Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Vamos experimentar um tapa sol no carro

11.07.20

Esta semana acompanhei pouco a atualidade.

Ouvi por aí que há um escândalo em torno da nomeação de Rita Rato (do PCP) para um cargo público de direção de um Museu sem reunir as condições mínimas de elegibilidade no concurso levado para o efeito. Mais uma vez há falta de transparência nas explicações e mesmo que tenha sido o melhor perfil dentro das candidaturas,  fica a sensação de "cunhas" e favores políticos. Há ruído que pode ser injusto. Porquê tanto opacidade?

 

Regressou o calor e em dia de trovoada seca, a água do mar aqui no Norte estava estranhamente muito boa!

praia.PNG

Nos próximos dias estarei ausente. Vou passar uns dias em Portugal e procurei escolher pequenas praias longe de multidões, optando igualmente por hotéis mais pequenos, mas sempre com o selo "clean & safe"

Na pesquisa de alojamentos, concluí em quase todos os hotéis (finalmente) decidiram colocar um preço mais baixo na marcação direta (via hotel ou site próprio) do que pelas plataformas. Assim, se quiserem poupar uns euros, optem por esta via.

 

Por fim, hoje no supermercado, deixei-me levar pela compra de impulso. Junto às caixas tinha um destes "tapa-sois" - não sei se assim que se chama  para colocar nos vidros dos carros a um preço acessível. Dizia ser Made in Portugal e de plástico reciclado Trouxe um.

Também têm no vosso carro? Que tal é eficaz?

tapa sois.PNG

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:28

Boa semana!

22.06.20

104827068_2654699348135118_5963380215194673650_o.j

Esta semana vai ser mais curta pois haverá feriado por estas bandas. Queria escrever sobre um tema mas deixo para amanhã.

 

Pelo que vejo, depois do Governo ter autorizado o 1º de Maio e de deputados terem publicitado as manifestações anti-racistas sem quaisquer cuidados relativos ao vírus, vêm as esperadas medidas punitivas para os infratores. Multas e ajuntamentos máximos de 20 ou 10 pessoas consoante a zona. Já vêm tarde, mas há responsabilidades políticas nesta situação.

 

Entretanto, nas lamentações da morte inesperada de ator, três notas muito rápidas: i) o despertar das consciências para o tema depressão e saúde mental; ii) o aproveitamento mediático de Marcelo como o argumento de que "todos gostávamos" pessoa - não percebi a razão de ser da sua intervenção como PR honestamente. Muitos outros foram atrás do caça like na homenagem ao ator.  iii) os limites do "humor negro" e a confusão entre piada e estupidez - quer de quem cria, quer dos limites que se ultrapassa na crítica.

 

No mundo da economia, o desemprego a aumentar, empresários desesperados e outros que se aproveitam da situação, com a TAP e o NovoBanco a sugarem muitos milhões de euros, com muitos rabos escondidos. Os tempos vão ser dificeis com a 2ª vaga de COVID a pairar. O problema é que as nossas empresas ainda não recuperaram de uma e podem não ter fologo financeiro para outra.

 

Por aqui me fico, boa semana!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:16

Cobardia

17.06.20

Enquanto andamos distraídos com o racismo e as manifestações americanas, por cá, trocamos de ministro de Finanças. O Cristiano Ronaldo das Finanças, que quando havia dinheiro e recuperação económica, gerou superavit nas contas públicas, resolveu fugir com o rabo à seringa, quando o país mais precisa dele.

 As coisas em Março mudaram e agora de repente entramos numa crise nunca vista. O que faz o CR das Finanças? Demite-se atrás do tacho do Banco de Portugal. É assim o nosso país e isto chama-se cobardia.

Agora promove-se o "vice", pelos vistos quem trabalhava no sombra e que agora vai ter de dar o corpo às balas. 

Ser bom, quando tudo corre bem, é fácil. Mas agora, quando começa a correr mal, demitir-se é mau. Mau caráter. Não representa o português que não vira a cara à luta.

Nesta dança de tachos, o presidente da República anda a banhos e atrás de selfies!!!

É agora, nestes momentos, que precisamos dos bons! Dos corajosos! Não dos ratos que fogem do navio aos primeiros sinais de problemas.

 

Por fim, alguma sabe porque razão um protetor solar tem IVA de 23%. Um bem essencial para a proteção e prevenção do cancro da pele?

Ah, pois é, a causa americana e o vandalizar estátuas é mais importante!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:03

Confundir (anti)racismo com anarquia

13.06.20

O confinamento parece ter feito mal a algumas pessoas. Parece que perderam o juízo.

