cordeiros a 09.02.2022 às 19:39

Se o mês de Janeiro foi quente, ainda bem pois assim houve menos frio. Mas se você gostar de frio, pode sempre ir para a Sibéria ou outro sitio.

"E essa surpresa é uma má surpresa. Primeiro porque não respeita a ordem natural do clima ..."

Como disse foi uma boa surpresa. Qual o problema de "não respeitar a ordem natural do clima". As mudanças a haverem não têm de ser para pior, podem ser para melhor. A haverem alterações climáticas, algumas serão para o tempo passar a ser melhor outras para pior. Mas como falam até parece que todas serão para pior.

E você parece ser mais um que quer "Sol na eira e chuva no naval". Como é possível alguns ainda não saberem que o mau tempo é do pior que há. Pode causar grande destruição e várias mortes em poucas horas.


E como já é costume, por vezes você ignora o que dizemos e continua em frente como se nada tivesse sido dito.

Disse: "são já várias disfunções climáticas num espaço muito curto de tempo e quarto porque são os reflexos do aquecimento global".

Mas não disse quais foram. Depois como pode ter a certeza que são reflexos do aquecimento global?

Eu já antes critiquei este seu comportamento de pedi-lhe factos concretos, provas, mas sobre isto nada. Lembra-se eu ter falado nas grandes inundações em Lisboa? E agora vem novamente com esta teoria. Isto não é correcto. Quando não conseguimos fundamentar o que dizemos, devemos mudar.

E não adiante dizer a si que existem assuntos importantes, você continua a falar nos mesmos.

E lembro-lhe mais uma vez que ficou de falar em certos assuntos, continuo à espera.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 12.02.2022 às 19:09

A questão não é se quer frio, vá para a Sibéria. Poder-lhe-ia responder: se quer calor, aproxime-se do Equador.
O que é "mau tempo" para si? Frio e chuva no Inverno?

O calor também provoca mortes. Há um aumento da mortalidade nos dias de maior calor junto do mais velhos. Há uma ordem natural do ambiente e quando a Natureza não está bem é sintoma de alguma coisa. Há estudos assim que demonstram o degelo dos polos e o efeito das alterações climáticas. Há depois os negacionistas que só vêm o que querem. Insisto no tópico de que quando um cenário anormal se torna normal, deixa de ser exceção. Dou-lhe vários exemplos de disfunções climáticas: a ausência de chuva este mês, as temperaturas muito acima da média durante semanas a fio. Já contou o nº de dias que choveu em 2022? Já viu como estão as nossas barragens?
Mais exemplos: os tornados que são cada vez frequentes; as temperaturas que têm cada vez mais outliers.
Insisto com temas que me preocupam. O arsénio quer o calor, eu quero um clima que respeite a ordem natural das estações do ano que permite um futuro mais sustentável, a mim e às gerações futuras.
Imagem de perfil

De Lobos disfarçados de cordeiros a 13.02.2022 às 19:30

Você está a esquecer-se de um "pormenor" importante. Janeiro é normalmente "apenas" o mês mais frio do ano. Isto é a temperatura normal de Janeiro não é nada agradável. Este Janeiro não foi quente, foi menos frio, percebeu?

Não sabe o que é mau tempo? Hoje por exemplo o IPMA colocou cerca de 1/3 do país em alerta amarelo. Veja, a primeira chuva após vários dias sem chuva coloca cerca de 1/3 do país em alerta amarelo!

O tempo que faz no Inverno não é agradável, isto é um facto. Portante sempre que o Inverno é menos desagradável é bom.

Disse: "Há uma ordem natural do ambiente e quando a Natureza não está bem é sintoma de alguma coisa".
Você não percebe que o clima actual, aquilo a que chama uma ordem natural, resultou de alterações no passado.

Não há qualquer problema em haverem alterações desde que sejam para melhor.

Não há negacionistas, há os que pensam pela sua cabeça e têm sentido critico, e há os que seguem os assuntos da moda sem saberem ao certo porque o fazem e quando há outros assuntos.

Disse: Dou-lhe vários exemplos de disfunções climáticas: a ausência de chuva este mês (...).
Segundo o IPMA o mês de Janeiro mais seco desde que há registos (e não desde sempre como alguns alarmistas dizem), foi no ano de 1935, percebeu?

Como vê já em 1935 haviam disfunções climáticas!

E chama a um Inverno menos frio, logo melhor, uma disfunção climática. Se é assim então venham elas!

Diz: "Insisto com temas que me preocupam". Já parou para pensar se os temas que o preocupam são os temas mais importantes para a sociedade? O problema é que não são.

Eu já tenho este artigo no meu blogue e se você visse todo o meu blogue, teria visto esse artigo, mas você não o quer ver todo, não quer aprender, não quer evoluir. Mas aqui fica o link.
A caminho da superficialidade
https://ionline.sapo.pt/artigo/634458/a-caminho-da-superficialidade

O artigo é mesmo bom, aguardo o seu comentário. Mas como sabemos, "o pior cego é aquele que não quer ver", e você poderá não querer ver tal como não quer ver certos posts do meu blogue.

