Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Lagos, Carcavelos e atentados ambientais

20.06.20

Com que então festas ilegais com ajuntamentos em Lagos, já com dezenas de infetados, a fragilizar ainda mais os hospitais do Algarve? A irresponsabilidade saiu caro e pode custar vidas. 

Aos organizadores do "evento" espero que sejam responsabilizados pelo que aconteceu e que seja exemplar. Se alguém ficar com sequelas da doença ou morrer, vão ficar com o peso na consciência.

 

Pelos vistos, não contentes com o que aconteceu em Lagos, ontem houve mais uma festa de "música brasileira" de menores em Carcavelos... Os mesmos meninos e meninas que defendem que a ir à escola é um factor de risco. 

 

Assim, não há políticas que resultem por muitos esforços que haja... 

 

A responsabilidade é de todos, incluindo dos que permitiram o 1º Maio.

 

Por outro lado, retomaram os incêndios. Ano após ano, sempre os incêndios. Passam governos de diferentes cores e nada muda. Porque será? Sobre a TAP e Novo Banco, muitos milhões vão ser canalizados para as duas empresas. Quanto à primeira, o presidente Rui Moreira tem toda a razão nas críticas que faz. Se tudo o país paga, então as rotas têm de ser razoáveis na sua distribuição. Quanto ao Novo Banco, parece um poço sem fundo. Pior, é ainda o mistério do negócio da venda. Porque tanta confidencialidade? O que há a esconder? E o resto da economia? 

 

Ah, sobre isso não há manifestações nem virtuais sequer.

 

Para terminar, em Setúbal foi descoberto um armazém abandonado com resíduos perigosos. Em Valongo, a população de Sobrado luta contra um aterro também devido aos danos ilegais. Ontem em Famalicão, mais uma descarga ilegal no rio Pelhe.

Para quem estava à espera que alguma coisa mudasse com o confinamento, mudou, mas foi para pior.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:37

Os prémios do Novo Banco

21.05.20

ccc.png

Os prémios de desempenho atribuídos pelas empresas servem para premiar os funcionários mais competentes. Seja pelo atingimento de metas individuais ou pelas metas da empresas (geralmente vendas e resultados).

 

No caso do Novo Banco foram 2 Milhões a Administradores o que levanta indignação pelo facto de:

- o Banco estar a ser intervencionado com dinheiros públicos,

- estar semi privatizado (Lone Star),

- o atual contexto de privação de fontes de rendimentos de muita gente,

- o próprio banco ter prejuízos de 1.058 milhões de Euros (!!! - um poço sem fundo).

Mesmo com este montante a ser pago em 2022 e mediante certas condições - alguém acredito que eles não serão pagos?

 

Se os subsídios públicos já estavam contratualizados, a mim causa-me desconforto a dimensão dos prémios para a realidade portuguesa. Se pode haver mérito na execução de objetivos comerciais e métricas económico-financeiras, é imoral quando tantos portugueses estão em lay-off, desemprego e com corte de vencimentos, dar 2 Milhões de Euros de prémios com dinheiro dos impostos. Não sei quanto vai caber a cada um (entre executivos, não executivos e afins), mas pouco não será.

 

Parece um tacho onde todos comem e ganham, com o povo português a pagar.  Não seria solidário pela Administração abdicar de parte desses prémios?  Não diria da totalidade porque é justo que recebam pelos objetivos atingidos, mas valores razoáveis e morais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:56

Há sempre quem se aproveite

16.03.20

Li que o Dott, marketplace da Sonae, estava a dar fretes grátis para artigos de primeira necessidade.

 

Foi cuscar por curiosidade. Uma garrafa de azeite que custa 3,35 € no Continenteaqui custa 8 €.

Mais chocante é este pacote de bolchas que custa 6.24 €. Até tirei print screen para não acharem que estou a mentir

Capturar.PNG

Não sei o que significa "esgotado", mas fretes grátis com estes preços absurdos não obrigado. Mais, quem vai ao Portal da Queixa e vê a quantidade de reclamações já fica com aragaem de quem vai na carruagem.

 

PS: Após escrever no Facebook do blog esta situação, recebi um esclarecimento das bolachas - foi erro - era um pack de 3. Ainda assim, são 2 euros!