Até uma petição já criaram para destruir o Monumento dos Descobrimentos!

Se não têm mais nada para fazer, há sites muito mais interessantes na internet para passar o tempo e não é 1 de Abril.

 

De repente, algumas pessoas assumiram as dores dos americanos e resolveram invocar o racismo em Portugal. Tal não significa que não deva ser discutido e acho que é na educação e na integração que se combate, mas ver gostava de ver tanto empenho como noutras causas bem mais graves em Portugal.

 

Para uns fica bem vir para as redes sociais publicitar a presença em manifestações, mesmo que pondo em causa a saúde pública. Para outros, lançar uns tweets pode render likes (como alguns deputados de BE).

Outros aproveitam-se desta discussão para manifestar o seu ódio, para dizer/escrever os maiores disparates e para vandalizar estátuas e monumentos.

estatua.jpeg

Pode-se discutir e discordar dos temas, mas não se pode apagar e desrespeitar a história. Muito menos cometer crimes e destruir tudo à volta!

 

Quando se entra no campo da anarquia, da imposição de uma ideia ou ideal entra-se num extremo. Quando assim, é tem de ser combatido, seja ele de extrema direita, extrema esquerda, seja de anarquismo, seja de vandalismo.

 

Nos últimos dias, tenho ficado triste com o que vejo e quem achava que íamos ficar melhor neste pós pandemia, as primeiras semanas demonstram o contrário.

 

A propósito, muito se tem falado da polícia. Ainda não percebi se são exageros do Sindicato da Polícia (que é que me parece), que agora têm voz ativa num deputado, ou se efetivamente há mais desrespeito pela força policial. Ainda assim, manda o bom senso não falar sem ouvir e não dar ouvidos a extremistas!

 

Sobre a ocupação ilegal de um edificio privado em Lisboa, não percebi honestamente a indignação e muito menos o ataque à polícia.

Será que se fosse a casa deles a ser ocupada ilegalmente o que faziam? Ah, fica bem ser anárquico e rende likes nas redes sociais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:52

Racismo, COVID e populismo

06.06.20

distanciamento social.jpg

Nos últimos dias, vimos aquilo que já tínhamos presenciado na manifestação dos coletes amarelos em Paris.

 

Um crime altamente reprovável cometido pela polícia americana descambou em protestos anarquistas, de pilhagens de lojas e agressões sem sentido. 

E quando descamba, a causa perde-se. A população fica com medo, a situação descontrola-se e aquilo que condenamos inicialmente abre a porta à defesa de medidas duras para manter a ordem pública. 

Aí aparecem os populismos, ou aspirantes a ditadores, a aproveitaram-se da anarquia para implementar as suas medidas de abuso de poder e de carater militares.

O racismo é algo muito grave e que não está ultrapassado, nem na América nem em muitos outros sítios.

No caso dos EUA, a polícia agiu mal. É um facto. Agora será que foi racismo? O falecido tinha cometido um crime que originou a sua detenção... E se as cores fossem as inversas?

Já Trump está a colher aquilo que semeou.

 

Por cá, hoje umas manifestações anti racistas. Concordo 100% com a causa, mas deixo dois tópicos para reflexão:

i) COVID

Como políticos presentes, a fazer questão de postar nas redes sociais (o motivo: a causa? ou necessidade de mostrar a presença?), as distâncias de segurança não foram respeitadas. Mesmo com os alertas da DGS!

Não haverá irresponsabilidade dos participantes?

ii) Será que existe a mesma mobilidade para temas fraturantes da sociedade portuguesa? Ou somos desmaiado proativos a reagir aos acontecimentos de outros países?

Sobre as descargas poluentes sucessivas nas ribeiras do país e atentados ao meio ambiente, por exemplo, não vejo nem 1% do alarido nem deputados a tirar selfies...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:59

Futebol e política

28.05.20

Duas áreas críticas na nossa sociedade e muito intimamente ligadas, infelizmente.

Não pelos melhores motivos. Promiscuidade e oportunismo acabam por acontecer na maioria das situações.

 

Três delas são recentes:

1- Rui Moreira faz parte da lista de Pinto da Costa para presidência do FC Porto.

Assim, à primeira vista parece querer marcar terreno para um futuro lugar quando PdC sair e não se puder candidatar à Câmara do porto por limitação de mandatos.