E você que está preocupado com as geração futuras, é o mesmo quem eu digo para ler certos posts importantes no meu blogue e você "manda-me dar uma volta".

Fico "comovido" com a sua preocupação com as geração futuras. E é interessante que há um comentário no meu blogue sobre isto que você não respondeu.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 15.02.2022 às 22:48

Obrigado pelo link e concordo com tudo o que foi dito e que já critiquei várias vezes tbm esta obsessão pelo acessório. No caso deste comentador, critica as horas a fio a explorar emoções e com repetições sucessivas e comentadores em demasia para tudo e mais alguma para encher chouriços.
Agora, há uma coisa que tenho discordar de si - o que si é importante, pode não ser para si. E vice versa. temos de respeitar, como respeito os temas que escreve para escrever.
Sobre o clima, não vamos chegar a consenso, tal como os negacionistas que negam os problemas, apesar das evidências e estudos científicos.
Imagem de perfil

De Lobos disfarçados de cordeiros a 16.02.2022 às 19:28

Interessante, disse "Obrigado pelo link e concordo com tudo o que foi dito e que já critiquei várias vezes tbm esta obsessão pelo acessório". E como eu disse o artigo (link) é mesmo bom. Isto porque critica vários e com razão, e porque fala como uma certeza e não como sendo apenas a opinião do autor. Lembro-me por exemplo da frase, "é um de interesse absolutamente nulo".

Mas depois de você dizer que concordava com tudo o que foi dito no link, diz que o que é importante para uns pode não ser para outros e vive-versa. Ou seja temos de concluir que só quando você concorda é que há certezas, de resto é apenas uma opinião.

Já pensou que o que é acessório para si pode não ser para outros! Mas você falou na obsessão pelo acessório, interessante!

Também o artigo critica os assuntos insignificantes ou mesmo sem interesse algum que predominam nos media. Mas também critica quem os consome e nesta parte você não falou. Como eu já disse, parte do problema são as pessoas em geral.

Em relação ao resto, ao assunto desde post, você não quer perceber que eu tenho razão. Eu disse por exemplo: "Como vê já em 1935 haviam disfunções climáticas!" Mas você ignorou isto quando isto confirma que você não tem razão. Ou seja se já há 87 anos haviam as ditas disfunções climáticas e neste casos mais acentuadas, como pode agora afirmar que são os reflexos do aquecimento global? Não pode!

Mas como já deu para perceber, interessa-lhe insistir nisto.

Também eu lembrei-me do seu post "Duas metades", onde disse:
"PS.: Mais uma vez o teletrabalho vai ser obrigatório em Janeiro (não acredito que seja "só" uma semana - devem ser 4 meses como em 202 e 2021), na altura de mais frio e lá vem o aumento na conta de eletricidade uma vez que se estivesse na empresa não gastaria tanto aquecimento".

Ou seja vem dizer que afinal faz frio e que é necessário aquecimento para suportar esse frio. Mas por outro lado vem dizer que Janeiro foi quente e considera que bom tempo é quando faz o tempo que é típico da época. Ou seja para si, bom tempo é quando o tempo não é agradável e precisamos gastar dinheiro para ficar agradável!

Como vê, mais uma vez eu tenho razão. Bom tempo é por exemplo quando a temperatura ambiente/natural é agradável.

E continua a ignorar parte do que eu digo.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 20.02.2022 às 19:34

"o que é acessório para si pode não ser para outros" - concordo plenamente, por isso respeito todos os conteúdos e não critico as escolhas dos bloggers.
"critica quem os consome" - os telespectadores têm de ter espírito critico. As pessoas consomem aquilo que lhe dão a consumir.
Sobre o estado do tempo, não critico o frio, critico sim ter de pagar um aquecimento que se não houvesse teletrabalho não o teria de pagar. Faz parte da vida o frio e o calor. O problema são os extremos. Ainda agora existem mais tempestades violentas na Europa. Será que nãos e está a normalizar o normal?
Imagem de perfil

De Lobos disfarçados de cordeiros a 21.02.2022 às 20:04

Está a ficar complicado discutir algo consigo pois por vezes parece que estou a escrever para "uma parede" ler.

Normalmente as coisas são simples, ou as pessoas as querem compreender ou não querem.

Eu digo-lhe certas coisas e você marimba-se para elas e faz-de-conta que não se passa nada. Quantas vezes eu já lhe disse que ignora parte dos comentários ou ignora-os completamente, isto é não responde?

"o que é acessório para si pode não ser para outros" - concordo plenamente, por isso respeito todos os conteúdos e não critico as escolhas dos bloggers.

Há, para você criticar é faltar ao respeito! Muito bem!

E quantas vezes eu já lhe disse que os bloggers não são livres de escreverem o que entenderem se isso estiver em contradição com o que por vezes dizem ou servir para enganar os seus leitores?

Mas você aceita o que dizemos e uns tempos depois repete a mesma "cassete".

Há, você é mais um que é especial, para si "o que é acessório para si pode não ser para outros", só se aplica aos blogs e por isso concordou com as criticas no link mas não aceita criticas aos blogs.

Claro que você está errado. Eu repito pois ou não leu ou marimbou-se para o que leu.

