Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Coisas do dia a dia

08.10.22

- Há duas semanas, fiquei supreendido quando ao vestir umas calças, reparei que já me estavam apertadas.

O descuido da dieta e do exercício durante as férias já se fez notar. Nem foi preciso ir à balança... 

 

Por isso, nestes dias, foi o regresso às corridas, ao ginásio e à dieta. As refeições da "asneira" ficaram restritas às refeições sociais. 

Notei bem, no ritmo da corrida, quão destreinado fiquei. Mesmo nas pequenas distâncias, muito lento e com vontade de parar. A máquina já está a olear e tem-me valido correr em grupo, senão a desmotivação seria ainda maior.

Por falar em grupos de corrida 3ª feira, véspera de feriado, fui a um em Gaia e passamos ao rio Douro:

pomte dom luis.PNG

- Continuo chocado com a diferença de preços entre a grande distribuição e o pequeno comércio de rua.

Hoje no Continente 4 kiwis custavam 3 €. Na frutaria da minha rua comprei 8 a 2,23 €.

 

- Na Ucrância, continuo chocado com as atrocidades russas que se ouvem à medida que vão abandonando as cidades ucranianas que ocupavam. Relatos demoníacos que podem sair impunes.

 

- No Irão, um eco internacional anormal da repressão e da polícia da "moralidade". A morte da ativista iraninana e (a falta de) resultados da autópsia vêm mostrar ao Mundo, se dúvidas houvesse, dos maus tratos e restrições que as mulheres sofrem nalguns países. De retaliação, o Irão, membro da OPEP,  já cortou a sua produção de petróleo (apoiado pelos restantes países com medo do efeito contágio), fazendo disparar os preços. As nossas gasolineiras já o aumentaram esta semana.

 

- No Brasil, o voto envergonhado na extrema direita levou a uma segunda volta. A grande questão dos brasileiros não sei se é votar no melhor candidato ou no menos mau.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:44

Melilla

27.06.22

20220116_101145.jpg

Vejo muitas virgens ofendidas a teclar com o faitdiver do momento: uma cantora que pegou na bandeira de Espanha no Rock in Rio. Muitas das partilhas das redes sociais são de pessoas que não viram o momento. Limitam-se a gerar e comentar seguindo as indicações extremistas e depreciativas de site de fake news.

 

Enquanto isto, em Melilla, aqui ao lado, aconteceu um massacre neste fim de semana.

37 mortos (oficiais), elevada violência, maus tratos e um massacre sobre muitos migrantes que tentaram passar a fronteira entre continentes, vítima de mafiosos que prometem o que não podem cumprir. Tiram o pouco que esta gente tem.

 

Curiosa, a empatia que as pessoas têm pelos refugiados ucranianos (vítimas de uma guerra que não pediram, muitos deles com formação superior e capital) e a falta dela pelos refugiados magrebinos (pobres e vítimas de extorsão).

 

Crimes destes não podem ser ignorados.

 

P.S.: Sobre o crime da pequena Jéssica, mais uma vez parece haver falhas do Estado. Claro que não se adivinha o futuro, porém é de uma crueldade muito chocante. Um horror.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:03

Conversas de rua

06.04.22

IMG_20190331_112944.jpg

Há largos meses para cá que vou a pé ao ginásio, pois fica perto de casa. Na 5ª feira, no regresso, dei a ouvir uma conversa de uma senhora ao telefone. Qualquer coisa como isto:

 

- Tu és agressivo para mim de manhã... Tu empurras-me ... Não quero outro homem assim na minha vida, já bastou o outro ... Tu de manhã és a-g-r-e-s-s-i-v-o.

 

Segui caminho. Quando achamos que a nossa vida está má, há realidades piores. A violência doméstica tem de ser erradicada. Apesar dos péssimos exemplos que alguns juízes e juízas dão e promovem,  ela tem de ser erradicada. Por falar nisso, já tinha alertado o JB no Sardinhas - os relatos de tráfico de mulheres e jovens na Ucrânia para fins sexuais e lenocínio iriam chegar muito mais breve do que aquilo que pensamos. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:46

Em choque

01.03.22

jporfirio-ucrania-dia4-estacao-comboios-43-scaled.

Foto: João Porfírio (Observador)

 

Os últimos dias têm sido chocantes com tudo o que se passa na Ucrânia, na Europa.

Um povo que apenas quer liderar o seu destino, ter paz e prosperidade vê um tirano que os odeia a invadir e a destruir o seu país.

 

É muito revoltante ver Putin a atacar a torre de televisão ou a matar civis, enquanto anuncia que vai ter conversações de paz. A olhar para a censura e prisão dos manifestantes anti-guerra em Moscovo, todos ficamos horrorizados com a tirania imposta na Rússia e o que espera a Ucrânia. 

 

Quão horroroso é ver as pessoas a fugir para outros países, de carro, com a roupa que têm no corpo?

Famílias a separarem-se com a convicção de defender o seu país?

Dos primeiros dias resulta, ódio, destruição e um pesadelo difícil de curar.

 

Admiro o presidente progressista ucraniano. Diz-se que as árvores morrem de pé. Dá a cara, defende o seu país, os seus recursos naturais contra os invasores. Admiro também o povo ucraniano que defende o seu país como pode.

Até agora o David está a fazer frente ao Golias.

 

Tenho medo, enquanto cidadão do mundo do que aí vem, mas em paz vivemos todos melhor.

 

P.S.: Este domingo, Ricardo Araújo Pereira denunciou as atitudes  imaturas de um jornalista na guerra.

Não sei o critério da escolha das empresas para alocar os seus profissionais a um cenário de guerra.

O exemplo mostrado é o que não deve acontecer!! Foi um jornalista, mas podia ser outro profissional.

Víamos uma pessoa desnorteada, impreparada, psicologicamente débil e, pior, a transmitir uma sensação de stress e pânico constante a todos que o viam. Claramente não é o perfil para estar num cenário de guerra.

Quando se fala em saúde mental, aqui está um exemplo do que não fazer nas organizações de trabalho.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:28


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.