Capturar1.PNG

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:45

Do que não se fala nestes dias

13.03.20

IMG_20200312_193233.jpg

Ontem e hoje têm sido dias alucinantes com o vírus. Parece o cenário de um filme. Já muito se escreveu e escreverá sobre isso. Realço 3 notícias que têm passado despercebidas:

 

- Cunha no Governo

O FamilyGate não pára e com o povo distraídos, toca lá arranjar tachos.

"Gonçalo Silva Pereira, de 27 anos, é agora técnico principal na Representação Permanente em Bruxelas, por despacho dos Negócios Estrangeiros. Em junho de 2019, tinha chumbado na prova de acesso à carreira diplomática."

Foi por nomeação direta, como tantos outros, e é filho do ex-ministro Pedro Silva Pereira, eterno amigo de Sócrates. 

O país não avança enquanto houver estas cunhas!! O povo distancia-se dos partidos e naturalmente há abstenção.

Não adianta campanhas de apelo ao voto, lamentos hipócritas no dia das eleições, quando há estas vergonhas!

 

- Últimas girafas brancas abatidas por caçadores furtivos

A maldade humana não dá tréguas. Aqui Aconteceu numa reserva no Quénia. 

 

- Violência doméstica e cães de criação

Um homem agrediu a sua mulher durante anos, matou e enterrou no seu quintal cães de criação quando estes já não "produziam". Foi detido e saiu em liberdade. O crime é a violência doméstica. Mais uma vez, age-se com medidas brandas e nada dissuasoras. Não adianta eleger "violência " como palavra do ano se depois não se faz nada.

Quanto aos cães de criação, já é a segunda notícia que recebemos de maus tratos a animais neste "negócio". Há semanas chegaram notícias horrendas de Espanha de criadores que cortavam as cordas vocais de cães para não ladrarem. Agora, deteta-se um criador que abandonou e matou este tipo de cães. Não sei se é crime, mas moralmente está errado. Quantos casos destes há? Quão insensível pode ser o ser humano?

A violência não pára com o vírus. Pelo contrário, com as pessoas a desesperar dentro de casa, tem tendência a aumentar. O que vão as autoridades fazer? Deter e libertar a seguir os agressores?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:34

Mortos de primeira e de segunda

03.03.20

passos coelho funeral.jpg

 

Não sei bem como abordar este tema para não ferir suscetibilidades, mas cá vai.

Fez-me um bocado de confusão alguma imposturice com que alguns "influencers" políticos abordaram (e se aproveitaram) da morte de Laura Passos Coelho.

Com todo o respeito pela doença dela e do calvário que ela e a sua família passaram, critico o oportunismo de comentadores e políticos falaram sobre isso.

 

Isto porque sobre as pessoas que morreram (e morrem todos os dias) nas salas de espera das urgências, como aconteceu em Fevereiro em Lamego, não falam. Não convém! É incómodo! Mostra a sua incompetência na gestão da saúde!

Se se chamassem Passos Coelho ou Amaral Dias, já haveria comunicados de imprensa e lamentos públicos, como agora houve.

 

PS: Lá por fora, continua a ser constrangedor e impossível ficar indiferente aos refugiados sírios na fronteira entre a Turquia e a Grécia. Não podemos fazer nada ao nível individual. Percebemos as partes, menos a da Síria.  Ignorar é pior. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:09

Um ano e meio depois a minha consulta no SNS

17.12.19

Já nem me lembrava.

 

7 de Maio de 2018

Testemunhei aqui. Fui a uma consulta no centro de saúde devido a um sinal de carne. A médica avisou logo: um ano de espera era a previsão.

 

15 de Dezembro de 2019

Esta semana, com dois dias úteis de antecedência e um ano e meio depois recebo a convocatória para a consulta de dermatologia no hospital público. É uma "vergonha" (palavra da moda) esta distância temporal do serviço público de saúde. Agora já não preciso, resolvi o que tinha a resolver no hospital privado aqui.

Pago os meus impostos atempadamente e o retorno é lamentável.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:39

Da Cervejaria Galiza à Helsar - hipocrisia

14.12.19

A Cervejaria Galiza no Porto está a passar dificuldades de tesouraria. Os seus funcionários estão heroicamente a segurar o barco. Além das gorjetas, vai lá meio mundo posar para fotografia, sobretudo da política.

