Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


O protesto de 21/Dezembro

17.12.18

Quando houve a manifestação anti-Troika se não estou em erro, num sábado em 15/Set/2012, imensa gente aderiu. Muitos deslocaram-se à Avenida dos Aliados e mostraram o seu desencanto. Tudo calmo, ordeiro e com uma razão para ali estar.

Se alguma coisa mudou, não. Mas também não houve anarquismo.

 

Em França, nas últimas semanas, houve manifestações violentas, num ambiente anárquico e selvagem e o poder político cedeu. Um precedente grave, mas havia uma medida concreta a justificar a revolta da população.

Em Portugal, começaram logo a surgir as montagens e comparações. Quem elaborou os gráficos, mostrou o que se convém. Comparam-se salários, preços de combustíveis (cuja escolha da foto não é clara: data da foto, o tipo de gasolineiras escolhidas - a BP/Galp tem preços muito superiores às marcas de supermercado...), mas não se compara o resto. As notícias, em busca do click bait, escolhem títulos incendiários e desenquadrados.

 

Para 6ª feira, dia 21, vai-se contestar alguma medida concreta? Vai-se pedir a demissão de alguém?

 

A resposta é não.

 

Vai-se protestar por protestar. 

Sem um fim, sem um objetivo e uma manifestação só faz sentido se houver razão de ser. Não é o caso.

Portugal tem muitos problemas, mas será que quem vai para a frente com o colete vestido quer de facto uma Justiça mais célere? Uma Saúde mais universal e com melhor capacidade de resposta? Ou quer apenas dar porrada e pregar rasteiras à polícia como alguns selvagem e anarquistas em França?

 

Não sei o que se pretende ao certo com este manifesto, as reais intenções de quem o organiza? Sei que na 6ª feira vou trabalhar e me vou ver lixado para fazer as viagens.

48368843_935074736689815_8082242519577919488_n.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:32

Poder político arrogante

11.11.18

politica.jpg

 Nos últimos dias fomos confrontados com arrogância de poder político: um caso à direita, outro caso à esquerda.

Não há inocentes e o silêncio dos outros partidos parece justificar um certo encobrimento. Isto porque quando se zangam as comadres, descobrem-se a verdades.

 

Uma deputada pinta as unhas no Parlamento. 

Terá sido num intervalo? 

Não sabemos, há silêncio. No mínimo um pedido de desculpa. Não houve.

A mesma pessoa que defende a democracia, é a mesma que ataca a Imprensa livre.

Sendo paga por nós, contribuintes, e estando na casa do povo, a atitude não pode ser de arrogância nem é legítima, sequer.

 

Uma deputada entra com password alheia e regista presdenças indevidamente

Se fosse um funcionário a fazer isso numa empresa dela, será que não ficava ofendida?

Até podia não saber que estava a dar presença com o login, mas isso não justifica nem legitima a atitude arrogante da deputada. Chamar ao povo que a elegeu e lhe paga o salário, "virgem ofendida" é arrogante e ilegítimo.

Pior, ouvir Salvador Malheiro a criticar a Imprensa, depois da denúncia num jornal das carrinhas e afins nas eleições do seu partido, é de rir e Rui Ruo a falar alemão com a Imprensa.

 

E assim, vai a democracia portuguesa. Parece que estão a convidar os Bolsonaros e partidos populistas a chegarem-se à frente. É que só esta semana deram-lhe dois motivos fortes para envergonhar o parlamento português.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:27

Novamente a Etiópia a surpreender

07.11.18

220px-Sahle-Work_Zewde.jpg

A Etiópia fez história, ao nomear a única mulher presidente em África actualmente.

 

Já aqui tinha elogiado o princípio de paz que este país tinha assinado com a Eritreia. 

Agora, chegam-nos mais boas notícias.

Além da eleição de Sahle-Work Zewde para o cargo de presidente (com o "patrocínio" da ONU), sabemos que metade do governo eleito em Abril é composto por mulheres e ainda que está a promover o exercício de oposição partidário democrática.

