Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Pavilhão do gelo

21.11.19

O que acabará primeira a sua construção, o Pavilhão do Gelo ou a Ala Pediátrica do Hospital São João?

 

Para quê gastar dinheiros públicos num "pavilhão" que não há necessidade nenhuma em Portugal?

Com os nossos comboios velhos e obsoletos, os transportes públicos degradados, a saúde cada vez pior com falta de médicos e medicamentos nos hospitais, a dívida pública que não baixa, a prioridade é ... a construção do Pavilhão do Gelo???

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:22

Quando se dá mais importância ao que realmente vale

19.11.19

micr.PNG

Por vezes damos mais importância às coisas do que aquilo que elas têm, permitindo-lhes ganhar um peso não tem.

 

Foi o caso do bebé abandonado, é no futebol e é com André Ventura, por exemplo. Até na nossa vida pessoal, quantas vezes damos importância a pessoas que não o merecem?

 

Os nossos media, as redes sociais e os influencers, na falta de melhor, vão pelo caminho mais fácil e acessível para atingir os seus objetivos, seja ego ou audiências. Muito se fala do André Ventura. Nem que seja para dizer que se negoceia com todos, menos com ele. Acho até demais e ele agradece a notoriedade. Nem precisa de se esforçar muito. Basta dizer umas bacoradas com uns microfones à frente, que logo toda a gente comenta, critica e dá-lhe (demasiado) palco. É isso que ele quer. Até ao Brasil já chegou a sua presença.

 

Enquanto toda a gente anda a discutir o que Andrézinho disse, ou escreveu na tese, ou protestou, ou que nem sequer quer contacto com ele, outros assuntos vão ficando para trás na agenda, como a corrupção, a deficiente resposta nos transportes públicos ou o caos da saúde.

 

P.S.: A propósito dos partidos, uma deputada foi ao Parlamento protestar com o Primeiro Ministro que "não se pode falar de amor", sugerindo passar de 635 € para 900 €. É com amor que se fazer o empregador aumentar 50% os seus custos? Nem todos os que pagam o salário mínimo são egoístas, como lagostas e andam de Porsche. Uns sim, mas a maioria não. Não sei se ria não sei se chore... 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:41

O excesso de mediatismo dada ao WebSummit e ao bebé abandonado

10.11.19

Nos últimos dias não tenho andado muito presente, mas vou partilhar como vejo as coisas.

 

Um bebé vivo foi encontrado no lixo. Um crime hediondo, sim, mas não foi concerteza o único nos últimos meses.

Porém este ganhou um protagonismo excessivo, pelo menos para mim.

Longo tempo de antena, com o presidente da república (o mesmo que ligou para o Programa da Cristina) a meter-se ao barulho a dar ainda mais holofotes ao tema.

 

Não muito longe, decorria o WebSummit, um evento importante para o país, onde a excitação dos primeiros anos se começa a desmorecer. Afinal, não há assim tantas novidades todos os anos. Apesar das principais rádios e TV's terem todas as condições e mais algumas para os diretos e emissões especiais e apesar do merchandising mais caro ter esgotado, já se fala que esta edição foi um flop e que os custos financeiros da sua organização estão muito exagerados.

 

Enquanto decorre o artifício dos nossos media, temas importantes vão sendo esquecidos como a corrupção, a indisciplina nas escolas, as vítimas de violência doméstica, os contratos manhosos do negócio do lixo com a Mota Engil, mais uma injeção de dinheiros públicos no Novo Banco e a falta de recursos na Saúde.

 

Porque não se fala também destes temas? Não dá audiência? Vai contra interesses instalados?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:51

O novo Governo

22.10.19

21386470_yrbG9.gif

Formar um governo não deve ser tarefa fácil. As posições são demasiado importantes e poderosas para não serem devidamente ponderadas. Muitos egos para gerir.

 

Se um governo tem demasiada gente ligada à vida empresarial, pode tender a ceder aos interesses dos privados sem acautelar o público.

Se um governo tem demasiada gente ligada à vida política, tende a dar azo à troca de favores políticos ("tachos") e desconhece as dificuldades do dia-a-dia dos agentes económicos.

 

Isto a propósito da nomeação do novo governo de Portugal.  As mesmas caras, muita família envolvida (mesmo assim, um dos ministros pareceu ter ficado ofendido pela sua esposa não ter continuado no governo?!), e muitos jotas sem grande sensibilidade. 

 

Quando o atual ministro da economia tomou posse, critiquei o facto de uma equipa de economistas do Norte, ter sido trocada por advogados de Lisboa. O peso partidário pesou sobre o terreno. Uma das secretárias de estado demitidas (ou forçada a demitir) é das pessoas com melhor conhece o tecido empresarial.

 

Acho que falta esta sensibilidade na escolha do governo. Outras escolhas infelizes são pessoas suspeitas de negócios menos claros nas suas autarquias ou miúdos da Jota (e promovidos pela imprensa como TSF) que celebra contratos com empresas de exploração de lítio com contornos possivelmente ilegais.

 

Nem tudo é mau. Há mais mulheres no Governo. Não há "a esposa" de outro ministro do aparelho partidário, mas há a filha do "ex ministro". E isso levanta a questão: chega a ministra pela competência e conhecimento ou por ser "Vieira da Silva"?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:59

Sobre as eleições

07.10.19

Ontem fui votar. Como sempre, respeitei o meu dever e direito cívico.

À hora que fui, achei mais gente nestas eleições do que nas europeias.

 

Não vou entrar em grandes análises, mas acho positivo entrarem novas pessoas e ideias no Parlamento. 