 

A Helsar é uma fábrica de calçado de S. João da Madeira que fechou portas esta semana sem pagar aos seus funcionários e nem sequer lhes dar carta para o subsídio de desemprego. O pior do patronado representado nesta descrição. Sem gorjetas e com frio, estão a fazer vigília à porta da fábrica para tentar ainda receber alguma coisa que possam ter direito. Agarrados a nada. Ninguém lhes foi dar um abraço nem uma selfie para fotografia até agora.

mrs.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:38

Mais uma xico espertice

16.11.19

Capturar.PNG

Esta semana uma notícia chamou-me a atenção. Ao clicar, constatei que era exclusiva para assinantes.

Procurei no Google News a notícia e o site do jornal concorrente tinha a conteúdo da notícia resumido numa notícia aberta.

Fiquei a pensar nisso.

 

O modelo de negócio dos jornais digitais depende muito das assinaturas e dos cliques.

Se no caso das assinaturas existe esta espécie de concorrência desleal, põe em causa o negócio de cada um e da industria como um todo. Não me parece nada ética, ainda que refira a fonte e que é um "conteúdo pago". Ora bolas, se um coloca o acesso pago para passado uma hora já ter o concorrente a pôr aberto a resumir a notícia, não faz sentido.

Quanto aos cliques, já critiquei várias vezes a estratégia do clickbait: títulos imprecisos ou inconclusivos para levar o leitor a clicar, muitas vezes saindo as suas expetativas defraudadas. Tudo para mostrar o nº de visitas e pageviews aos anunciantes.

 

Porém, não é só nos medias que esta "xico espertice" acontece. Em muitas outras coisas, uns tentam ficar com o mérito e destruir o outro.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:31

O chumbo da Parlamento Europeu à ajuda humanitária

30.10.19

sunset-675847_960_720.jpg

Raramente ouvimos falar do Parlamento Europeu e quando ouvimos nem sempre é por boas razões.

 

Não vou falar de partidos, nem mexericos, vou-me focar no essencial.

 

Em causa estava a discussão do aumento da ajuda humanitária a refugiados/migrantes. É de partir o coração o desespero das pessoas que largam tudo no seu país em buca de paz e de uma vida melhor, vendendo tudo aos traficantes. Como podemos ser egoístas  e ficar indiferentes? Hoje são eles, um podemos ser nós.

Faria todo o sentido aumentar a assistência a essas pessoas que vêm a morte à frente, bem como faz sentido aumentar as penalizações aos traficantes, uma coisa não invalida a outra.

O Parlamento Europeu rejeitou a primeira e não discutiu a segunda (sendo esse um dos argumentos para chumbar a proposta).

 

Os mesmos que partilharam as fotos do assessor de saias e que fizeram piadas com o Superbock vs Rosa Mota, agora estão calados.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:48

Futebol, perdões e falta de racionalidade

16.10.19

football-3471402_960_720.jpg

Um clube de futebol (ou SAD para ser mais rigoroso) obteve um perdão de 95 milhões de euros da sua dívida por parte de dois bancos. Um é Millennium BCP que é livre de fazer o que quiser. O outro é o Novo Banco e aqui está o problema.

 

Os contribuintes portugueses já tiveram que pagar muitas das manhosices do antigo BES e agora, em 2019, vão ter de "pagar" mais uns milhões para o futebol neste banco. Não faz sentido! Está errado!

 

Por várias razões:

(i) o clube não está acabado. Labora, vai fazendo o seus jogos e se não tem dinheiro agora, então que se aguarde ou que se canalize as verbas astronómicas da venda de jogadores para pagar a dívida (ou VMOC's);

Em vez de se investir tanto, que se invista menos e se pague o que se deve!

(ii) é futebol, uma industria que movimenta muito dinheiro, com salários astronómicos e que assegura poucos postos de trabalho. Sustenta 20/30 jogadores e meia dúzia de agentes;

(iii) é o meu dinheiro que está a pagar quem vive e continua a viver acima das suas possibilidades. Se não tem dinheiro, não contrata jogadores a peso de ouro;

(iv) que garantias foram exigidas ao clube nos empréstimos concedidos? O comum cidadão tem que prestar mil e uma garantias/avais e penhores para uns milhares de euros. Neste clube são milhões que se "perdoa".

 

Quando a emoção supera a razão está tudo perdido. E o Sporting não devia estar acima de nenhum contribuinte para ter o perdão?

 

Ah, os que fizeram os vídeos a falar dos vestidos da Cristina Ferreira não falam? E os que gozaram com a Joacine também não falam? E os supervisores da ajuda aos bancos não intervêm? A quem convém este perdão? Quem ganha com isto?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:35


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Blogs Portugal