Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Os prémios do Novo Banco

21.05.20

ccc.png

Os prémios de desempenho atribuídos pelas empresas servem para premiar os funcionários mais competentes. Seja pelo atingimento de metas individuais ou pelas metas da empresas (geralmente vendas e resultados).

 

No caso do Novo Banco foram 2 Milhões a Administradores o que levanta indignação pelo facto de:

- o Banco estar a ser intervencionado com dinheiros públicos,

- estar semi privatizado (Lone Star),

- o atual contexto de privação de fontes de rendimentos de muita gente,

- o próprio banco ter prejuízos de 1.058 milhões de Euros (!!! - um poço sem fundo).

Mesmo com este montante a ser pago em 2022 e mediante certas condições - alguém acredito que eles não serão pagos?

 

Se os subsídios públicos já estavam contratualizados, a mim causa-me desconforto a dimensão dos prémios para a realidade portuguesa. Se pode haver mérito na execução de objetivos comerciais e métricas económico-financeiras, é imoral quando tantos portugueses estão em lay-off, desemprego e com corte de vencimentos, dar 2 Milhões de Euros de prémios com dinheiro dos impostos. Não sei quanto vai caber a cada um (entre executivos, não executivos e afins), mas pouco não será.

 

Parece um tacho onde todos comem e ganham, com o povo português a pagar.  Não seria solidário pela Administração abdicar de parte desses prémios?  Não diria da totalidade porque é justo que recebam pelos objetivos atingidos, mas valores razoáveis e morais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:56

A aplicação dos fundos europeus

23.04.18

IMG_20180408_124151 - Cópia.jpg

 Um estudo do Eurostat demonstrou que apesar dos rios de dinheiro que a União Europeia enviou para Portugal, o país não os conseguiu capitalizar e em vez de convergir, divergiu. Ou seja, as regiões mais pobres em vez de se aproximarem das mais ricas, ficaram mais distantes.

 

É inegável que tem havido progressos no país mas várias razões o explicam:

- investimentos centralizados nos grandes centros urbanos

- investimentos desenhados em gabinetes e por pessoas pouco conhecedoras da realidade

- falta de controlo (muitas vezes por conveniência) da aplicação dos fundos,

- gastos que vão apenas para os bolsos de alguns (incluindo os restaurantes com lagosta e os stands da Porsche)

- cultura de corrupção e más práticas (em que alguém lucra) na gestão autárquica e na troca de favores

- No caso das auto estradas, elas até foram feitas, mas são tão caras que as pessoas não as conseguem usar. Diga-se que as grandes construtoras dominam os dividendos distribuídos pelas concessionárias em regime de PPP.

 

O país que está tão preocupado em antecipar dois anos, a mudança de sexo para os 16 anos, é o mesmo país que acha normal a má utilização das viagens pagas a deputados insulares ou aos ajustes diretos a empresas de deputados e vereadores municipais.

Ainda hoje o JN traz vários exemplos disso, mas a prioridade é a vitória do Benfica.

Com tão pouco espírito crítico, como podemos viver melhor?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:56

Não aprendemos nada com a crise

07.08.17

Seg of rich  poor.jpgAo ler a notícia que os portugueses se andam a esticar no crédito ao consumo fica a pensar se aprendemos alguma coisa a crise?

 

Percebo que as pesssoas necessitem de investir em bens de consumo mais caros precisamente porque não os puderam comprar na crise (como carros ou eletrodomésticos), mas a pergunta mantém-se: não estaremos a viver acima das nossas possibilidades?

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:40

Notas de fim de semana

03.04.17

- O bom tempo voltou.  No sábado de manhã estava vento frio á beira-mar e o passadiço estava deserto. Consegui cumprir o meu objetivo: 1 hora a caminhar. Esqueci-me das sapatilhas de corrida e como as suplentes são um pouco apertadas, não arrisquei.

No domingo, a minha irmã convidou-me para ir a um dos espaços da moda da nossa cidade, com pequenos-almoços alternativos, mas as mesas estavam cheias e fomos à pastelaria tradicional. Bem, pela amostra de ontem e pelos “trends” das redes sociais é um negócio com futuro.

 

- Ontem vi novamente o Pesadelo na Cozinha e pensei: em quantos restaurantes é que também já comi assim?

 

- No intervalo, vi um bocado da entrevista da Catarina Furtado ao Porto Canal. Naqueles minutos, referiu duas coisas que retive uma má e outra boa: não gosta de ser egocêntrica (achei irónico – então e aqueles 10 minutos de “espetáculo” na final de um programa qualquer aqui há uns meses em que deixou cair o anel no momento em que ia anunciar o vencedor e pôs toda a gente à procura dele???) e evita expor os filhos. Neste ponto, criticou e foi de encontro àquilo que critico nos dadyymummy blogs/business. Com todo o realismo, diz e muito bem, que os pais não têm o direito de expor os filhos e tirar dividendos deles nas redes sociais. Quando lhe perguntaram se tinha planos para eles, disse que aos pais cabe dar a melhor educação e guiar os filhos, mas nunca impor-lhes os seus projetos ou frustrações pessoais. 

Se lessem o que leio num desses dadyymummy blogs/business que sigo…

 

- Um árbrito foi brutalmente agredido num jogo de futebol por um elemento dos SuperDragões. Ficamos chocados com tamanha crueldade. O jogador, inexplicavelmente, diz que não se lembra. Haverá coragem para tomar medidas?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:51

Imobiliárias desesperadas

15.03.17

Vai um tipo à caixa do correio e encontra isto: 

17351234_10208508528503191_540957693_n_LI.jpg

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:01


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Blogs Portugal