 

E assim a Etiópia é notícia por ótimas razões.

Estamos a falar de um país paupérrimo, onde a guerra, os egos, os fundamentalismos religiosos e políticos são um dos principais entraves ao desenvolvimento.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:44

A propósito dos WC na Baixa do Porto

06.11.18

Lembram-se que em Junho relatei aqui no blog que tinha visto uns turistas com o pirilau de fora a urinar em plena rua das Carmelitas no Porto, na noite, e que não havia WC públicos por perto?

 

Pois bem, Rui Moreira, presidente da Câmara do Porto, respondeu a esta sugestão no Facebook.

Capturar.PNG

 E assim se faz a diferença do poder político.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:56

A taxa turística

03.10.18

Há dois anos fui a Lisboa em trabalho.

portugal-465234_960_720.jpg

  

Cheguei às 21 h à Estação do Oriente, deixei as coisas no hotel (percorri 200 metros de rua), fui ao Vasco da Gama trabalhar, voltei e no dia seguinte de manhã apanhei o comboio das 9 h de regresso ao Porto.

 

Estive na cidade 12 horas, a maioria em propriedade privada. Como dormi num hotel, paguei 1 € de taxa turística.

 

Pergunto: se uma taxa pressupõe uma contrapartida, o que provoquei à cidade para ter de a pagar? 

Porque razão paguei uma taxa "turística" se dormi em Lx para "trabalhar"?

 

Isto vem a propósito da taxa turística que querem colocar em Fátima. Para o bem ou para o mal, é mina de fazer dinheiro e a pergunta é: o turismo religioso também deve ser taxado? Em que é que a Câmara de Ourém vai aplicar a receita da taxa?

Faz sentido um peregrino vir a pé e quando chega à catedral, se quiser uma cama para descansar, ter de pagar o "extra"? Tem de pagar uma taxa "turistica" se quiser dormir em Fátima na noite da procissão das velas?

 

aqui o disse, que vi uns turistas a urinar na rua na noite do Porto e mesmo com a taxa a ser cobrada não vi ainda colocados mais WC públicos ...

 

Ou seja, tenho sérias dúvidas se a receita da taxa turística é aplicada naquilo que se diz que é, ou é para outros fins ... não turisticos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:14

O estranho regresso da TAP ao Porto

10.09.18

tap_00.jpg

 

A TAP vai reinvestir no Porto, apostando em novas rotas a partir do Aeroporto Sá Carneiro.

Isto dois anos depois dos últimos cortes nas rotas, devido à falta de rentabilidade das mesmas.

Os cortes foram em 2016 e as eleições autárquicas foram no seguinte.

 

Agora, um ano depois essas mesmas eleições as linhas vão ser relançadas. 

Então, se há dois anos não eram rentáveis, agora já são?

 

É muito questionável estas coincidências e as motivações por detrás da decisão das rotas de TAP. Ocorre-me uma palavra: centralismo.

Quem ganhou com esta decisão foram as operadoras privadas e low-cost. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:14

Reality Show Marcelo

07.08.18

O presidente Marcelo anda a visitar e a promover como destino turístico algumas praias e locais do Interior do país. Até aí, parece-me muito bem.

 

O que não me parece bem é um jornalista da SIC ir no banco de trás do carro de Marcelo a fazer perguntas vazias ao presidente, ao estilo reality show.

Duas questões:

- Não é a Internet que mata o jornalismo. É o jornalismo que auto se destroi com conteúdos vaziospatrocinados camuflados e ao serviço das marcas (três exemplos da SIC que já relatei no blog)

- Marcelo foi promover o Interior ou foi-se autopromover? 

 

É que não encontro uma razão lógica para a presença do jornalista na sua viatura! E não percebo como é que há sempre jornalistas que sabem onde Marcelo anda.

Capturar0.PNG

 P.S. Do Sudão do Sul, terra de atrocidades, guerra e na cauda dos indicadores de bem estar e desenvolvimento, chegam notícias de um acordo de paz. Que assim seja!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:18

Dois pesos e duas medidas

16.07.18

transferir.jpgSobre o salvamento da Tailândia, fiquei naturalmente feliz pelo êxito da operação.