Mas ser presidente da Câmara e fazer parte de uma lista a um clube não faz sentido. Admiro-o pelas causas que defende e com as quais concordo sobretudo na defesa dos interesses da região como no caso vergonhoso da TAP, mas depois faz isto [não sou eleitor no Porto]. Qual a necessidade? "Gratidão" segundo o próprio de quê? E os outros clubes? Será que depois não pode ser acusado de beneficiar mais um clube que outro? Não percebo.

 

2- O presidente da CM Olhão a meter-se na confusão das subidas e descidas de um único clube da cidade. 

Para quê misturar autarquia com clubismos? E pior guerrinhas com a FPF de sobe e desce de divisão? Não sou de Olhão, não posso opinar muito, mas não haverá outras guerras para vencer no concelho? Creio que sim e não sãpo poucas.

Notícia desta semana: poluição na zona ribeirinha de Olhão

 

3- Cláudia Santos, uma deputada que vai para a Federação de Futebol, para um cargo de disciplina e vai acumular cargos.

Porquê acumular? Não faz sentido! Não é idóneo e não foi eleita para isso.

 

Uma coisa é termos as preferências clubísticas, outra coisa é fazer valer das funções eleitas pelo povo português e misturar em simultâneo as duas vertentes.

 

Se formos para o campo da Justiça o caso não melhora.

 

Depois vêm os discursos na noite das eleições lamentar a abstenção. Aqui estão três exemplos pelas quais as pessoas desacreditam da política.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:04

Bom senso nos festivais acima de tudo

11.05.20

1º maio.PNG

Como seria de esperar no desconfinamento, vem a discussão sobre o que é e o que não é permitido ao nível dos eventos de massas.

Acima de tudo, deve prevalecer o bom senso. Pensar na saúde das pessoas em vez do umbigo!

 

- 1º Maio

A polémica estalou com as comemorações do 1º de Maio.

Ainda com o vírus bem vivo, umas centrais sindicais sindicais optaram por cancelar as comemorações presenciais como a UGT. Outras, ávidas por marcar agenda e justificar as quotas dos seus pagantes e mostrar serviço, trouxeram em autocarros pessoas de outros concelhos. Criaram um espetáculo estranho que parecia uma mega aula de ginástica no Parque Eduardo VII. Não concordei com isso primeiro porque foi injusto para todos outros  99,9% dos portugueses que não puderam sair do concelho para visitar familiares ou outras coisas, porque houve autocarros a transportar pessoas sem ser por primeira necessidade e porque havia o risco bem elevado de saúde pública. Mesmo para os outros sindicatos foi injusto. Pareceu-me haver portugueses de segunda e o lobby da CGTP de primeira. Tudo o "amén" do PR e Gov.

 

- 13 de Maio

Grande lição da Igreja Católica. Poderia também querer os donativos dos fieis mas teve o bom senso de cancelar as comemorações de Fátima. Poderia exercer os seus lobbies e a ministra da Saúde lá abriu a porta, mas não o fez e muito bem.

 

- Festivais e Feiras

Todos cancelados com muito prejuízo e muitos postos de trabalho e ganhos (mesmo informais) em causa sobretudo pequenos comerciantes, artesãos e produtores.

Já com bilhetes vendidos, nalguns casos seria impossível limitar as lotação.

Conheço a realidade da Feira Medieval de Santa Maria da Feira, e fui um prejuízo ENORME para toda a região - artesões, coletividades, produtores, restaurantes, hoteis , ...

 

- Festa do Avante

Depende de muita coisa com o que vai acontecer até lá. Não quero falar por antecipação. Os governantes não querem/podem  ser anti democratas, mas mandaria o bom senso do PCP cancelar a festa e espero que assim seja. Se assim não for, vai parecer aproveitamento político e no limite uma estratégia semelhante à de Bolsonaro. O lobbie político em detrimento do de saúde.

Porém, aqui apela-se ao bom senso. Ainda não há detalhes e fala-se mais do que aquilo que está decidido. Dependerá da evolução do vírus e dos moldes em que será pensado o evento. Mas acima de tudo apelo ao bom senso! E atenção que caso o PCP entre em maluqueiras, que outros partidos não entrem e não façam festas do Pontal e afins... Aqui não é ser direita ou esquerda, é razoabilidade e igualdade.

 

PS: Em breve vou falar das corridas, dado ser "eventos" em que costumo participar.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:39

A postura dos líderes mundiais e a essência revelada

01.05.20

mapcoronavirus.jpg

À medida que o tempo vai passando e com este cenário de crise, consegue-se perceber a natureza de cada governante e quão perigosos podem ser. Perigosos porque as suas medidas e discursos influenciam muito milhões de pessoas e ordem mundial.