Sempre os mesmos não é bom e vicia. Haver maiorias que fazem o que querem também não é bom.

 

Sobre a abstenção, já o disse várias vezes. Não basta discursos bonitos, nem hashtags. É preciso mudar as acções para que as pessoas confiem na política. Mas semanalmente há sempre alguma notícia que mancha a credibilidade.

 

Agora vamos aguardar pelo futuro

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:37

Método de Hondt

05.10.19

Sabiam como eram eleitos os nossos deputados para o Parlamento e como se converte os votos em representação parlamentar.

É através do Método de Hondt.

 

Um cálculo matemático que desconhecia com exatidão como funcionava.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:49

Hipocrisia politica

03.10.19

a29.jpg

2ª feira, vinha na A44 e li este cartaz afixado num viaduto.

Estrategicamente colocado, numa zona onde o trânsito pára foi mais forte que eu, fotografar e criticar.

(queria evitar fugir ao tema eleições e muito menos particulizar num partido, até porque não é este o âmbito do blog, mas é mais forte que eu).

 

É hipócrita porque:

i) a autoestrada onde estava colocado é a A44 e não a A29

ii) o PCP esteve no poder e nada fez para retirar as portagens da A29. 

Porque razão o irá fazer no futuro? Se já teve oportunidade como uma força que nunca teve, de que serviu ao povo ser "contra" às portagens?

iii) Nestas concessões de pórticos à Ascendi, existem contratos para serem cumpridos, para mal da nosso bolso. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:32

Eleições legislativas - abstenção não resolve

17.09.19

eleiçoes.jpg

Vai começar a campanha eleitoral.

 

Vamos ouvir outra vez o discurso contra a abstenção. Assim, antecipadamente, acho que "não votar" não é solução. Vai agudizar os problemas e vai apenas perpetuar o que está mal. Até hoje sempre votei e pretendo fazê-lo.

 

Vamos ter mais partidos, com diferentes causas.  Uns mais personalizados, outros mais ideológicos. O nosso sistema de votação ainda protege os partidos mais votados, ao colocar votos por distritos e não pelo total nacional. Os últimos anos têm mostrado que os deputados regionais pouco têm feito para defender os seus territórios.

 

[Estes dias houve incêndios na Sertã? Os populares das aldeias acham estranho a sequência e acusam fogo posto. Na campanha ninguém fala... Sobre a Amazónia, os governantes falaram, mas dos incêndios da Beira Alta e de Alijó já se desvaloriza. Não rendem votos.... Ir a uma feira na Grande Lisboa ou no Grande Porto dá mais visibilidade]

 

Geralmente não costumo falar de partidos no blog, mas houve duas medidas que me chamaram a atenção nesta campanha.

 

Um partido pretende criar um Serviço Nacional de Saúde para animais. Quando ouvi o termo, fiquei logo de pé atrás. Não deveria ser bem assim. Depois de abrir a notícia, afinal uma rede subsidiada de clínicas veterinárias para famílias carenciadas e associações de recolha de animais. Já existe uma solidária em Lisboa. Será isso que vai fazer melhorar a forma como tratamos os animais? De quanto estamos a falar? Será o custo equiparado ao dinheiro gasto em consultores para tudo e mais alguma coisa, a maioria familiares ou amigos de quem os contrata?

 

Um outro partido pretende criar quotas étnico raciais. Honestamente não acho que esse seja um problema em Portugal. Não temos tido relatos públicos (nem sinto pelo menos aqui no Norte) de racismo, nem discriminação, nem acho que esse seja um dos problemas da sociedade portuguesa atual.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:28

Os WC, as prioridades e as teias de aranha

27.08.19

Quando penso nos problemas do ensino, penso nos currículos desajustados (em tempo e necessidades), a insolência e desrespeito de pais e alunos perante professores e funcionários, as más condições das escolas, as colocações e desemprego dos professores, mas nunca me ocorreu  a questão dos balneários para o transgénero.

 

São cerca de 200 crianças nessa situação e é um assunto  que tem de ser analisado pelas escolas, como já o é. Mas parece-me uma nuvem reveladora de duas coisas: o negrume e exagero que vai nalgumas mentes e o perigo das fake news

 

Será que esse um dos problemas para a classe política discutir? E até o elitista Rui Rio, que nem faz oposição nem fala sobre nada, perdeu os seus preciosos minutos a falar?

 

A sério que não percebo esta dispersão e exagero na discussão! É Verão mas revela muito da classe política portuguesa.

Ah, sobre as nomeações familiares já ninguém fala. Haja paciência!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:35

Sobre o Museu Salazar

29.07.19

Chhr11lUoAAd0eO (1).jpg

A autarquia de Santa Comba Dão pretende construir um museu para o Estado Novo e Salazar.

Fala-se da liberdade, do Interior e quando se quer fazer museu, cai o carmo e a trindade?

 

Faz sentido esconder um período da nossa história?

Não deverá haver liberdade para se criar um museu do Estado Novo? Ninguém é obrigado a ir e até que ponto será fazer propaganda à Extrema Direita? Haverá algum receio de ressuscitar esqueletos?

 

Ou só queremos museus para os grandes feitos dos portugueses?

Se até Cristiano Ronaldo tem um museu ...

Não vejo que seja um local de romaria, mas sim um local de estudo como outro qualquer museu. E se for de saudosos, qual é o problema? Mais vale estar num museu do que numa qualquer rede social ou cave a servir sabe-se lá para que fins?

Sobre ser em Santa Comba Dão, é a localidade que faz sentido.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:59


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Blogs Portugal