 

Porém, vejo com estranheza o excesso de mediatismo com que se olha para a Tailândia (a TVI até enviou a sua diretora adjunta para fazer a reportagem e esta ainda se veio queixar/contar/seja lá o que quiser chamar, que, coitada, teve de dormir no chão).

 

Isto tendo em conta que há refugiados que todos os dias morrem nas águas do Mediterrâneo, alimentados por um sonho e ilusão europeia ou guerra civil da Nicarágua que fez 351 mortos ou a guerra na Síria. Ou seja, são mais vidas em causa, mas com muito menos atenção.

 

P.S.: Na Eritreia e Etiópia chegou ao fim o conflito entre os dois países. Esta boa notícia para o Mundo e para a Humanidade não abriu noticiário.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:56

Cosmética na visita de Angela Merkel

31.05.18

Vi uma reportagem da visita de Angela Merkel ao Porto e houve várias coisas que chamaram a atenção.

 

- Visita ao Porto

Incluir uma cidade que não Lisboa numa visita de estado é novidade. Portugal não é Lisboa. Existe mais país.

 

- A cosmética da amostra

Foi à Bosch, a laboratórios cientificos, passeou pelo Porto e ... o resto do país? O Portugal profundo? O Portugal que foi incendiado em Outubro? 

Ainda assim, concordo com os exemplos mostrados.

 

- A língua

Não percebi a razão de falar alemão, quando muito pouca gente sabe falar alemão em Portugal.

Vá lá, que António Costa também falou na língua nativa, mas haveria necessidade de tradutor se fosse o inglês?

 

- O fecho da ponte D. Luís

O turista e morador comum tem que ir nos passeios curtos e perigosos da ponte. Para a visita de estado fechou-se a mesma. Mais um exercício de cosmética, numa altura em que surgem cada vez mais queixas do perigo dos passeios.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:24

Animais nos restaurantes

23.10.17

Ao que parece, os animais de companhia poderão entrar nos restaurantes, com a devida concordância dos proprietários. Ainda não está claro se ficarão numa zona própria ou se estarão junto dos donos.

dog-eating.png

 

Eu pergunto: qual a pertinência da questão?

Não haverá outras coisas mais graves para legislar sobre os animais de companhia?

  • Quantos casos de maus tratos chegam-nos todos os dias pelos voluntários e clínicas veterinárias que se chocam com a maldade humana perante cães e gatos. Chegam-nos fotografias de animais com foucinhas espetadas no focinho, cães enterrados vivos, gatos atirados pela janela, etc.

    Será que a legislação é suficientemente penalizadora com comportamentos lesivos para o bem estar do animal? Quantas condenações já se teve conhecimento público? I.e., será a lei suficientemente delatória?


  • Sobre os animais, existem ainda os crimes cometidos por donos de cães de raça perigosa que continuam irresponsáveis.

    Em Abril de 2017, um cão que andava à solta, atacou e desfigurou uma criança e o dono fugiu. Presente a juiz, foi posto em liberdade. Na altura, defendi, aqui no blog, uma pena exemplar para a irresponsabilidade do dono. Acusei a Justiça de ser impune para estes casos e alguns comentadores sugeriram para ter calma, que a condenação não era imediata. Passaram 6 meses Pesquisei e não encontrei nada nas noticias sobre o caso. Ou já houve condenação e não foi pública pelos media, ou continua em águas de bacalhau, ou então não houve condenação.

  • Se for para a frente, acho que cabe aos donos o bom senso em saber se o cão se vai comportar no restaurante ou não. Sinceramente, não estou disposição de ir a um restaurante e ter um cão a cobiçar e lamber a beiça com o meu bife.

 

Ou seja, acho que os nossos deputados, pagos com os meus impostos, dever-se-iam preocupar com coisas que realmente importam e afetam o bem estar do animal e dos humanos do que essa questão, que a meu ver, é menor.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:14


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Blogs Portugal