Interessante, disse "Obrigado pelo link e concordo com tudo o que foi dito e que já critiquei várias vezes tbm esta obsessão pelo acessório". E como eu disse o artigo (link) é mesmo bom. Isto porque critica vários e com razão, e porque fala como uma certeza e não como sendo apenas a opinião do autor. Lembro-me por exemplo da frase, "é um de interesse absolutamente nulo".

Mas depois de você dizer que concordava com tudo o que foi dito no link, diz que o que é importante para uns pode não ser para outros e vive-versa. Ou seja temos de concluir que só quando você concorda é que há certezas, de resto é apenas uma opinião.

Já pensou que o que é acessório para si pode não ser para outros! Mas você falou na obsessão pelo acessório, interessante!

E agora reflita sobre isto.

Sim, os telespectadores têm de ter espírito critico. Mas muitos não têm e daí as minhas criticas. E será que você tem muito espírito critico?

Interessante, você não critica o frio que é a causa de ser necessário aquecimento. E como faz em casa fora do horário de trabalho, à noite ou aos fins-de semana?
Não me diga que suporta o frio sem gastar dinheiro em aquecimento! Se sim, então também pode aguentar o frio em teletrabalho.

Ou será que você vive no local de trabalho em por isso não gosta dinheiro em sua casa em aquecimento?

Agora vem dizer "Faz parte da vida o frio e o calor. O problema são os extremos". E em Janeiro houve algum extremo? Não houve.

E ficou provado que você não pode atribuir a pouca chuva de Janeiro às ditas "disfunções climáticas". Mas o mais certos é daqui a algum tempo você repetir a mesma "cassete".
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 21.02.2022 às 22:47

Não sei se tenho o espírito crítico suficiente. Tenho as minhas opiniões e convicções.
Boas más, são as minhas e partilho-as com quem quiser ler.

Ninguém falou em faltar ao respeito. Pode criticar o que quiser, da mesma forma que posso ou não concordar com as críticas. Leio-as, umas concordo, outras discordo.
"Já pensou que o que é acessório para si pode não ser para outros!" - precisamente há coisas que o Arsénio desvaloriza, outras eu valorizo.

O facto de não comentar parágrafo a parágrafo não significa que não leia.

Naturalmente que gasto aquecimento, mas não no horário de trabalho.
Imagem de perfil

De Lobos disfarçados de cordeiros a 22.02.2022 às 20:09

A minha frase tirada da sua, "Já pensou que o que é acessório para si pode não ser para outros!", não é uma afirmação minha no sentido de eu concordar, e daí terminar com ponto exclamação.

Você disse "Obrigado pelo link e concordo com tudo o que foi dito e que já critiquei várias vezes tbm esta obsessão pelo acessório".
Depois eu disse que no link tem por exemplo a frase, "é de um interesse absolutamente nulo". E lembra-se, você disse que concordava.

E diz que o que é acessório para uns pode não ser para outros. Mas sendo assim então isso também se aplica ao link que eu indiquei. Ou seja o que tem um interesse absolutamente nulo para uns pode não ter para outros ou pode ter mesmo muito interesse. Mas no caso do link, você disse que concordava com tudo o que foi dito. Ou seja está a usar "dois pesos e duas medidas".

Se para si o que é acessório para uns pode não ser para outros, então isso tem de se aplicar a tudo e não apenas ao que lhe interessa.

E a ser assim, isso significa que dificilmente podemos criticar algo, pois passa quase tudo a ser subjectivo.

Exemplo, "Mas isto é errado". Mas que é errado para uns pode não ser para outros.

Percebeu?

E se gasta dinheiro em aquecimento, então devia estar satisfeito por Janeiro ter sido menos frio.

E devemos ler e refletir sobre o que os outros dizem. Se eles tiverem razão, então o que dizem tem implicações e não pode ficar tudo igual.
Imagem de perfil

De Lobos disfarçados de cordeiros a 25.02.2022 às 19:28

Já vi que teve tempo para mais um post tipo "A caminho da superficialidade", isto é assuntos superficiais, quando concordou com as criticas. Mas para responder não teve tempo.

Nem teve tempo para responder a comentários meus anteriores, até no meu blog, para os quase devia haver um resposta.

E depois diz que alguns têm falta de ética. Eu tenho um post, "As obrigações e os deveres são só para os outros!" Também serve para si.

É claro que eu tenho de criticar. Alguns são bons a criticar os outros, mas maus a dar o exemplo.

"O facto de não comentar parágrafo a parágrafo não significa que não leia".
Significa que se marimba para certas coisas que dizemos e para as quais devia haver uma resposta. Estou a ver que só responde se lhe interessar.
Imagem de perfil

De Lobos disfarçados de cordeiros a 28.02.2022 às 19:27

Se você prefere fazer-de conta, continue!

Eu publico certos comentários e para si não se passa nada. Mas depois você critica outros como sendo dono da moral, da ética, etc. Já no meu blogue eu tive de lhe dizer que você me mandou "passear ou dar uma volta".

Devia refletir mesmo a sério sobre o que são as pessoas em geral.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.