Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Um novo confinamento, o económico para poupar

12.03.22

270309726_630960971575781_7927694388960530458_n.jp

Primeiro banho do ano de 2022 - mal imaginavamos o que aí vinha há semanas atrás

Estou muito preocupado com esta escalada absurda dos preços em tão poucas semanas. Começou na energia e nos combustíveis e vai chegar em dias aos alimentos. Segue-se uma bola de neve. Se os salários não subirem, as pessoas não têm dinheiro para consumo, gerando falências e desemprego. Hiperinflação sem crescimento económico vai gerar uma crise ENORME.

Já há empresas em lay-off e a guerra ainda começou há dias (nem "semanas" se pode falar).

Os preços dos combustíveis assumem valores incomportáveis (muita ganância, diga-se, das distribuidoras que aumentam mais do que o preço do petróleo) e os mais pobres e piores remunerados são os mais expostos. As desigualdades sociais, fome e criminalidade vão aumentar. Todos os investimentos seja de empresas, sejam os nossos, têm de ser muito prudentes dada a incerteza que se vive. Veremos o que faz o partido com maioria absoluta no poder.

 

Há uns meses fizemos um confinamento pelo covid, agora vamos fazer confinamento para não gastar em combustível.

Esta semana, já deve haver gente a ter de pagar para trabalhar. Com as medidas de Passos Coelho em encerrar linhas de comboio, greves constantes e uma fraquissima rede de transportes públicos, quem trabalha perto de casa pode ir a pé ou de bicicleta. Quem trabalha longe e ganha pouco, pode ter de recorrer aos "atestados médicos", sobrecarregando o Estado e porque acaba por ter mais poder de compra de baixa do que a trabalhar.

 

Com as preocupações que se ouvem lembrei-me outra vez da horta do quintal da minha avó. recuperei-a há dois anos no tempo do Covid. Com o abandono das restrições sanitárias, abandonei-a também. Não sei se não a terei de recuperar outra vez....

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:49


14 comentários

Imagem de perfil

De cheia a 12.03.2022 às 11:14

Uma calamidade nunca vem só, pandemia e guerra, uma mistura muito perigosa.

Bom fim-de-semana e um abraço.
Imagem de perfil

De Maribel Maia a 12.03.2022 às 12:14

As hortas são uma saudável fonte de poupança!! Parece-me boa ideia!!
Beijinhos e bom fim de semana!!!
Imagem de perfil

De MJP a 12.03.2022 às 13:26

Partilho da Tua opinião!!!... vivemos tempos de Grande incerteza e é preciso (muita) prudência em todas as decisões...
Bom fim-de-semana!
Imagem de perfil

De Andy Bloig a 12.03.2022 às 14:56

Já afecta... com os supermercados a preparem um lucro acima de 7800 milhões de euros, só para estes meses. E com a CAP a querer dinheiro para os "agricultores" poderem comprar 60000 Tesla, para "agricultura biológica", fulos porque o Rui Rio e o André Ventura lhes tinham prometido dar 20 vezes o que estão a pedir, voltando a 1990, em que "um agricultor com 10cm2 de erva conseguia pagar um land rover, a pronto pagamento e marcar 8 semanas de férias nas Caraíbas".
Na semana passada comprei as mesmas coisas, sem promoções. Esta semana, para o mesmo cabaz, paguei mais 7,5%. Segundo a rapariga da caixa "É por causa da guerra"... ficou a rir quando lhe disse "As latas já lá estavam na semana passada, antes de levarem com os 29 cêntimos de aumento". E não vai ficar por aqui... a única coisa que ainda era o mesmo preço: biscoitos e barras para os hamsters.
Imagem de perfil

De Francisco Carita Mata a 12.03.2022 às 15:15

A especulação aumenta. Muita gente se aproveita. Será mesmo bom reativar a horta da Avó! Saúde e Paz!
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 14.03.2022 às 21:46

A guerra serve de desculpa para tudo. É como o covid. Claramente com FIFO ou custo médio, os preços de venda aumentando, aumenta a margem de todos no processo.
Imagem de perfil

De Ana D. a 12.03.2022 às 16:00

Parece-me boa ideia a recuperação da horta! É bom para a carteira e para o espírito!
Perfil Facebook

De Zélia Marisa Reis Coelho a 13.03.2022 às 19:03

Eu tenho uma pequena horta há alguns anos e galinhas há 4, o preço da mistura de milho e farinha aumentou 3€/30kg num ano. Mas tenho carne e ovos para uns tempos, se não morrerem....comem couves do quintal, restos de cascas de frutas, vegetais etc.
Imagem de perfil

De O ultimo fecha a porta a 14.03.2022 às 21:24

Consegue uma boa economia familiar mesmo com o incremento das farinhas.
Sem imagem de perfil

De Pedro Coimbra a 14.03.2022 às 02:14

Consequências de uma guerra estúpida.
Boa semana
Sem imagem de perfil

De Claudia a 14.03.2022 às 10:30

A minha empresa, esta Quarta, vai colocar 9 pessoas em lay-off.
Não sei mesmo se até ao final do ano tenho trabalho. E isto assusta.
Porque o preço de tudo está nos absurdos dos absurdos.
Uma pessoa já não faz nada, ainda ter que deixar de fazer nada para ter dinheiro para comer é só triste demais.

Beijocas
Imagem de perfil

De Di a 15.03.2022 às 22:24

Cansada...
Imagem de perfil

De João Silva a 19.03.2022 às 19:15

ISto obriga a repensar e a reformular tudo. As coisas mudaram muito. Vai levar muitos anos e muitas vidas destruídas até se conseguir levantar a cabeça.

Comentar post


Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.