 

Nesta crise, na China, EUA e América Latina, tem sido uma verdadeira desgraça, mas com contornos diferentes.

- China

Claramente quer ser o dominar o mundo. Vai dando passos para lá chegar. Este vírus começou na China e teorias gravíssimas da conspiração não faltam. Porém, nota-se o esforço em: i) não ser claro na informação que passa percebendo-se um filtro na comunicação no sentido de subvalorizar o nº de chineses afetado; ii) estender a mão com máscaras e equipamentos aos restantes países.

- EUA

São dirigidos por um dirigente vaidoso, com o coração perto da boca que não reflete no que diz, mas Trump defende o seu país e a sua economia. Age muito mal ao desvalorizar a pandemia em nome da economia e para não perder pujança e força para a China. A sua reeleição vai depender muito do desemprego e de conseguir encontrar o medicamento ou vacina. .

Sobre o corte ao financiamento da OMS, é censurável, óbvio, mas algo de muito grave deve ter descoberto para decisão tão radical e que lhe custa a incompreensão dos nativos.

 

- Brasil e outros países da América Latina

A liderança é diferente de Trump. Não é económica. É militar. São países dirigidos por pessoas que querem o poder a qualquer custo. Com a polícia na rua. Sabem que ao fechar a economia, vai trazer pobreza e motins para as ruas e não conseguiram impôr o seu poder e controlar o povo. Assim, a funcionar vai havendo dinheiro e com a sua força, a população vai-se calando.

Chegam-nos imagens perigosas e surreais de valas comuns, cadáveres infetados atirados para a rua dignas de "quarto" ou quinto mundo.

No Brasil, o líder segue cada vez mais isolado. Primeiro saiu o Ministro da Saúde, agora o da Justiça por exigir separação de poderes. 

 

- Europa

Muito fragmentada politicamente, os países com mais dificuldades em conter foram os mais populosos e os mediterrânicos. Com sistemas de saúde mais débeis e muito alicerçados no turismo, Portugal escapou, por enquanto.

 

Acho que esta pandemia veio revelar a essência de cada um dos grandes governantes e quem descobrir a vacina e medicamento será o rei neste planeta de cegos.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:40

A novela Joacine

13.01.20

Em vez de se discutir a corrupção, a violência doméstica, os alertas do ex-ministro sobre a promiscuidade política na administração pública, os problemas na saúde e na educação, o Livre anda atrás da sua deputada eleita pelo seu partido.

Admiro a coragem dos lideres deste partido que não abdicam dos seus princípios e do bom senso e já estão fartos de tanto disparate pegado.

 

Já critiquei e critico, a  postura do seu assessor "star" que resolveu ir de saia no primeiro dia do parlamento quando os holofotes estavam para ele virado. Uma postura que não reflete o seu dia a dia e que lhe promoveu a um convite aceite no programa do Goucha. A esta somam-se mais disparates sem qualquer jogo de cintura e sem bom senso.

 

Agora, esta "expulsão" sem o ser, em casa onde não há pão, todos ralham e ninguém tem razão.

Sofre a democracia portuguesa e ganha quem se quer que o povo se distraia com fait-divers.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:15

Escravo de superstições

01.01.20

Bom 2020!

Desejo-vos muita saúde e estabilidade familiar e profissional! :) Acho o mais importante.

 

De manhã, muita gente foi dar o primeiro banho do ano. Eu fui assistir, fotografei mas não fui à água, apesar do sol maravilhoso.

 

Podia ter ido numa de desportiva e para acompanhar a malta, mas a razão pela qual não quis alimentar a superstição de ano novo é porque não quero ficar escravo dela.

Quantas e quantas manias moldam a nossa a vida?

O pior é que ficamos presos a essa superstições. Diz-se que cada maluco tem a sua mania, mas esta do banho no primeiro dia do ano é algo que não quero começar para depois não ficar a cismar se um dia não for :)

 

PS: Quem também estava a mergulhar era Luís Montenegro, candidato à liderança do PSD. Sem câmaras de TV, mergulhou, tirou uma foto de praxe e foi-se logo embora que eu reparei. Será que o banho foi abençoado? :)

IMG_20200101_115228.jpg

 

IMG_20200101_115418.jpg

 

IMG_20200101_120738.jpg

 

IMG_20200101_120743.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:32


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Blogs Portugal